Almanegra – Jodi Meadows

18/08/2015

AlmanegraAna sempre foi a única. Marginalizada. Apartada. E, para piorar, após o Escurecimento do Templo causado por seu pai, vários cidadãos de Heart a culpam pela perda definitiva de algumas almas, as almasnegras — e pelas almasnovas que nascerão em seu lugar. SOMBRAS Muitos temem a presença de Ana, um lembrete constante das mudanças irreversíveis. E quando as sílfides começam a se comportar de maneira diferente em relação a ela, Ana terá que aprender não apenas a se defender como àqueles que não podem fazer isso por si mesmos. AMOR Ana aprendeu desde cedo que os sem-alma não podem amar. Mas, e as almasnovas? Mais do que tudo, ela deseja ter a chance de viver e amar como qualquer outro cidadão de Heart, porém mesmo depois de Sam declarar seus mais profundos sentimentos, será que ela conseguirá superar uma vida inteira de rejeição e aceitar o amor? Almanegra explora a beleza e as profundezas sombrias da alma, numa história que é ao mesmo tempo um romance épico e uma fantasia cativante.

Após terminar a leitura de Almanova, fiquei bastante empolgada para ler Almanegra. O mundo novo criado por Jodi Meadows me encantou e eu queria saber mais e mais sobre a história de Ana – assim como rever outros personagens como Sam e Sarit, entre outros. A demora em trazer a resenha para vocês se deve ao fato de eu ter enrolado um pouquinho para começar o livro – já que o terceiro ainda não está entre nós...rs

Tenho uma brincadeira com uma amiga, onde a gente diz que praticamente toda trilogia sobre a maldição do livro dois. É quando o primeiro livro é tão incrível que te deixa desesperada pelo segundo e quando você lê fica decepcionada e pensando onde foi parar o encanto que tanto te agradou no primeiro.  Eu não cheguei a me decepcionar com o livro, mas de certo modo, Almanegra sofre um pouquinho dessa maldição.

A Ana me irritou muito durante a leitura... Eu sei que uma vida inteira aprendendo uma coisa não se muda da noite para o dia, mas ela aprendeu tanta coisa sozinha que me espanta a sua relutância em aceitar alguns fatos. Mas realmente o que me incomodou foi o fato de ficar boa parte do livro (para não dizer até quase o final) duvidando do amor do Sam. Poxa, além de se declarar com todas as letras, ele já deu provas suficientes de que realmente a ama. É claro que ele tem uma alma de cinco mil anos e é claro que algumas dúvidas podem surgir no caminho. Mas ela age como se ela pudesse ter dúvidas e ele não – típica coisa de adolescente que me irrita nos livros.

“Eu não precisava decidir se era capaz de amar. Não agora. Tudo o que precisava fazer era aceitar e aproveitar a ideia de que alguém conseguia me amar.” (pág.130)

O bom é que o livro não gira só em torno do amor de Sam e Ana. Ficar sabendo mais detalhes da história foi surpreendente de uma forma que eu não esperava. Não fazia ideia como a Jodi iria explicar as reencarnações – e gostei da forma como isso foi mostrada. Também gostei de saber mais sobre as Sílfides – e como é que elas acabaram surgindo. E o nascimento de mais almasnovas dá um ótimo ponto de ligação entre os dois livros e a espera para o terceiro – Infinita.

Mais uma vez a Valentina arrasou com a diagramação do livro. A capa não tem a mesma holografia da primeira, mas está linda demais. E dentro do livro tem os mesmos detalhes de Almanova – dessa vez o início dos capítulos trazem uma flor em sua folha mais escura. Lindo, lindo, lindo!!! E eu aproveito para agradecer ao exemplar que recebi através da parceria com a editora.

Almanegra tem ação, tem mistério, tem personagens novos que se mostram interessantes e personagens já conhecidos que não são assim tão confiáveis, além de romance e uma fantasia incrível. A trilogia Incarnate entrou meio que ao acaso na minha estante e eu fico mais do que feliz em ter dado uma chance aos livros. Eu me irritei sim com a Ana, e isso fez com que a trilogia perdesse um pouquinho do brilho para mim – mas foi só um pouquinho e é claro que estou louca para ler Infinita e finalmente descobrir como a história vai terminar. Para quem procura alguma leitura diferente, Almanova e Almanegra são uma ótima escolha.licavargas

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

2 comentários

  1. Lica!
    Estou com Alma Nova aqui para leitura e só iniciarei quando conseguir todos volumes da série.
    “Aja antes de falar e, portanto, fale de acordo com os seus atos.”(Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  2. Estou bem curiosa quanto a esta trilogia, mesmo sendo de um gênero que pouco leio. Ela parece ter elementos curiosos e que se bem combinamos, podem dar em uma mistura viciante. Só acho uma pena outra personagem duvidando do amor do mocinho mesmo quando ele diz e mostra de diversas formas, isso me irrita demais! Falta paciência as vezes -.-"
    De toda forma, adorei sua resenha.
    Abraços

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras