Uma Estranha Simetria – Opiniões

25/07/2011

Sinopse

CapturarDepois de uma elogiada estreia literária, Audrey Niffenegger escreve em seu segundo romance sobre a relação entre irmãos gêmeos. A história de Uma Estranha Simetria gira em torno da morte de Elspeth Noblin, que se transforma em um fantasma. 

Quando Edie, a irmã gêmea de Elspeth, recebe a notícia de sua morte, vem junto uma surpresa: ela deixou para as sobrinhas o seu apartamento com vista para o imponente cemitério Highgate, em Londres - com a condição de que as duas vivam lá por um ano. Quanto a Edie e seu marido, Jack, o testamento estipula que não podem acompanhar as meninas na mudança nem entrar no apartamento. 

As gêmeas Julia e Valentina, de 20 anos, têm uma forte conexão, como se espera de irmãs condicionadas à presença uma da outra desde o útero. Situação muito diferente da que vivia sua mãe e sua tia, Elspeth: não se viam há 21 anos, e viviam a um oceano de distância. As meninas nunca tinham estado em Londres. Nunca haviam saído dos Estados Unidos. Londres era a terra de sua mãe, mas Edie e Jack raramente falavam sobre o assunto. Agora, Edie era americana - tinha se tornado nativa, ou quase isso. A família Poole morava em um subúrbio de Chicago que fingiu, em seus primórdios, ser uma aldeia inglesa. 

Minhas Opiniões

Quando fiquei sabendo do livro, fiquei empolgadíssima... Participei de inúmeras promoções, ficava namorando-o na vitrine da livraria e sempre buscava saber mais sobre o livro (mas sem ler direito nenhuma resenha por medo de spoilers...rs).

Por uma coincidência enorme, acabei ficando com dois livros (ganhei em uma promoção e de "presente” da Suma) e fiquei com um certo medo de ler… Isso mesmo, eu estava com tanta vontade de ter o livro e quando finalmente ele estava em minhas mãos eu comecei a enrolar antes de abri-lo. Incrível como as vezes eu fico com medo de alguns livros…

A expectativa com esse livro estava tão grande, mas tão grande que acho que seria quase impossível não me decepcionar um pouquinho... Terminei de ler o livro uns dias e ainda não sei se vou conseguir colocar em palavras o que eu senti e o que eu achei, mas vou tentar.

A história começa com a morte de Elspeth. O que deveria ser o fim de sua vida na verdade é o começo de toda a história criada por Audrey. Não vou entrar em muitos detalhes, acho que a sinopse conta tudo o que é preciso saber antes de começar a história, apenas vou fazer alguns comentários sobre o que senti lendo o livro. 

O relacionamento de Julia e Valentina é intrigante. Elas são gêmeas simétricas, uma é exatamente o espelho da outra, tanto na personalidade quanto no físico (Valentina tem os órgãos do corpo espelhado ao normal, por exemplo seu coração está no lado direito). Elas fazem tudo junto, uma sabe exatamente o que a outra está sentido e nunca falam por si mesma. É sempre um '”nós gostamos, nós vamos, nós queremos” e por horas isso parece um relacionamento de irmãos perfeito, mas conforme fui lendo a falta de individualidade de cada uma foi me parecendo um tanto quanto doentio e em determinados momentos é cansativamente repetitivo o fato delas serem gêmeas idênticas. Talvez por isso eu tenha torcido mais por Valentina quando ela começa a querer ter uma vida própria e juro que não esperava o final. Por mais idiota que pudesse ter sido a ideia dela, fiquei de queixo caído com o rumo que a história tomou…

Eu preciso dizer que adorei isso. Livros que não caem na “vala comum” as vezes nos fazem ter raiva, não gostar e coisas assim, mas mesmo sentido uma ponta de não querer o que acontece com as personagens e quase chegar ao ponto de não gostar do livro, vejo que isso é o melhor da história. Fazia tempo que não lia algo que me prendesse de um determinado modo e que fosse destruindo todos os meus pensamentos.

Apesar de parecer que a história vai girar somente entre Julia e Valentina (e mesmo que isso realmente aconteça na maior parte do tempo), não há apenas uma unica ação no comando do livro e sim pequenas ações que vão se entrelaçando, onde personagens que seriam de certa forma secundários fazem toda uma diferença no decorrer da narrativa.

Robert não se abriu totalmente para mim, e me instigou a passar páginas pensando quem realmente ele era e porque tomava certas decisões. Por muitas vezes imaginei ele sendo muito mais velho devido a suas atitudes e me surpreendi demais ao saber que a diferença de idade dele e das gêmeas nem é tão grande como imaginava. Ah, e a narrativa que a Audrey dá a ele quando está no trabalho, falando do cemitério Highgate me deu um motivo a mais para querer visitar Londres. Eu adoro lugares históricos e fiquei bem curiosa em querer ver alguns dos detalhes citados pela autora.

Outros personagens que chamam a atenção são Martin e Marijke. Martin mora no apartamento em cima das gêmeas e sofre de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). Marijke, sua esposa, o abandona e vai morar em Amsterdã após a morte de Elspeth por não ver perspectiva de melhora para ele (até porque ele se nega a tomar os remédios). O relacionamento dos dois é “interrompido” e pelas atitudes de Marijke penso que ela escolhe tomar esse rumo mais por cansaço do que por falta de amor. E o relacionamento de Martin com Julia me deu a dica que, apesar de suas “loucuras”, não tinha como Marijke não se apaixonar pelo marido.

Engraçado perceber que mesmo estando em boa parte do livro, Elspeth não me conquistou a ponto de eu querer falar dela. Ao menos não sem contar o final do livro, então vou me limitar a dizer “leia e descubra” =)

Em um primeiro olhar, Uma Estranha Simetria parece ser aquele tipo de livro que vai falar somente sobre irmãos gêmeos e as semelhanças e diferenças entre eles, mas não. Mais do que isso, é uma história sobre sentimentos, sobre obsessões, sobre todos os “vai e vens” da vida e de como reagimos aos fatos. Um livro onde vemos o amor exposto de modo diferente do convencional, onde ele não consegue explicar todos os atos tomados por seus personagens, onde ele se mostra frio e doentio impossibilitando ser sentido em sua plenitude pois é colocado de lado pelo medo de perder, pelo medo de tentar…

É um livro estranho, diferente e cruel onde o que parece nem sempre é. Um livro que fala de fantasmas de uma maneira diferente, que me fez pensar que nem todos os fantasmas que temos e convivemos são fantasmas propriamente ditos, onde morrer não é necessariamente o fim. É um livro que de não há bem e mal, não há mocinhos e bandidos pois ninguem é 100% bom o tempo inteiro. As personagens são descritas com atitudes boas e atitudes ruins e é isso que mais encanta no livro.

licavargas ass444

 

 

ficha uma estranha simetria

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

2 comentários

  1. Estou louca por esse livro...
    Bom saber que você gostou, isso me deixa um pouco aliviada, porque minhas expectativas também são grandes.
    Espero lê-lo em breve...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do título... E por se tratar de um livro que fale sobre gêmeos! Sempre quis me aprofundar nisso. E todos os outros aspectos citados despertam muito a vontade de ler. Porque não fica só no relacionamento entre irmãos gêmeos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras