Resenha 'O Incêndio de Troia' - Marion Zimmer Bradley

13/12/2011


"Em O Incêndio de Troia, Marion Zimmer Bradley, autora de As Brumas de Avalon, recria a história da Guerra de Troia – e a narra a partir do ponto de vista de Kassandra, bela e atormentada princesa de Troia.



Na brilhante recriação que autora faz da famosa lenda, a queda de Troia acontece de uma forma nova e ousada, desde a provação de Páris, o rapto de Helena (neste livro, não a cruel adúltera da lenda, mas uma mulher afetuosa, dedicada a Páris e aos filhos) e a convocação dos exércitos gregos por Agamenon, o enfurecido cunhado de Helena, à tragédia final da destruição da cidade, condenada pelos deuses – e pelo orgulho voluntarioso de seus líderes.



A heroína deste épico é Kassandra, e a forte tensão do romance provém tanto da luta interna desta com seu sentimento de lealdade dividido (pois sua lealdade ao pai, o rei, e aos irmãos é contraposta à crescente fidelidade à velha fé no matriarcado e na Mãe Terra) quanto do sério conflito entre gregos e troianos, no qual ela – abençoada, ou amaldiçoada, que é com o poder da profecia – prevê de forma obsessiva que tudo aquilo que mais ama será destruído.

O romance começa com o nascimento de Kassandra e de seu irmão gêmeo Páris. Este é criado por uma família de pastores, em virtude de uma profecia de que gêmeos trazem má sorte. Kassandra cresce sem sequer saber da existência do irmão – a não ser pelas visões inexplicáveis em que enxerga os ventos através dos olhos dele... Sua mãe, a rainha Hécuba, era uma amazona antes de se casar, e quando Kassandra está prestes a se tornar mulher, é enviada para passar um ano com as tribos das amazonas, onde toma conhecimento dos poderes das mulheres antes que estas fossem subjugadas por uma nova onda de patriarcado. Ao voltar para Troia, Kassandra dedica-se a tornar-se sacerdotisa de Apolo, o Deus-Sol; mas, dentro dela, desenvolve-se um conflito forte e perturbador entre os “velhos costumes”, em que as mulheres mandavam e a religião originava-se da Mãe Terra, e o novo mundo de deuses e reis do sexo masculino – um mundo caracterizado por disputas sem sentido e uma ânsia de sangue que levam ao cerco de sua amada cidade." (Imago Editora)

"Misturando lenda e fatos arqueológicos, os mitos dos deuses e os feitos dos heróis, fato e ficção, Marion Zimmer Bradley dá nova vida a uma história clássica, recriando para nós Aquiles (ou Akiles, como prefere a autora), Enéias, Heitor, Pátroclo (ou Pátroklo), Helena de Tróia, Odisseu, Agamenon, Menelau, como pessoas vivas, empenhadas numa luta desesperada que condena tanto vencedores como vencidos, sendo o destino destes visto pelos olhos de Kassandra, sacerdotisa, princesa e mulher impetuosa, com espírito de guerreira." (Contra-capa do livro)

Pois então. Escrever sobre uma autora que eu adoro é dificil. Mais dificil ainda é escrever sobre um livro tão intenso. Pra quem leu 'Ilíada' não deveria se surpreender com a história e os personagens de Marion, mas ela deu um jeito de dar uma versão muito interessante sobre  tema...

O que posso lhes dizer é que realmente se trata de uma mistura gigante! Eu já estou pra lá de cansada em ler romances históricos, que ousam na ficção dentro da história que aprendemos nos livros, nos filmes ou em canais como Discovery Civilization e History, mas ela 'ahazaaa'! Me confundi toda no começo. Uma delícia de narração (porque consigo enxergar tudo que ela descreve com perfeição e depois do primeiro capítulo não se precisa mais falar os nomes das personagens, pela atitude de cada um já se sabe quem é...) os detalhes são magníficos e os diálogos inteligentíssimos.

Quando um livro me prende, quando a história gruda, quando consigo ler com vontade e que parar de ler exige muito sacrifício (afinal é preciso ir dormir...) eu  'babo' mesmo! Rasgo seda sim! E não por ser da parenta (a Ane e o Gui são Zimmer também), nem pelo estilo (já li muitos que deixaram a desejar em seu contexto fato x ficção), o livro dela me encantou.

Alexandra é chamada pela mãe de Kassandra e é o ponto de partida para esta aventura.

Magia, amor, desejos, casamentos arranjados, diversos deuses, conflitos internos e externos, pilhagens, guerra, preconceito, alineação, tudo que um bom romance histórico pode apresentar. Quando falo de magia, não falo de varinhas e levitação, falo de conectividade com o divino; Quando falo de desejos, amor e casamento, não falo do modo como enxergamos tais questões hoje. Quando falo de deuses e conflitos, não falo de guerras para empunhar a bandeira de uma religião; e por fim, quando falo de preconceito e alineação, não falo das besteiras hipócritas no que os seres acreditam em nosso tempo. Uma lição de humildade (Kassandra) e de sacrifícios, escolhas que nos levam aos nossos maiores medos e para isso não precisa-se de um deus específico para lhe advertir. Escolhas erradas nos levam ao caos interno que se espalha por todo o exterior... 

Quotes:

"- Ninguém procura ser eleito; são os deuses que nos escolhem, não somos nós que os procuramos para oferecer nossos serviços." (Imandra)

"- Estou zangada por me descobrir cercada de idiotas e a sua única solução é me transformar em mais uma." (Kassandra)

"- Se eu ao menos pudesse tê-lo, não teria a menor importância o que me acontecesse depois." (Kassandra)

"O solo parecia tremer gentilmente sob seu corpo; enquanto resvalava para o sono, esperava que os anéis da serpente também a envolvessem."

"- O fato de eu ter visto o mal não significa que eu o causei." (Kassandra)

a história de Kassandra reforça que uma pessoa pode passar pelas situações mais adversas desta vida sem se corromper, sem perder a personalidade inata e sem abandonar seus ideais e sonhos... é claro que eu vou ler de novo, assim que puder!

O que acharam? Gostaram das minhas impressões? Então corre par ler o livro! se você gosta de confrontar fontes sobre uma mesma história, eis um ótimo motivo para ler 'O Incendio de Troia' já.

Até a próxima, Saelnautas.





Que tal conferir também...

5 comentários

  1. Li o livro quando estava no começo da faculdade. Lembro que um amigo emprestou e dalou maravilhas sobre ele. Estava certíssimo, é apaixonante ao extremo.
    Já comprei essa nova edição e está em casa esperando para ser relido.
    Bjkas!

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  2. Ai que delícia de resenha! E o livro deve ser uma delícia também!!! Adoro certas recriações, principalmente desse tipo!!! Com certeza leria! mas ainda preciso ler As Brumas de Avalon dela!

    ResponderExcluir
  3. Esse quote mexeu comigo

    "- Ninguém procura ser eleito; são os deuses que nos escolhem, não somos nós que os procuramos para oferecer nossos serviços." (Imandra)

    Nossa, parece ser um livro fabuloso. Já resisti a comprar 'As Brumas de Avalon' dezenas de vezes, preciso ler algo dela.

    Beijos
    @LeitoraIncomum

    ResponderExcluir
  4. Show a resenha. To ansioso para poder ler este livro nas férias se conseguir. A lista é grande.

    ResponderExcluir
  5. Adorei este livro e as brumas de avalon tambem, belissimas lendas da deusa mãe que mesmo com a nova era nos transformam como mulher ate hoje...Otimo.. indico a todos..

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras