80 Dias – A Cor da Luxúria: Vina Jackson

04/03/2013

cover_3ba65bf7-2eff-499b-8e6a-264025fe9dbfRomance erótico ousado que aborda os demônios que tanto homens quanto mulheres podem encontrar ao buscar prazer sem limites. Ao conhecer Dominik, professor universitário e herdeiro de uma rica família, a violinista Summer se vê envolvida em um jogo erótico de dominação, prazeres obscuros e dor. Presos em uma atração que nunca haviam experimentado, eles sentem despertar desejos cada vez mais perigosos, a que se submetem obedecendo a um impulso mais poderoso que a razão. Porém, será que a atração resistirá aos demônios que eles próprios despertam?

Eu não gostei muito da sinopse/contra-capa do livro, prefiro a que encontrei em inglês e que aparece na orelha do livro:

Summer Zahova muda-se para Londres a fim de perseguir o sonho de se tornar uma grande violinista clássica. Presa a uma relação frustrante com um homem que não a aceita como ela é, Summer encontra na música os prazeres intensos que busca em cada momento de sua vida. No entanto, para pagar as contas, precisa trabalhar em um restaurante, e toca seu violino apenas em pequenos concertos e ao ar livre, para ganhar dinheiro extra. Num desses raros momentos, ao executar, numa estação de metrô, um dos concertos de As Quatro Estações, de Vivaldi, ela tem um encontro que vai mudar sua vida. Dominik, professor universitário, herdeiro de uma família rica, fica impressionado com a performance daquela ruiva de beleza incomum. Ele não consegue tirá-la da cabeça, mas não sabe o que fazer para revê-la.

 

Antes de mais nada fico me perguntando, porque essa necessidade de comparar tudo com 50 Tons? Agradeço por esse livro não ter vindo com um selo de “se você gostou de 50 tons” como em algumas edições em inglês, mas na contra-capa tem uma frase que “estragou” tudo e fez com que eu tocasse no assunto. “O desejo tem mais tons que apenas o cinza…” Sim, o desejo realmente tem mais tons que o cinza… E não… O livro não tem nada a ver com 50 tons – embora os dois sejam livros eróticos e com a presença do BDSM na história. Mas vale lembrar que o BDSM presente em 80 Dias não é nada parecido com a maioria do BDSM literário que encontramos por aí. Então, se você pensa em colocar esse livro em sua lista de leituras por achar que vai encontrar um relacionamento romântico, com flores e um homem sendo salvo pelo amor de uma mulher eu já vou avisando que 80 Dias – A Cor da Luxúria não tem nada a ver com isso.

“Eu me perguntava porque ficava excitada tão facilmente e por que a música tinha um efeito tão poderoso sobre mim. Sempre tive medo de meu desejo sexual ser anormalmente elevado.”

Dominik desperta em Summer desejos que ela não sabia que tinha. Quer dizer, ela sempre se achou meio diferente em relação a sua sexualidade e ao conhecer Dominik e aceitar participar do jogo por ele proposto, seu corpo apresenta todas as respostas que uma perfeita submissa teria.

" - Você escolhe a data e o lugar. Pode ser até aqui se você quiser, mas eu vou escolher a hora e decidir alguns outros detalhes.
- Combinado.
Eu me permiti dar um pequeno sorriso quando me virei.
Ele não conseguia resistir a dar ordens.
E fiquei surpresa ao descobrir que eu preferia assim."

Ao abrir “essa porta”, Summer se encontra em uma curiosidade crescente em relação a esse mundo e quer explorar sua sexualidade ainda mais.

“Eu ficava ereta, com o queixo erguido, imaginando que, vestida como estava, a maior parte do vagão, ou ao menos as pessoas que conseguiam me ver, desconfiava que eu estivesse indo para casa depois de uma noite de sexo casual.
Fodam-se eles. Eu queria estar a caminho de casa depois de uma noite de sexo casual."

Antes de tirar conclusões, vale ressaltar que Dominik não é o único responsável pela entrada de Summer em um mundo novo. Para dar uma ideia, Charlotte a leva a um clube fetichista onde Summer tem sua primeira experiência com espancamento – e isso acontece antes dela conhecer Dominik.

Acontece que as coisas se tornam intensas…

“ –Você sabe que eu não uso drogas. Bem, não as drogas comuns. Talvez isso seja como uma droga, porque me dá um barato. Como se eu estivesse colocando a mão no fogo pra ver até onde consigo suportar, pulando da dor para o prazer. Mas, sabe, não é só ruim, Chris… apesar de eu saber que pode parecer assim para você. Baratos diferentes pra pessoas diferentes. Não critique até ter experimentado.”

Como uma droga, onde o viciado necessita uma dose cada vez maior para curtir a mesma, Summer começa a procurar por humilhações e sexo vazio e sem sentido pois só assim consegue se sentir mais viva do que nunca. Ela é bem autodestrutiva e era evidente seu caminho em direção a um abismo de escuridão. Em alguns momentos imaginei que Summer não encontraria seus limites, que ela eternamente ignoraria aquela voz no fundo da mente que avisava do perigo e continuaria seguindo em frente. Principalmente porque ela se desliga do que está sendo feito à ela e ao seu redor, o que não permite que tudo o que acontece com ela a toque.

“Eu estava na beirada de um precipício, no início de um daqueles momentos em que o rumo da sua vida se equilibra na lâmina de uma faca, diante de uma decisão fugaz, feita em um piscar de olhos, mas que pode alterar o caminho para sempre.”

Sabe quando você tem vontade de sacudir uma personagem para ver se ela acorda e percebe o que está fazendo a ela mesma? Então… Foi isso que senti por Summer. O desespero e a solidão que a personagem sente fazem com que ela não encontre seu botão de parar e quando ela diz “não” eu me peguei respirando aliviada...

“O sexo e a submissão ao poder dos outros me davam uma sensação de paz, de calma, mas não era como as visões que eu tinha quando tocava o Bailey.”

Em contra ponto a tudo isso, temos Dominik… Ele é um cara estranho e difícil de entender. Frio e distante, sempre mantendo seus sentimentos escondidos. No fundo, acho que nem ele mesmo entende o efeito de Summer em sua vida. Embora algumas partes do livro sejam narradas por ele e o leitor saiba um pouco mais do que está se passando em sua mente, foi difícil eu me conectar com Dominik e acho que isso não chegou realmente a acontecer. Inclusive acho que não torci para o casal ficar junto pelo motivo certo. É que Summer vai tão longe, que Dominik parece ser a melhor escolha.

“O ritmo dele se acelerou. Não havia nada de sutil nisso, os dois sabiam; era luxúria animal da mais primitiva, mas era o certo para o momento.
Para a primeira vez deles.
A emoção, a fome que existia entre eles durante essas últimas semanas estava finalmente exposta, expressando-se.”

O início do livro me pareceu meio lento e fiquei com medo de não gostar. Insisti um pouco e conforme a leitura foi avançando fui sendo fisgada e ficando cada vez mais curiosa para onde a história iria caminhar. Ponto positivo para as personagens secundárias. Os vários tipos de personagens e seus diferentes estilos e limites sexuais dão uma maior riqueza à narrativa. Mais um ponto para o enredo imprevisível e interessante. Principalmente por não trazer personagens torturados e cheios de traumas para justificar suas escolhas.

“A sedução é basicamente um jogo entre um homem adulto e uma mulher adulta, em que nenhuma das partes está ciente de quem é o sedutor e quem é o seduzido.”

Embora não tenha tido nada de romance (ao menos não no estilo que estou acostumada a ler) eu gostei de 80 Dias e estou bem curiosa com o segundo livro da trilogia – que eu não faço a menor ideia de quando será lançado por aqui. Mas uma coisa é certa: este não é um livro para qualquer leitor. Seu conteúdo sexual é forte com cenas de senhor e escravo, humilhação, espancamento, coleiras, cordas, ménage, menina com menina e até uma breve aparição em um flashback de asfixia erótica. E olha que se eu pensar um pouco devo encontrar mais detalhes para aumentar a lista.

“Os pensamentos absurdos têm o hábito de surgir no horizonte da mente nos momentos mais inoportunos, percebeu Summer.”

Sobre o final… Bom, eu não curti o modo como as coisas foram encerradas. Quer dizer, eu estava esperando tanto pelo modo como as coisas aconteceriam e queria saber como foi o passo a passo, porém tudo o que me foi dado foi uma breve descrição do que aconteceu, sem os detalhes íntimos presentes em todas as cenas anteriores. Apesar disso, gostei que o livro teve um final. Fica um gancho para o próximo volume, mas o livro tem um fim, diferentemente de algumas outras trilogias por ai.

“- Bem – disse ela, sempre pragmática – , você precisa descobrir o que quer, senão nunca vai conseguir obter.”

Eu curti a leitura do livro e recomendo se você quer ler algo forte, intenso e obscuro. Mas tenha em mente que a premissa (embora bem executada) é simples, que a jornada sexual não é nem um pouco romantizada e que você não vai encontrar nenhum badboy para se apaixonar e resgatar... Lica

 

 

PS: As citações foram deixadas sem as páginas de propósito e não seguem a ordem em que aparecem no livro.

Outras capas:

15824158    16097957

17162657     Eighty days gul_147x220.indd

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

14 comentários

  1. E o tema erótico virou realmente o novo queridinho do mundo literário.
    Realmente se eu for ler apenas a primeira sinopse não me animaria muito para ler o livro, mas a segunda sinopse torna história muito mais interessante.

    ResponderExcluir
  2. Gente, quantos livros eróticos! haha
    mas esse me pareceu interessante, e adorei as outras capas :)

    ResponderExcluir
  3. Sou uma romântica, e mesmo em livros mais hot, que eu gosto do gênero, eu meio que preciso de romance no livro, é por isso que gosto de 50 tons, não estou querendo comparar, sei que não tem nada a ver, mas quando começo a ler um livro assim, fico torcendo pros dois se entenderem logo e passarem da fase de só sexo e chegar logo a fase do amor! É romântica incurável.
    Não me interessei muito pela leitura, li Algemas de Seda me arrastando e me decepcionei bastante, não quero que aconteça de novo!

    ResponderExcluir
  4. Mais um livro erótico abordando BDSM. Desse jeito, ficaremos experts nessa modalidade. Rsrsrs
    Sinceramente, isso já está cansando. Só leria essa trilogia se ela aparecer nas minhas mãos por um passe de mágica.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  5. Adoro que finalmente os livros eroticos chegaram de vez aqui o/
    Mas este não é para mim,eu gosto quando tem um romance junto, e não somente sexo. Mas quem sabe num futuro rsrs, e eu também odeio quando um livro tenta se vender falando de outro...ja perde pontos pra mim..e tem muito livro assim.
    beijos.

    ResponderExcluir
  6. Tá, onde arrumo o meu? Sabe que sempre tive uma queda horrorosa por livros assim? Pois é, fui ler IAN e acabou com tudo na minha mente. Estava sentindo falta de livros desse jeito e então surgiu o 50 tons de-eu-não-conto-nada-na-história-mas-sou-Best-seller e pipocou livros assim. É, adorei essa parte!
    Esse livro nem preciso dizer que fiquei interessada né? Adoro livros assim!

    ResponderExcluir
  7. Perdoe minha ignorância, mas não sei o que é a sigla BD de BDSM (SM eu sei, rsrs).
    Em todo caso, nenhum livro exclusivamente erótico me seduz (sem trocadilhos, rsrs). Se a história for forte e envolvente, se tiver bons conflitos e um drama relevante, pode incluir - claro, deve - alguma cena picante, pra validar um clima, uma paixão, por exemplo. Mas o tema, por si só, não me atrai. E, claro, vou comparar sim com os 50 tons, inevitável... rsrs.

    ResponderExcluir
  8. Oi Manu...
    A sigla inteira significa "Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo". O Bondage é a parte da imobilização com algum material (corda, fita, algema, etc)...

    ResponderExcluir
  9. Estou adorando essa onde de livro erótico. Embora eu quisesse um que fosse mais duro, sem romantismo, esse não pareceu tão interessante. Mas ainda sim vou colocar na minha lista, posso me surpreender.

    ResponderExcluir
  10. O que me enerva no gênero é a falta de romantismo. Gosto de cenas melosas, misturadas a um sexo quente e intenso. Sexo pelo sexo é algo que deve ser tratado com muito cuidado. Não curto a onda sexo, porrada e indiferença. Até li alguns do tipo e devo dizer que não colou pra mim. Esse eu passo...

    ResponderExcluir
  11. Acho que essa série não é pra mim. Não que eu seja super romântica e tal, mas essa coisa do "obscuro" eu não osto muito. Acho que essa vou deixar passar.

    ResponderExcluir
  12. Ah não gosto dessas tramas, não curto essas coisas pesadas e obscuras.
    Pelo jeito muitos livros nessa temática ainda serão lançados por aqui...

    ResponderExcluir
  13. Também preferi a segunda sinopse, a primeira não anima o leitor. Gostei da história mas estou meio saturada de livros eróticos, por enquanto, deixarei para ler em outro momento.

    ResponderExcluir
  14. Realmente é uma história densa, eu fiquei triste em várias cenas, a decadência me deixa pra baixo, espero que no próximo livro os personagens tenham um pouco de felicidade. Se alguém ainda não começou, tem aqui o primeiro:
    http://portugues.free-ebooks.net/ebook/80-Dias-A-Cor-da-Luxuria

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras