Pode Beijar a Noiva - Patricia Cabot

25/06/2016

Quando tudo parece estar perdido para Emma Van Court, que acaba de se tornar viúva, a promessa de uma grande fortuna lhe cai dos céus. Mas há uma condição para abocanhar a herança: ela terá de se casar novamente. Como não se especificou o noivo, todos os homens da pequena Faires, na Escócia, resolvem participar dessa corrida do ouro e passam a disputar as atenções da jovem viúva.
Os competitivos pretendentes só não contavam com a presença de James Marbury, primo do falecido marido, Stuart, que chega ao vilarejo para ajudar Emma com os trâmites do inventário. No passado, os dois tiveram uma aproximação, e James ainda nutre fortes sentimentos pela, agora, viúva.
Conseguirá ele afastar a horda de interesseiros pretendentes e finalmente se juntar à sua amada?
"Era inacreditável que um homem pudesse ser tão exasperador e ao mesmo tempo tão atraente!"
Já fazia um bom tempo que eu queria ler algum livro da Meg escrevendo como Patricia Cabot. Ouvi vários elogios, então não era de hoje que Pode Beijar a Noiva estava em minha lista. E o relançamento da Planeta com uma nova capa me deixou ainda mais empolgada para, finalmente realizar a leitura.

Pode Beijar a Noiva conta a história de Emma, uma garota simples, que ficou órfã quando pequena e foi criada na sociedade londrina por caridade de alguns parentes. Acontece que ela se encanta e se apaixona por Stuart. Principalmente pelo seu desejo de ser um cura (pároco) e a ajudar os que mais necessitam. Como a família não aceita bem - nem o relacionamento e nem a decisão de Stuart  - os dois fogem para Faires - uma pequena vila na Escócia.

Tudo ia muito bem para os dois, mesmo com as necessidades financeiras, até que Stuart morre e deixa Emma sem nada. Para complicar um pouco as coisas, a morte de Stuart rendeu a Emma uma bela herança, mas o juiz resolveu que, por ela ser mulher, não pode receber o dinheiro enquanto não se casar de novo. Esse detalhe, faz com que todos os homens de Faires disputem a atenção da viúva - que não pensa em se casar de novo tão cedo e tenta da melhor forma que pode sobreviver e fugir dos pretendentes.
"Se quiser realmente conquistá-la, e eu acho que Milorde quer, terá de cortejá-la."
James, ao ficar sabendo da morte de seu primo - um bom tempo depois - vai a Faires na tentativa de ajudar Emma com o inventário e trazer de volta a Londres ela e o corpo de seu primo. Acontece que James sempre gostou de Emma - e era por isso que ele não queria aceitar o casamento dela com seu primo - e nem podia imaginar o quanto ainda nutria sentimentos por ela. Mas como se convencer de que ele é merecedor dela, e convencer ela a lhe dar uma chance?

Desde a primeira página do livro a gente percebe que existe a boa e velha falta de comunicação. Eu não tinha lido a sinopse e mesmo assim, quando no prólogo James se mostra contrário ao casamento a minha primeira reação foi 'então porque você não diz que não quer que ela se case com ele porque deve se casar com você?'. Acontece que James é um cara que não pensa em casamento e Emma sabe disso. Ela tem um carinho por James, mas sabe que ele não é o homem para alguém tão simples como ela.

Ao chegar na vila, Emma não quer largar tudo e voltar para Londres como James sugere. Ela não pode largar as crianças que ela tenta, mesmo que precariamente, ensinar alguma educação básica. E também não pode revelar onde enterrou James. O dinheiro da herança seria muito bem vindo e ela poderia ajudar muitas pessoas com ele - mas seus pretendentes não pensam assim. E James quer ajudar Emma, da forma que puder então o que ele sugere? Sim, é agora que entra o clichê do falso casamento.


Falta de comunicação, casamento fingido, um casal que gosta um do outro mas que acha que não é reciproco. Sim, são muitos os clichês e sim, você já leu essa história antes. Acontece que de alguma forma, a narrativa de Cabot é tão gostosa de acompanhar que você quer saber como irá se desenrolar a história.

Confesso que eu esperava um pouquinho mais da história. Em algum momento achei que o segredo que impedia Emma era algo mais sério, ou até mais interessante. Mesmo assim, Pode Beijar a Noiva é aquele tipo de leitura gostosa de se fazer para passar o tempo. A escrita é leve, super fluida e quando você menos perceber já terá encontrado o final feliz. É um livro para relaxar e não pensar em muita coisa, só curtir. Perfeito para uma pausa entre leituras mais densas ou complicadas.

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

19 comentários

  1. Olá
    Amo Meg Cabot. Realmente leria até a lista de compras se ela publicasse hehhe
    Já li os livros de época que ela escreve como Patrícia Cabot e gostei muito de pode beijar a noiva e de sua resenha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oiee

    Eu gosto muito dos livros de época da Meg como Patrícia Cabot, são leituras muito gostosas.
    Esse eu também gostei muito mas fiquei com a sensação que faltou alguma coisa ou eu esperava um pouco mais também.
    Mas não deixo de recomendar. E essa nova capa está incrível!! Muito mais bonita.

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto mt de romances de epoca, mas esse eh um daqueles que nao me chamam mt a atençao sabe? Sei la, ele ja de cara parece mais do mesmo e eu curto livros mais intensos, fora dos padroes da epoca e tal. Apesar de curtir leituras leve e tal, nao seria um livro que eu investiria nele no momento. Sua resenha foi bem sincera e so confirmou que eu ia ler e sentir que faltava algo...

    Raissa Nantes

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu não sabia que a Meg tinha um pseudônimo, achei interessante. Eu achava que era alguma parente dela rsrsrs.
    Eu não sou muito fã de romances épicos, no entanto, me parece fugir um pouco ao tradicional, já que para ter direito a herança ela precisará se casar e diversos homens da cidade vão querer conquistá-la, embora pejorativo de certa forma, me soa engraçado. Agora o falso casamento ....
    Fiquei chateada apenas em saber que ela tem um segredo e que este poderia causar uma reviravolta na história e no fim não é nada de grandioso.
    Beijos
    www.estilogisele.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Tenho vontade de conhecer a Meg, mas não a Patricia XD, sei lá as histórias que ela escreve sob seu segundo nome não me atrai tanto, me lembra muito romance de banca, meio melodramático demais, mas os livros da Meg me deixa mais empolgada, vai entender.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Só ouço elogios sobre a Meg, é uma autora cativante mesmo. Sobre esse livro, tenho a impressão que falta alguma coisa para a história fluir, entende? Talvez se esse segredo fosse mais explorado, poderia dar uma dinâmica a mais a história.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  7. Olá linda,

    Gostei das imagens usadas na postagem <3
    Nunca li nada da autora e assim como você só ouço e leio boas críticas aos enredos e forma de escrita da Meg e como estou querendo muito ler um bom livro nas férias, vou em arriscar com esse.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Eu amei a premissa! Eu necessito ler, já está na lista! Tadinha, quando consegue casar, fica viúva e não pode receber a herança, imagino um monte de urubus em cima dela...Ainda bem que isso muda (torcendo!!) Amei a capa também, beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  9. Oie
    eu nunca li nada da autora com esse nome pois não é bem o que costumo ler mas sempre vejo o pessoal elogiando e indicando e quem sabe eu arrisque a dar uma chance já que a meg

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?

    Confesso: nunca li nada dessa autora. rs

    Bem, quanto a premissa, grande parte dela, como o lance do primo que seja a mulher do primo e que precisa se convencer de que a merece, após a morte do outro, me fez lembrar MUITOOO de O Comde enfeitiçado fã Julia Quinn, mas...

    Sim, já li histórias semelhantes e? Quem disse que um clichê não l pode ser bom, né? XD

    Valeu a dica!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Gosto muito das obras dessa autora e fiquei muito interessada pela premissa. Os personagens parecem ser bem construídos e o romance muito intrigante. Com certeza vou anotar a dica.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  12. Nunca li nada da Meg nem como Meg e nem como Patricia, esse não é um livro que espero muita coisa mesmo, realmente olhando para capa dele já da para imaginar que é um livro para passar o tempo e a premissa deixou isso claro, e ler sua opinião só confirma minhas suspeitas, uma pena que o segredo não era tão interessante assim kkkk
    Enfim, eu leria para conhecer a escrita da autora.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu adoro escrita da Meg, mas nunca li nada dela como Patricia.
    Eu adorei o enredo dessa obra, gosto de clichês bem escritos, rs.
    O fato de ser um livro com uma escrita leve e super fluida me deixam ainda mais empolgada com essa leitura.
    Vou anotar para ler nas férias!
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Esse tipo de livro costuma ser bem clichê mesmo, mas ainda assim a gente lê, se apaixona, suspira, torce pelos mocinhos, as vezes quer torcer o pescoço deles rsrsr, mas sempre é uma leitura agradável. Nunca li nada da Meg como Patricia, mas tenho muita vontade pq eu gosto desse tipo de história.

    ResponderExcluir
  15. Acredita que não nunca li nada da Meg? Jesus, preciso mudar isso.
    Adorei sua resenha e suas fotos, lindas!
    Bjo

    ResponderExcluir
  16. Olhaaaa

    Adoro a Meg e a escrita dela é tão leve e divertida que fascina. Nunca li nada dela com o pseudônimo, mas acho que isso vai mudar logo, pois apesar de ser meio clichê, quero muito ler esse livro.

    Ótima resenha!

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Olhaaaa

    Adoro a Meg e a escrita dela é tão leve e divertida que fascina. Nunca li nada dela com o pseudônimo, mas acho que isso vai mudar logo, pois apesar de ser meio clichê, quero muito ler esse livro.

    Ótima resenha!

    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia esse livro ainda. Adorei saber que é a Meg quem escreve. Mais um pra minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  19. Eu quero esse livro da Patricia! Li algumas coisas dela de romances de época e fiquei apaixonada pela escrita. Sério, é completamente viciante.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras