Apenas Começando - Elisa Masselli

25/08/2016


Apenas Começando, de Elisa Masselli (Mensagem de Luz Editora; 350 pp.; 2011), faz parte do gênero romance, autoajuda e espiritualidade. A autora retrata de forma ímpar, inúmeras situações que causam fragilidade e consequentemente, o sofrimento humano. Abrindo portas para o desespero, para a perda da fé, da coragem e da força diante das adversidades que a vida apresenta ao longo do tempo.

Diante disto, a protagonista da história Julia, não compreende por que certos acontecimentos se apresentam diante dela. Ela própria ao longo do livro, se faz questionamentos que causam reflexões nos leitores. E é desta forma, que a autora conduz sua obra, do início ao fim.

Mantendo um relacionamento com Anselmo – casado com Suzana e pai de Rodrigo – Julia deixa-se levar pelas promessas de seu “amor”, acreditando que num futuro muito próximo, sua união seria concretizada com a separação de Anselmo, tendo em vista que este homem alega manter seu casamento, apenas por causa de seu filho.

Mesmo tendo passado por situações de abandono na infância, Julia é abençoada ao longo de sua vida adulta, ao encontrar amigas como Sueli que a acolhe e a ajuda a sobreviver de todas as formas possíveis e impossíveis. Auxiliando-a em seus momentos de fraqueza e total vontade de viver, Sueli é uma amiga que além de amparar Julia, procura ensinar através de sua própria história de vida. A passagem a seguir, mostra um pequeno diálogo entre Julia e Sueli, onde a amiga procura mostrar à Julia, que a vida sempre dá um jeito de anunciar os momentos certos e os errados, e como podemos fazer para tirar proveito da situação e reparar o que não está bem:

- O que deu errado, Sueli? Por que vocês não estão mais juntos?
- Porque aprendi que, quando estamos no caminho errado, a vida se encarrega de nos trazer de volta (MASSELLI, p. 44, 2011). 

Há constantemente em sua vida, a ajuda de amigos espirituais que a acompanham em sua jornada, se fazendo presente nos momentos mais dolorosos, onde a vontade de desistir parece ser a única saída. Estes amigos espirituais, procuram incentivar Julia, sem interferir na questão do livre arbítrio. Contudo, a presença destes amigos ao longo dos acontecimentos, estabelecem uma parceria – mesmo que imperceptível aos olhos de Julia – que culmina em aprendizado e libertação.

 O livro traz reflexões intensas sobre jamais colocar a própria felicidade nas mãos de outras pessoas. De não permitir que o outro faça decisões por nós. E acima de tudo, de ter a serenidade de saber o momento de ficar e o momento de partir. De fazer das quedas, instantes para ser humilde, resiliente, paciente e corajoso, a fim de levantar e seguir  adiante. De não deixar de acreditar no ser humano, mas ter a ciência de que são nossas escolhas que irão refletir no futuro.

O livre arbítrio é pontuado a cada sessão do livro (dividida em 31 partes). E nestas sessões, Elisa Masselli procura expressar o título que deu origem à este livro, reiterando a importância de persistir nesta vida e exercer o livre arbítrio de forma consciente, reflexiva e confiante, jamais desistindo, pelo contrário, procurar sempre persistir e ter paciência.

Para finalizar, deixo outra passagem do livro, onde Sueli dialoga com outro personagem da história e procura explicar a importância de recomeçar mesmo diante da total ausência de perspectiva:

  - É verdade, Mário. Muitas pessoas são abandonadas, mas acho que esse abandono é sempre muito sofrido. Quando isso acontece, as pessoas pensam que tudo terminou e que não existe mais coisa alguma para suas vidas, mas é um engano. A vida continua, outras pessoas aparecerão, outros amores virão. Acho que esses momentos ruins são apenas momentos e servem para o nosso aprendizado, para nos mostrar que não devemos nem podemos colocar a nossa felicidade nas mãos de outra pessoa. Somos livres para amar, para viver e, o mais importante, para recomeçar. A vida é um constante recomeço. Sempre que pensamos que tudo terminou, com o tempo, vamos ver que, na realidade, estava apenas começando. Seria bom, se todos entendessem isso. Só assim, muito sofrimento seria evitado (MASSELLI, p. 174, 2011).

Apenas Começando é uma obra que o leitor ao optar em ler, certamente ficará com algumas lições para a vida. O respeito e o amor próprio; perdoar os outros e se perdoar, enfrentar as dores e os sofrimentos que certamente virão e jamais desistir, pois quando pensamos que tudo acabou e não temos mais respostas, a vida nos mostra que estamos e estaremos sempre apenas começando.
Resenha e Imagem por:

Que tal conferir também...

31 comentários

  1. Oiii Karina, como vai?
    Menina que resenha dos deuses é essa? Faz tanto tempo que não leio um livro que contenha espiritualidade que isso só despertou meu interesse, além do mais a edição está um arraso, dica super anotada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Morgana Brunner,
      Estou muito feliz que tenha gostado! Mas o mais importante, é que tenha te tocado de alguma forma, seja despertando seu interesse, seja sentindo a necessidade de buscar algo mais. Certamente trarei mais obras neste estilo. Seu comentário alimentou o desejo de ir além!!! Obrigada e um beijo em seu coração! E lembre-se! Quando pensamos que tudo acabou, na verdade está apenas começando...

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oi, mesmo gostando da sua resenha, não consegui me conectar com a historia, não conseguiu me convencer, achei a trama meio sem graça, não fazendo o meu estilo, por isso, não leria.
    bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Thatyane,
      Lamento que não tenha apreciado. Realmente não são todas as pessoas que se identificam com este gênero literário. Outras resenhas virão e espero que de alguma forma, eu consiga incentivá-la. Um beijo em seu coração!

      Excluir
  4. Que resenha maravilhosa! Achei super interessante a autora falar sobre o livre arbítrio, acredito totalmente nisso.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Isabella,
      Assim como a autora, e o gênero literário que ela segue, ou seja, espiritualidade, autoajuda e romance, também acredito no livre arbítrio. Nem sempre é fácil exercermos de maneira consciente, aliás, é muito difícil em diversas situações que a vida nos apresenta, mas como Elisa Masselli escreve, não importa o que aconteça, estamos sempre apenas começando...
      Um beijo em seu coração!

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Karine, achei maravilhosa sua resenha fez-me querer ler Apenas Começando, você soube colocar de forma simples mas correta o quanto por mais que tenhas pedras em nossa vida não podemos desistir. A espiritualidade é algo grandioso, pois é através de nosso livre arbítrio que determinamos nossa caminhada . Amei, continue assim .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Silvana,
      Fico feliz com seu comentário e mais feliz por compartilharmos da mesma crença. Que bom que tenhas apreciado a resenha e que tenha ficado com vontade de ler a obra de Elisa Masselli. Esmorecer jamais! Pois, estamos sempre apenas começando!
      Um beijo em seu coração!

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Karine pelo ótimo texto!Você tem o domínio da linguagem escrita, e sua resenha cumpriu com o papel de instigar o leitor a querer saber mais sobre o desenrolar dessa história, entre Júlia e Anselmo. Partilho da filosofia de que devemos aceitar o conselho alheio, mas, sem deixar de ouvir e seguir nossas próprias escolhas. Uma das poucas certezas que tenho na vida, é que nunca temos que colocar nossa felicidade fora de nós mesmos. Mais uma vez parabéns e boa leitura a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Sinthya,
      Primeiramente, obrigada pelas palavras. Assim como você, concordo que nossa vida é única, e sendo assim, nossa felicidade depende de nós mesmos e não de outras pessoas. Na história de Julia e Anselmo, passaram-se muitos e muitos anos para que Julia percebesse que ele não era seu verdadeiro amor. Em muitos momentos da vida, as pessoas acostumam-se e entregam-se à espera e ao sofrimento, e desta forma, não percebem que a vida vai passando. Mais uma vez, obrigada pelo seu carinhoso comentário. Um beijo em seu coração!

      Excluir
  9. Oi Karine.

    Gostei da sua resenha, pois mostrou um livro que não conhecia. É sempre bom ler livro que contém reflexões, acho interesse e sempre que posso estou intercalando livros com tema espiritual na minha meta de leitura. Dica anotada.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Kênia,
      Fico feliz que tenha apreciado a resenha e a sugestão de leitura. Temos algo em comum! Também procuro intercalar gêneros textuais. Vou da obra espírita à ficção de uma maneira muito prazerosa. Assim como leio livros da minha área (Ensino de Ciências e Biologia e outros), também tenho ao lado da cama, diversos tipos de livros. As obras da autora Zíbia Gasparetto e Mônica de Castro também seguem o estilo de Elisa Masselli. Um grande beijo em seu coração e ótimas leituras para nós!!!

      Excluir
  10. Olá,
    Adorei a sua resenha, pois embora não curta muito livros que apresentem essa pegada de autoajuda, ela me deixou bastante curiosa com a obra.
    Achei super interessante os quotes escolhidos, principalmente o que fala sobre o caminho errado e que a vida se encarrega de nos trazer de volta. Concordo e acredito que uma força maior sempre tenta nos equilibrar quando estamos em tal caminho.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Michele,
      Fiquei muito feliz em saber que você gostou da resenha, entretanto, fico muito mais contente, em saber que despertei em você uma pontinha de curiosidade. Esta é a recompensa de uma resenhista. Como você apreciou os trechos do livro que escolhi para colocar na resenha, escolhi um especialmente para você. Espero que goste:
      -... E eu fui a única culpada. Embora soubesse que poderia acontecer, acreditei que era diferente de todas as outras mulheres, mas não sou!
      - Está se culpando, mas não deve se culpar. Porque não existem, erros ou acertos. Existem apenas aprendizados que dia a dia vamos vivendo. Isso faz parte do nosso crescimento. Quando passamos por momentos difíceis, sentimos e pensamos que o mundo vai acabar, mas não é bem assim. Mais tarde, lá na frente, vamos ver que aquilo que parecia ser tão ruim, o fim do mundo, foi o melhor que poderia ternos acontecido e, quase sempre rimos de tanto sofrimento à toa.
      Um beijo em seu coração!

      Excluir
  11. Oi Karine, tenho a impressão que esta obra não é para mim, apesar de toda a carga de "conhecimento" que ela parece trazer não me senti tetada a conhecer a história. Parece ser um obra que tem destino e leitor certo o que me exclui já que não gosto de livros no estilo espiritismo e auto ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Ju,
      Compreendo sua interpretação, mas ousarei em escrever à você, que não se exclua daquilo que ainda não entrou em contato, pelo menos não totalmente. Eu mesma tive por muitos anos, uma certa resistência com relação aos livros espíritas e de autoajuda. Diria até que um certo preconceito de minha parte. Até que um dia...
      Espere um sinal...
      Mas se realmente não acontecer, trarei outras resenhas de outros gêneros, e então irei esperar que você aprecie. Um beijo em seu coração!

      Excluir
  12. Gosto desse tipo de livro, principalmente pela presença de amigos espirituais. Mas a verdade é que enredos em que uma mulher se relaciona com um cara casado me irritam profundamente, traição é um tema que me incomoda muito, por isso passo a dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Ju,
      Realmente o tema central traz à tona sentimentos e valores extremamente fortes. Quando li a primeira vez a sinopse, também não me agradou. Para ser sincera, comprei o livro em 2012 e somente fiz a leitura este ano. Dá para acreditar? Mas ao passar as páginas do livro e ver o quanto pude aprender com relação aos amores, a família, aos amigos, ao lado profissional, enfim, percebi e compreendi porque levei tanto tempo para ler. Compreendo seu posicionamento e respeito. Espero que na próxima resenha, eu possa trazer uma história que traga algo positivo para você. Um beijo no coração!

      Excluir
  13. Olá Karine,
    Parabéns pela excelente resenha, mostrou a essência do livro de maneira tocante assim como a obra deve ser.
    Apesar de muitos questionamentos pela situação de Julia, o que me fez ter interesse na obra é justamente a situação em que se colocou e a forma que recebe as opiniões das "pessoas" que estão ao seu redor.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  14. Querida Tammy!
    Muito obrigada pelo seu comentário. Fico extremamente feliz que tenha apreciado a resenha. Quanto aos questionamentos de Julia, no transcorrer da história, compreendemos o por quê ela se coloca em situações de sofrimento, mesmo tendo ao seu lado bons e fiéis amigos físicos e espirituais que tentam fazer com que ela perceba que está mais uma vez, saindo fora de seu curso. Mais uma vez, o livre arbítrio! Mas o final é fantástico, quando ela, mesmo tendo passado por inúmeras situações de abandono e sofrimento, consegue o que a maioria dos seres humanos desejam: se libertar de algo que os aprisiona. Um enorme beijo em seu coração!

    ResponderExcluir
  15. Oiee Karine ^^
    Realmente, deixar a felicidade nas mãos de outros não dá certo. A Julia não foi a primeira pessoa a ter um relacionamento com alguém casado e quebrar a cara, né? Eu ainda não conhecia este livro, mas confesso que a premissa não me chamou a atenção, então eu acho que não o leria. Histórias sobre fé e espiritualidade não são comigo...
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Dryh Meira,
      Com certeza, não devemos deixar ninguém comandar nossa vida. Infelizmente, histórias como a de Julia, são encontradas muito mais do que imaginamos. E isso ocorre por diversos motivos, entre eles, a fragilidade, o abandono, a falta de amor próprio e a comodidade. No caso de Julia, por se tratar de uma romance espírita, as causas vão além do que escrevi. Como já comentei em outros momentos, livros de autoajuda e espíritas, são obras para serem lidas e apreciadas, somente quando sentimos necessidade. Lhe desejo ótimas leituras nos gêneros que você aprecia! Beijos

      Excluir
  16. Oi Karine!

    Gostei muito da sua analise, leio poucos livros dessa tematica mais espiritual, por isso mesmo fico muito interessada em livro com essa abordagem e principalmente quando o blogueiro recomenda, pois assim tenho uma boa opção para buscar. Eu gostei da premissa e pretendo ler, ainda não conhecia o livro e pelo que li aqui, acredito que vou gostar bastante da leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Sammysam Rosa!

      Fico feliz que tenha gostado da recomendação. Sempre é bom estarmos abertos para novas leituras e novos desafios. Seu comentário demonstrou uma leitura aberta para experimentar e vivenciar novos gêneros literários. E para mim, não há recompensa maior! Obrigada! Beijos em seu coração e uma ótima leitura para você!

      Excluir
  17. Eu acho a capa desse livro linda!!! Não é meu estilo de leitura, mas ler sua resenha me deixou pensando que ele trás mais do que uma história. As reflexões da personagem que fazem o leitor pensar também me deixa bem curiosa para arriscar - principalmente a parte em que você comenta sobre a hora de ficar e a hora de partir... As vezes é tão difícil seguir, mesmo sabendo que não se deve ficar.
    Beijinhos,
    Aline

    ResponderExcluir
  18. Querida Aline!

    Primeiramente, quero agradecer pelo seu comentário. Fico muito feliz com suas palavras. Realmente a capa é linda! E quando comprei o livro, ele se destacou entre os outros que estavam à sua volta. As reflexões são intensas e em certos momentos, nos fazem ler, parar, reler, refletir e nos questionar a respeito de muitas coisas. Que bom que ficou curiosa!!! Esta é a intenção! Quanto ao fato da imensa dificuldade que temos de partir em alguma ou algumas situações da vida, digo à você o que sempre repito para mim: se ficar significa me machucar no futuro, mesmo que o agora esteja bom, eu prefiro partir e arriscar. A felicidade é feita de momentos e nós, somente nós somos responsáveis pela nossa felicidade!!! E lembre-se! Sempre estamos e estaremos Apenas Começando...
    Um grande beijo em seu coração!!!

    ResponderExcluir
  19. Oie, Karine!
    Essa história me parece ser daquelas que ressaltam o poder de nossas escolhas e o fato de que a vida é um processo de constante aprendizagem. Deve ser uma história muito bonita!
    Beijinhos
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Anna!

      Tens total razão! À cada página do livro, há uma descoberta, um aprendizado, uma reflexão e algumas lágrimas. É impossível não nos colocarmos no lugar de alguns personagens do livro. Vou lhe confessar algo. Tenho a mania de ler os livros e marcar com lápis de cor a frase ou o parágrafo completo, daquilo que me chama a atenção de alguma forma. Pois bem, não passou uma sessão das 31, que eu tenha deixado de marcar algo. Obrigada pelo seu comentário! Beijo grande em seu coração!

      Excluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras