Resenha 'Confissões de um turista profissional' - Kiko Nogueira

07/12/2011

Boa tarde leitores!


Um breve intervalo nas tarefas do dia para trazer a vocês minha opinião sobre o livro 'Confissões de um turista profissional'.




"Quem gosta de viajar, e viaja mesmo (isto é, não faz turismo pra inglês ver), sente uma vontade danada de falar a verdade sobre os lugares que visitou.

Coisas como: vale a pena todo aquele trabalho no Louvre para não ver a Monalisa? Existe algum lugar mais insalubre do que uma barraca de praia no Nordeste? Ou ainda: por que o Brasil precisa de mais uma obra de Oscar Niemeyer, o veterano arquiteto que deixa um rastro de concreto aonde quer que vá?

Mas falar essas coisas é, no mínimo, tornar-se um chato. Pois Jota Pinto Fernandes, alter ego de Kiko Nogueira, é o chato que vive em cada viajante. 
Corajoso e desbocado o suficiente para dizer o que as agências e seu amigo que acabou de chegar de Nova York nunca falarão.

Escrito pelo ex-diretor da revista Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas, da Editora Abril, Confissões de um Turista Profissional é uma leitura para quem quer olhar as lindas fotinhos no celular, na volta daquele pacote inesquecível, e pensar: “E não é que era isso mesmo...?



Sobrou um tempinho na hora do almoço? Tá precisando de meia hora longe de tudo e de todos? Precisa rir um pouco? Ok, leia este livro então!


Ok...Vamos deixar claro o seguinte: é um compilado de textos de uma coluna de jornal, sobre viagem (?) falando sobre alguns lugares do mundo (incluindo o Brasil) e algumas curiosidades. De leitura dinâmica e fácil, se pode ler este livro em 30 minutos se quiser, sim. É divertido e direto, mas não acrescentou nada para o meu conhecimento em viagens... Estranho? Um pouco. Porque um livro onde se lê: 'sente uma vontade danada de falar a verdade sobre os lugares que visitou'... sente-se tentado a ler para ver o que pode haver de tão extraordinário em confissões de um cara que já viajou o mundo todo. O que ele pode trazer de divertido e o que isso pode resultar em uma mudança de itinerário nas próximas férias. Bom, posso lhes ser sincera? Nada. Há muita contradição, pouco desbocamento (essa palavra existe?) e muita política. Sim, pra quem ainda não leu o livro e não quer ficar perdido em alguma piada do Kiko deve estar ao lado de um computador para pesquisar alguns eventos (tive de fazer isso pelo menos 3 vezes...). Ficou a sensação de estar incompleto...


Não sei, mas devo confessar que esperava mais de um livro com textos do Kiko. Já acompanhei algumas coisas dele desde a faculdade e sempre gostei da sua escrita e de seu alter-ego também. Me pareceu que ele não teve paciência para terminar e deixou pela metade... poderia ter mais crônicas e não, não precisaria ser cor-de-rosa para me prender (adoro um sarcasmo!). Ácido sim, de má vontade não!

Não perca a oportunidade de ler e se eu estiver errada, por favor, venham me dizer...

Abraços!






Que tal conferir também...

3 comentários

  1. Nossa, tem um tanto de gente falando que esse livro poderia ser melhor. Comecei a ler ele, e achei meio incoerente com o nome. Gosto muito das suas resenhas por ser sincero(a), falando o que realmente achou do livro sem preocupar com a satisfação da editora, parabéns!!!

    http://entrepaginasdelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu já tinha ouvido falar no livro, mas ainda não tive a oportunidade de ler... mas pelo visto, merece pelo menos uma olhadinha...
    p.s.: adoro suas resenhas!

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu quero ler ele... Primeiro porque quero ir pro exterior agora em 2012 e segundo porque parece ser interessante e bem humorado!!! Adorei a resenha!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras