The Hail You Say: Hail Raisers 5 - Lani Lynn Vale

12/01/2018

E ontem lançou The Hail you Say, novo livro da Lani Lynn Vale. 
Eu tive a oportunidade de ler o ARC (cópia não revisada) do livro e amei!!! 
E hoje, temos a postagem de lançamento e a resenha dele...


 Ler em Português      Read in English

Titulo: The Hail You Say
Serie: Hail Raisers #5
Autora: Lani Lynn Vale
Genero:  Suspense Romantico
Data de Lançamento: 11 de Janeiro, 2018

*A postagem foi fornecida pelo Enticing Journey e foi traduzida por mim.
Ao utilizar alguma parte, favor dar os devidos créditos*
"Compre Agora"

Se você usa A Amazon Brasil, pode adquirir o e-book clicando aqui.




O livro ainda não está cadastrado no Skoob.


"O que os outros estão dizendo..."


iScream Book Blog - “Eu tenho uma certa fraqueza por garotos danificados, quebrados e maus e sua história realmente me amarrou em nós.”
A Small Girl, Her Man, and her Books - “GAH! Justamente quando eu penso que encontrei meu livro favorito da Lani Lynn Vale, ela lança outro livro que me faz repensar a coisa toda.”
Cat’s Guilty Pleasures - “Tinha a dose certa de melancolia e momentos emocionantes”

* A sinopse foi traduzida por mim, se for utilizar, favor dar os créditos ao blog *

Saia!
Ele gritou aquelas palavras para o amor da sua vida 12 anos atrás, e até agora, Reed Hail se arrepende delas. Ele sempre foi o tipo de pessoa que fala antes de pensar, e desculpas nunca vem fácil.
Faz mais de uma década desde que ela foi dele, e ele teimosamente pensa que ele pode viver sem ela.
Ele não poderia estar mais errado.
A última coisa que ele precisa é a vagina dela em qualquer lugar perto de sua mesa de exames. Mas ninguém nunca pergunta o que ele quer.
Talvez ele devesse entrar no negócio de recuperação automática depois de tudo.
Eu te odeio.
Krisney Shaw pegaria essas palavras de volta em um piscar se ela pudesse. Na verdade, ela pegaria tudo de volta.
Nunca encontrá-lo seria o lugar perfeito para começar. A memória de Reed Hail assombra ela - de manhã, tarde e noite. Então, para adicionar insulto na miséria, ela tem que ver ele sendo feliz enquanto ela está quebrando por dentro um pouco mais a cada dia.
Reed Hail é seu pior pesadelo porque ela constantemente lembra exatamente o que ela está perdendo - a outra metade de sua alma.
Logo quando ela pensa que as coisas não podem ficar piores, ela vê seu rosto, sexy e barbado no topo de seu vestido de papel, e ela está perdida de novo.
Nunca me deixe partir.
Ambos, Reed e Krisney estão determinados a evitar um ao outro. Eles fazem um ótimo trabalho com isso, até... não.
Um inoportuno exame ginecológico muda tudo. Um único segundo no tempo mostra a Reed o que ele está perdendo - literalmente e figurativamente - e de repente ele está de volta ao quarado.
O único problema de estar de volta ao quadrado? Ele não poderá deixar ela uma segunda vez.
Especialmente desde que na primeira vez ele não tinha uma criança com ela para considerar.


Eu poderia ir para qualquer lugar no mundo. Qualquer um.
Mas eu estava aqui, olhando essa casa, porque eu sabia que eu queria isso.
Aquela que Reed e eu queríamos, tempos atrás quando eu era feliz.
A qual, se eu pensar sobre isso, foi a única razão que eu tinha de ter isso.
Essa foi a ultima vez que eu pode realmente dizer que eu fui feliz.
Logicamente, eu sabia que comprar esse lugar não iria ajudar, mas isso era um começo.
Eu não poderia me ver em qualquer lugar que não aqui.
Por que?
Porque, se eu for 100% honesta, isso era onde Reed estava.
Não o Reed físico, mas minhas memórias do Reed.
Memórias da minha alegria.

trecho - somente em inglês

Routine. Just routine.

Yeah, right.


I knew this was going to be bad. I knew that I was about to do one of the stupidest things in the world.

Yet, that didn't stop me from entering the infirmary.
Every year we were required to see the doctor for an annual health evaluation. Mine was due two months ago, and I'd purposefully gotten out of it.
I'd tried to get out of this one, too. However, my superior looked at me, grinned that evil grin of hers, and told me in no uncertain terms if I didn't do it, I'd be relegated to desk duty for the foreseeable future.
She knew I hated desk duty.
Talking to people wasn’t my forte.
And now I was here.
Going into the one place that I knew I shouldn't be going.
The clinic in town was normally off limits.
The clinic near the base had an older than dirt male doctor that I was fairly sure was a pervert who kept working because he didn't get to see pussy that young anymore.
However, knowing that the old doc was off on the weekends, and Reed volunteered there for all the ladies that didn’t want to risk it with the pervert doc, led me to where I was today.
Where I knew he was.
Shit. Damn. Fuck.
I’d gone to Germany to get away from him. He’d been assigned to the same base within a month of my arrival.
It might’ve been a coincidence, but I knew it probably wasn’t.
He did it on purpose. Just to watch me squirm.
I swung open the glass door, waved at the secretary who I knew but whose name I couldn't remember, and signed in.
"He's running about thirty minutes behind," the secretary said as she took my information. "I'll tell the ladies that you're here, though. You can go on back. The nurse will put you in a room.”
Of course he was, because the motherfucker liked to talk.

Fucker.

Asshole.
I walked back, met the nurse, and she guided me into a room.
“Here’s the paper gown. You can go ahead and change here behind the screen.” The nurse smiled. “The part goes in the front.”
I refrained from flipping her off.
I knew which fucking part went in the front. I wasn’t a dumbass.
“Thanks,” I muttered.
I waited until she was completely out of the room before I changed, making sure the screen was completely covering every square inch of my body before I stripped my shirt off.
My pants went next, then my bra, and my underwear.
After slipping on the stupid gown—part in front—I folded the clothes precisely in on themselves, making sure that my underwear and bra were neatly tucked into my shirt before rolling my pants around the shirt.
I did not want him to see my underthings.
No sir-ree.
He was already going to see my breasts and vagina today. I didn’t want him to see that I wore the sexy underthings for some stupid reason.
Growling to myself, I picked up my phone and blasted off a text to my best friend.
She was probably asleep, but she’d answer when she woke up.
Somebody needed to be witness to this train wreck.
Might as well be Hennessy.

"Na série"


Hail No (Hail Raisers #1) - Disponível
Go To Hail (Hail Raisers #2) - Disponível
Burn in Hail (Hail Raisers #3) - Disponível
What the Hail (Hail Raisers #4) - Disponível
Hail Mary (Hail Raisers #6) - Pré-Venda 9/fev



12 anos???? 12 malditos anos de separação???
Sim, esse é um romance de segunda chance, depois de uma separação de 12 anos e apesar de eu pensar que é muito tempo, a Lani é uma autora que eu me apaixonei ano passado e que se tornou uma leitura automática. Então,  quando surgiu a chance de receber o ARC do livro eu super topei.

Recebi o ebook através do Entincing Journey..... em troca de uma revisão honesta. Os comentários são totalmente meus e não tive nenhuma influência.
O livro pode ser lido como único, mesmo sendo o volume 5 da série Hail Raisers. Os detalhes da tragédia da familia Hail aparecem a primeira vez em For the Love of Beard - The Dixie Warden Rejects MC Book 7 - que conta a história de Tobias, um dos irmãos Hail.


Reed e Krisney se conheceram no Colégio e começaram a namorar. Eles eram o casal perfeito, um amor forte, a alma gêmea um do outro. Até que aconteceu uma tragédia na família de Reed. O irmão de Krisney (que era também melhor amigo de um dos irmãos de Reed) abusou da irmã deles por dois anos até que foi pego. Reed sabe que Krisney não teve culpa, mas como continuar com ela sendo um lembrete do que aconteceu? Não era justo com a sua irmã, nem com a sua família, então ele termina tudo, mesmo que ainda a ame.

12 anos depois... os dois ainda estão separados e mesmo assim, ainda amam um ao outro. Mas como consertar as coisas? A irmã de Reed se matou, o irmão e os pais de Krisney (que não acreditavam que Jay fosse culpado) estão mortos e Krisney resolve ir em uma implantação na Alemanha. Mas ela tem que fazer um exame médico lá e quem é o médico? Sim, Reed. Com toda essa distância (fisica e emocional), eles se encontram e a coisa pega fogo. Nenhum dos dois consegue fugir da atração que sentem. Krisney não consegue dizer não, Reed não consegue falar o que gostaria, então eles voltam a se separar sem falar nada um para o outro.

Doze anos depois de ele romper comigo, e eu ainda não posso dizer para ele não.
Porque mais um dia com Reed, mesmo que eu sabia que nunca teria nada mais com ele, era melhor do que nenhum Reed ao todo.

Krisney ganhou meu coração. Com tudo o que aconteceu com ela, com todas as pedras que a vida colocou no seu caminho, ela não desistiu. Ela seguiu em frente, encontrou forças para olhar para a frente e inclusive no momento de decisão, resolveu que ela precisava proteger seu coração e parar de se machucar para não machucar os outros. Adorei o fato de que mesmo ela sendo completamente apaixonada por Reed ela conseguiu colocar um ponto. Se não fosse isso, quem sabe se ele tinha mesmo tirado a cabeça da sua bunda.
Eu deixei ele parado no elevador, me observando sair com uma triste expressão no seu rosto.
Mas eu não poderia ajudar.
Eu precisava proteger a mim nesse ponto, não Reed.

Reed é um cara legal, embora eu tenha conseguido entender seus motivos para a separação, senti que ele não deveria ter levado tanto tempo para assumir o que todos ao seu redor já sabiam. Acontece que a dor, o luto e a culpa tocam cada pessoa de uma forma - e quanto mais o tempo passa, mais esses sentimentos corroem por dentro. E depois de 12 anos, de tanta dor que ele mesmo causou, ele tem que decidir o que é mais importante para ele: continuar sofrendo e fazendo o amor da sua vida sofrer ou resolver de uma vez que não é errado amar quem ele ama.

Claro e simples. Eu. Malditamente. Sinto falta. Dela. Eu sinto falta do jeito que ela cheira, e do jeito que ela escova o cabelo. Eu sinto falta do jeito que ela falava no meu ouvido sobre qualquer coisa que ela sentia que precisava da minha atenção, e o jeito que ela roubava minhas camisas. Minhas favoritas, eu poderia acrescentar.

Como se não tivesse sofrimento que chega para esses dois, ainda tem uma situação que deixa os dois correndo o risco de morte (não só eles), algumas palavras cruéis ditas no calor e medo do momento (não entre o casal) e uma conversa necessária que coloca tudo mais em perspectiva. É muita coisa em um livro só mas na minha opinião todas elas se encaixaram bem na história. E embora ele tenha partido meu coração em vários momentos, ainda teve os momentos fofos, doces, engraçados e quentes (e olha q esses dois juntos pegam fogo!).

Porque ao invés de ser um idiota cada vez que eu vi você, eu deveria dizer que eu amo você. Ao invés de sair do meu caminho para ignorar sua presença, eu deveria ter beijado você. Ao invés de perder seu jantar de aniversário pela última década, eu deveria celebrar com você.

Não sou a maior fã de romances de segunda chance, mas esse me convenceu e me ganhou. Foi lindo ver eles chegarem ao início do seu "final feliz". Só não dei 5 estrelas por dois motivos (1 - para mim 12 anos é muito tempo, muito, muito tempo. E embora seja claro e super crível o amor deles ter resistido, ainda acho que se eles falassem um com o outro ao invés de se afastar cada vez mais, poderia ter durado menos tempo. 2 - não achei necessário um drama com um personagem - que além de não convencer em seus motivos, teve uma aparição muito rápida entre tantas outras coisas acontecendo).

The Hail you Say é mais um livro da Lani que entrou para a minha lista de queridinhos e que eu adorei realizar a leitura. Valeu cada lágrima, cada suspiro e cada sorriso. Eu sei que o livro acabou de ser lançado, mas eu já estou contando os dias para a história de Dante.

"Conheça o autor"

Sou uma mãe casada de 3. Meus filhos tem todos menos de 5, então eu posso assegurar que eles são uma mão cheia. Estou com meu marido paramédico por 10 anos agora, e nós produzimos 3 descendentes que não são nada como nós. Eu vivo no maior estado do mundo, Texas.




Hospedado por:

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

11 comentários

  1. Oi, Lica.

    Super amo romances de reconciliação/reconciliação e que há todo um passado por trás!

    Já quero! 😍

    Quero ver o Reed rastejando todo arrependido pelo perdão da Krisney. Afinal, mesmo tendo seus motivos, eles escolheu ficar longe de sua amada e com certeza a fez sofrer muito.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lica, essa capa tá maravilhosa e só por ela já fiquei interessada. Também acho 12 anos muito tempo, não sei como essas autoras conseguem ser assim tão más e fazer o casal ficar tanto tempo separado haha, mas achei o motivo da separação bem plausível, e que história é essa hein? A irmã dele era abusada pelo irmão dela e se mata, que triste, fiquei triste e com vontade de ler a série completa ;)

    ResponderExcluir
  3. Não sei se conheço essa serie...bem, o livro aqui parece bem interessante. Tanto tempo separados e a história dos dois, de se conhecer na escola e o amor que surge ali já me chama atenção. Adoro histórias de reencontros com amores do passado. E nossa, pesado isso que fez com que se separassem heim. Ai =/
    A garota parece forte e ter essa força de vontade de continuar, mesmo com tantos problemas e mesmo ainda gostando do cara e toda decisão que toma pra não se machucar de novo é de dar uma aperto aqui. Acho que ficaria torcendo fácil pra dar tudo certo com eles. Tá bom, é mesmo muito tempo mas quem não gosta de umas histórias de amor impossível assim? Ahh eu gosto. Acho que iria curtir esse livro.

    ResponderExcluir
  4. Olá, adoro quando um casal fica muito tempo separado mas a chama que os une ainda crepita quando o mesmo se reencontra. Essa capa não está muito do meu agrado, mas julgo que o conteúdo não deixa a desejar. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. LICA!
    Gosto demais de romances e quando tem segunda chance, ainda mais.
    Realmente 12 anos é um tempo grande, mas acredito que para todos ficarem mais maduros e enfrentar a nova situação.
    Amei os quotes, achei bem maduros e alguns românticos.
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Oooi, adoro livros em que o casal se separa e depois de um tempo voltam a se encontrar, ainda sentindo algo um pelo outro.
    A história parece ser emocionante, fiquei com muita vontade de ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Lani Lynn Vale uma das minhas autoras favoritas! <3
    MDS QUE CAPAS SÃO ESSAS! Estou tentando escolher uma favorita aqui mais esta difícil *-*
    Tenho um pé atras em livros com romance de segunda chance, mais com esse tenho certeza que sou ama a leitura..até porque tem um bom motivo pra eles se separar, diferente de vários outros que já li que tinha nenhum motivo pra separação e ainda quando volta a ficarem junto é como nunca tivesse separado ~odeio quando isso acontece.

    ResponderExcluir
  8. Eu não conhecia esta autora Lani Lynn Vale, que bom que você leu este livro e gostou, pela sua resenha a história parece ser boa, não costumo ler livros com este estilo de história, mas quem sabe futuramente eu leia este livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Lica!
    Ainda não li nada da Lani Lynn Vale, mas quero ler a história de Reed e Krisney pra ontem, amo histórias de amor sobre segunda chance!
    Gosto de personagens iguais a Krisney, fortes, que apesar das pedras no caminho não desisti, segue em frente... Pelos seus comentários acredito que irei gostar mais dela do que do Reed... Valeu pela dica!
    Ps: concordo com você, 12 anos é muito tempo...

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia a autora. Amo romances com segundas chances. O tema usado pra pano de fundo é bem pesado e acho que não existia mais clima pra que os dois continuassem como um casal, não com os envolvidos ali como provas vivas dos acontecimentos. O problema é que 12 anos depois não achei que a situação melhorou, não com o suicídio da vítima ou as mortes dos parentes dela. A situação, pra mim, ficou cada vez mais difícil. Quero muito ler e saber como ambos venceram.

    ResponderExcluir
  11. Não sou muito fã de ler livros eróticos não gosto de leituras assim sempre por muitas partes o que acaba sendo prejudicial a leitura mas esse livro deve ter uma história interessante a sinopse até que me chamou atenção

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras