Manuscrito encontrado em Accra – Paulo Coelho

04/09/2012

manuscritoQuais são os valores que restam depois que tudo foi destruído?
14 de julho de 1099. Enquanto Jerusalém se prepara para a invasão dos cruzados, um grego conhecido como Copta convoca uma reunião com os jovens e velhos, homens e mulheres da cidade. A multidão formada por cristãos, judeus e muçulmanos chega à praça achando que irá ouvir uma preleção sobre como se preparar para o combate, mas não é isso que o Copta tem a lhe dizer.
Tudo indica que a derrota é iminente, mas o grego só quer instigar as pessoas a buscarem a sabedoria existente em sua vida cotidiana, forjada a partir dos desafios e dificuldades que têm de enfrentar.
O verdadeiro conhecimento, acredita, está nos amores vividos, nas perdas sofridas, nos momentos de crise e de glória e na convivência diária com a inevitabilidade da morte.
Na tradição de O Profeta, de Khalil Gibran, o Manuscrito encontrado em Accra, de Paulo Coelho, é um convite à reflexão sobre nossos princípios e nossa humanidade.

Eu já falei aqui que Paulo Coelho é presença constante em minha estante… Não é de hoje que leio seus livros, tenho versões bem antigas na estante e a coleção quase completa de seus livros, então claro que Manuscrito encontrado em Accra não ficaria de fora.

manuscrito-encontrado-em-accra

Eu não planejava ler ele tão cedo e foi uma surpresa quando recebi ele da Isabella. E o que tenho a dizer é muito obrigada!!! Foi o livro certo na hora certa, foi exatamente o que eu estava precisando ler no atual momento da minha vida e por esse motivo vai ser muito difícil fazer uma resenha dele.

“Mas a grande sabedoria da vida é entender que podemos ser os senhores daquelas coisas que pretendiam nos escravizar.” (pág. 138)

O livro não conta com uma história corrida como no caso de O demônio e a Srta. Prym ou Onze Minutos, seu formato pode ser considerado parecido com Manual do Guerreiro da Luz ou então Maktub. Embora faça sentido e se complete quando você lê do inicio ao fim, o livro está dividido por partes que podem muito bem serem lidas sozinhas e as partes também podem serem lidas fora de ordem. E mais do que isso, é um livro que cada pessoa que ler irá ter uma visão diferente dele.

“A mais destruidora das armas não é a lança ou o canhão – que podem ferir o corpo e destruir a muralha. A mais terrível de todas as armas é a palavra – que arruína uma vida sem deixar vestígios de sangue, e cujas feridas jamais cicatrizam.” (pág. 158)

Sabe aquele tipo de livro que tem tanta coisa mesmo não tendo muito? Aquele livro que contem mensagens que serão entendidas de acordo com a vivência e as experiências que o leitor já teve; e além disso, seu momento atual irá influenciar também. Porque eu digo isso? Porque enquanto eu lia coisas que pareciam simples foram me pegando de um jeito que se eu não estivesse no momento em que eu estou seriam apenas coisas simples.

“Um pôr do sol é sempre mais belo quando o céu está coberto de nuvens irregulares, porque só assim ele pode refletir as muitas cores das quais são feitos os sonhos e os versos do poeta.” (pág. 64)

Como eu disse no início, foi o livro que eu precisava ler no momento certo. E por esse motivo fica difícil falar de modo impessoal sobre o mesmo. O que posso dizer além dos detalhes que citei acima é que vale a pena dar uma chance ao livro.Lica

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

21 comentários

  1. Também gosto de Paulo Coelho. Tenho 6 livros dele até o momento só li um, há muito anos atrás. Adoro ler a coluna de jornal Maktub.

    soniacarmo
    retalhosnomundo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sou mais uma leitora de Paulo Coelho e já tem bastante tempo. Por ocasião do lançamento do "Manuscrito encontrado em Accra", li algumas coisas que me fizeram pensar que deveria ser algo como Maktub e agora você confirmou. Acho que é um daqueles livros que podemos ler e guardar para consultar de vez em quando.

    ResponderExcluir
  3. Não sou fã de Paulo Coelho, não li nenhum dos livros dele, apenas algumas de suas crônicas na época que ele tinha coluna no jornal O Globo, na verdade o maior contato que tive com sua obra foi através das letras que ele compôs junto com Raul Seixas.

    ResponderExcluir
  4. Uau... parece mesmo booom.
    Eu tenho vários, ou melhor, meu marido tem vários... e claro que eu li todos. XD
    Tô com muita vontade de incluir este na coleção!!! =)

    ResponderExcluir
  5. Gostei..
    Ainda não li nada do Paulo Coelho!!
    Acho que vou começar a ler suas obras são muito bem faladas !!! Espero gostar...

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li livros deste autor, então não posso afirmar nada, eu gostei da resenha, mais acho q não leria o livro, não gostei muito da tematica ...

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lica!
    Por você ser fã do autor, espero que não me bata, mas preciso dizer uma coisa: não vou com a cara dele. >_< Tive uma amiga que adorava, era maluca por ele, mas nunca tive vontade de ler qualquer um dos livros dele.

    PS: fiquei impressionada com a 2ª citação. É uma grande verdade! Palavras constroem, mas tem poder maior de destruir (como tudo que possui essa dualidade, precisam ser usadas com muito cuidado).

    Beijoka ;**
    @jana_keanuloka

    ResponderExcluir
  8. Sempre vale a pena dar uma chance a todos os livros de Paulo Coelho. Eu o amo e recentemente acabei de ler O Aleph pela segunda vez (infelizmente ando tendo probleminhas financeiros para comprar livros, mas assim que eu receber, essa será a primeira coisa que irei fazer com o meu dinheiro, comprar esse livro) e a mensagem passada, remetia novamente o momento que eu estou passando e me ajudou a me motivar para continuar cainhando. Acredito que Manuscrito encontrado em Accra irá me motivar mais ainda, não tenho dúvida disso. Os livros de Paulo Coelho, pelo o pouco que eu vi (infelizmente), sempre tem mensagens ótimas para cada momento que passamos, por isso tenho sempre a necessidade de ler mais ed uma vez.

    Beijão e adorei seu blog =D

    ResponderExcluir
  9. Oi..

    Eu não gosto dos livros do Paulo Freire.. Mas, gostei que tu escreveu na sua resenha, pois, tens o dom da palavra. Mesmo não sendo um livro que eu vá ler.

    ResponderExcluir
  10. Oi Janaina...
    Claro que não vou te bater... Sou fã dele mas entendo muito bem quem não gosta. Eu mesmo tenho alguns autores na lista dos que não vou com a cara...hehehe

    Beijinhos
    Lica

    ResponderExcluir
  11. Não sou uma super fã do Paulo Coelho mas adoro Maktub. E pelo que você colocou na resenha esse parece ser aqueles livros que podem ser lidos a qualquer tempo para dar uma reavaliada em como as coisas estão. Gosto disso. Entrou para a lista!!!

    ResponderExcluir
  12. Embora eu tenha gostado da sua resenha, Paulo Coelho não faz meu estilo. Então, esse eu passo!!!
    =)

    ResponderExcluir
  13. Paulo Coelho é Paulo Coelho e não tem como negar seu sucesso. Eu prefiro os livros dele que são histórias completas, amei Onze Minutos. Mas pelo que você comentou, parece que vou gostar desse livro também.

    ResponderExcluir
  14. Paulo Coelho não é um dos meus autores favoritos mas admiro muito seu trabalho. Acredito que não é para qualquer um ter os feitos que ele tem, a quantidade de livros vendidos e a quantidade de fãs.
    Este livro não está na minha lista de próximas leituras, mas devo ler ele sim porque gostei dos seus comentários e de vários quotes que vi pela net.

    ResponderExcluir
  15. Sou fã do PC e não vou deixar de ler este livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  16. Nunca li um livro do Paulo Coelho *vergonha* O livro parece interessante e com certeza vou ler se tiver a oportunidade.

    ResponderExcluir
  17. Então, esse não faz meu estilo de leitura, embora pelo que li vai agradar e muito minha mãe. Do Paulo Coelho só conheço Veronika decide morrer por causa do filme, mas talvez leia esse também, não sei.

    ResponderExcluir
  18. É tão bacana quando acontece isso. De um livro literalmente cair em nossas mãos pq de alguma forma, o destino(eu prefiro acreditar que Deus) queria e sabia que precisávamos daquilo naquele momento.
    Sou fã do Paulo e nunca tive vergonha de afirmar que tenho ou leio quase tudo que ele escreve.
    Esse livro em particular, ainda não pude ler, mas ele está na lista de desejados.
    Mas sei que quando chegar o momento, ele vai vir..rs

    Beijo

    ResponderExcluir
  19. Paulo Coelho é aquela coisa, né? Tem gente que ama; tem gente que diz que não presta.
    Eu li O Alquimista (odiei), O díario de um mago (odiei também) e Brida (foi o único que consegui ler até o fim mas não achei nada excepicional), logo, eu não vou ler esse livro. De jeito nenhum!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras