Percepção da Morte – Louise Anderson

16/08/2015

Percepção da morteIntransigente e ambiciosa, Erin Paterson gerencia a firma de advocacia de seu avô em Glasgow. Mas, apesar de toda a aptidão que possui para administrar o lado profissional, sua vida pessoal anda em frangalhos: sua irmã cria um filho sozinha e está desempregada, seu pai sofreu um derrame e sua mãe parece desprezá-la. Para completar, ela acaba de encontrar o namorado na cama com a zeladora do prédio onde mora e é presa por agressão.
Quando uma velha amiga de sua irmã é brutalmente assassinada, o passado de Erin vem à tona. E o que ficou mantido a uma distância segura por tanto tempo ressurge para expor um segredo que deveria ter permanecido morto e enterrado.
Diante do risco de perder tudo — a sua reputação, o escritório da família e até a própria vida —, Erin precisa descobrir quem é o serial killer que está à solta e provar a todos que está acima de qualquer suspeita.

“Algumas coisas na vida é melhor não saber – algumas coisas devem ficar onde estão.” (pág. 09)

Quando eu li a sinopse de Percepção da Morte eu fiquei curiosa e coloquei o livro em minha lista de leituras. Ao ler na capa um comentário do John Connolly que dizia “um dos melhores romances policiais que você lerá este ano” eu fiquei super empolgada para iniciar a leitura e acho que foi aí que tudo meio que desandou... Expectativas demais sempre causam uma certa decepção, não é mesmo?

“Eu precisava peneirar o que era verdade e o que era mentira. Ou será que as mentiras tinham origem em algum aspecto da mais dura realidade?” (pág. 312)

A narrativa da Louise é interessante e te faz questionar várias das coisas que estão acontecendo. Para um romance policial, é um ponto importante você não conseguir decifrar tudo rapidamente – mas não ter uma conclusão clara me deixou com aquela sensação de que eu não terminei o livro, que não cheguei ao final. Embora a maior de todas as questões fique subentendida, fiquei pensando se tinha entendido corretamente ou se a interpretação seria outra. E se foi o que eu entendi, o que aconteceu depois?

"- Você também? De todas as pessoas?
- Desculpa! É que tudo é tão...
- Inacreditável, né? - sibilei."
(pág. 462)

Ao mesmo tempo que a narrativa é interessante de acompanhar, Erin não é uma das personagens mais carismáticas que encontrei. Alguma coisa nela não deixou que eu torcesse e ficasse do lado dela. E mais, ela tem umas falhas que não dá para aceitar em uma advogada bem sucedida... Tá certo que tudo parece estar dando errado para ela, mas ficar naquela coisa de “eu confio nele” , “ele me traiu” e “eu confio nele de novo”, mudando a cada momento que algum desentendimento acontece me cansou um pouco.

Quanto a edição da Bertrand, eu adorei a capa e a diagramação do livro que vem com uma fonte em um tamanho bom para não cansar a leitura das mais de 500 páginas. Encontrei vários erros de revisão e algumas de tradução com palavras a mais na frase ou verbos em dois tempos diferentes. Não foi algo que estragou a leitura, mas foi algo que me chamou a atenção.

“A vida não passa de um sorriso nos lábios da morte” (pág. 539)

Percepção da Morte tem uma questão que interliga o livro inteiro (o serial killer), mas a trama tem vários pontos interessantes além desse. A Erin pode não ser lá muito carismática mas a história da vida dela (seu passado e como ela está lidando com as coisas que andam acontecendo em seu presente) é super interessante e prende o leitor de forma que a gente queira reunir todas as peças do quebra-cabeças. Não é o livro ótimo que eu estava esperando, mas é, sim, um bom livro.licavargas

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

1 comentários

  1. Lica!
    Carecemos de bons livros policiais e esse me parece que é dos bons, gostaria de poder ler e acompanhar o desenrolar de toda a trama.
    “Aja antes de falar e, portanto, fale de acordo com os seus atos.”(Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras