[Resenha] Garotas de Vidro - Laurie Halse Anderson (@Novo_Conceito )

18/12/2012

Desconcertante.

Olá Saelnautas!
Algo já fez você quebrar? Alguma vez você já escreveu uma resenha chorando? Ou terminou um livro sentindo uma dor gigante? Angústia, já? Pois é tive 'problemas' com este livro...

Garotas de vidro - a verdade nem sempre é o que enxergamos foi um livro desconcertante pra mim.   Pensei muito de como escreveria hoje: se fugiria dos meus sentimentos ou assumiria o que aconteceu de boa... e querem saber, acho que posso ser um pouco desagradável. Não, não em relação a história (li GV em 2h! E reli ontem antes de escrever a resenha). Tem relação pessoal, do estado de melancolia amortecida que fiquei depois de ler. Não consegui sorrir por no mínimo meia hora. Mexeu demais comigo.

Sou uma mulher grande, sempre fui, mas no último ano cheguei ao meu limite de peso. Aquele das dores nos joelhos e falta de ar. Imaginar uma pessoa que se destrói não comendo, que é o caso de Lia, é ter que admitir que eu me destruo comendo. A mesma visão dela ser linda magra demais é minha visão de ser linda sendo gorda demais. É uma máscara. Uma mentira. É uma maneira de não ver outras coisas que te detonam. É o jeito fácil de se machucar. Não tem marcas, pois te rotulam de algo e você deixa om que acreditem naquilo e você vai se transformando num monstro....

"Eu poderia dizer que estou animada, mas seria mentira. O número não importa. Se eu chegasse a 32, iria querer 29. Se eu pesasse 4,5, não ficaria feliz até chegar a 2,25. O único número que seria suficiente é zero! Zero quilos, Zero vida, tamanho Zero, Zero duplo, Zero e ponto. Zerado é sinônimo de estar pronto para tudo. Agora eu entendo."

Eu entendi a história dela porque me afeta diretamente. Sou o extremo oposto da balança. Também tento me cegar e me enganar todos os dias pra viver dentro de uma meta que não é saudável. Tentar se convencer todos os dias de que isso é normal, bonito e que estou bem é a parte mais difícil porque eu sei que estou mentindo... Ai você lê uma história recheada de várias histórias, fatos reais, e pensa o quanto é tentador se enganar. O quanto é enebriante brincar de se machucar. Machucar quem está ao redor acaba sendo um bônus. Quando alguém enxerga por você e te conta com um livro - uma de suas paixões, uma das suas fugas já que nos livros ninguém te julga pelo seu tamanho - você morre. Na verdade, é seu personagem que morre. aquele que você criou como escudo pra se esconder atras... Minha personagem morreu.  

Depois de ler GV, eu comecei a achar os livros de tamanhos da Meg Cabot uma piada. Fui desconsertada  quebrada como toda garota de vidro deve ser, mas minha quebra veio da maneira correta: veio em forma de auto reconhecimento e assumindo o que acontece antes que seja tarde demais. 

"Do que é que eu tenho medo? Por que eu não consigo nem querer ficar melhor? Quando eu sou eu e quem eu seria se fizesse o que eles querem?

Como na história do livro, eu estou na perigolândia. Ela chega lá pelo menos, eu estou nele pelo mais. Não é uma zona de conforto mas nos enganamos para que pareça que sim. Chegar no que é saudável, não no que é padrão. Eis a diferença. Eis o caminho.  

Para mim, um livro-espelho: não conta sua história, não fala sobre você mais abre seu olhos pra enxergar exatamente aquilo que você não queria ver...

Garotas de Vidro
(Wintergirls)

Sinopse: "Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda. Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos."




Prefiro garotas geladas, ou garotas de gelo, ia condizer mais com a história e com o título original. É preciso ter sangue frio para fazer o que fazem....

Quem tiver acesso ao livro, leia. Não vai se arrepender. Como eu digo sempre: cada livro conta uma história diferente pra pessoas diferentes. Qual é a história que este livro pode te contar?


Que tal conferir também...

17 comentários

  1. Livro que me faz chorar...tô fora!
    Não duvido que a história seja linda, mas não tô na fase pra esse tipo de história. Quem sabe no ano que vem, né?

    ResponderExcluir
  2. Ganhei esse livro, mas estou protelando a leitura.
    Já li vários comentários sobre o quão forte e depressiva essa leitura pode ser...

    Que bom que pelo menos serviu de alerta para vc. Espero que solucione essa situação o mais rápido.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  3. Estou emocionada até agora com a sua resenha. Do mesmo jeito que você precisou reler o livro para assimilar, eu o fiz com suas palavras.
    Primeiro, parabéns por ter coragem de se expor. Hoje em dia as pessoas se escondem atrás de máscaras de "está tudo perfeito comigo" e nunca reconhecem a possibilidade de ter "algo errado".
    Segundo, desde que vi este livro pela primeira vez, estou com vontade de ler. É difícil reconhecer onde está o problema e mais ainda tomar uma atitude para mudar as coisas.
    Espero que a autora tenha tido sensibilidade, pé no chão, mas sem tirar as esperanças das pessoas que passam por qualquer tipo de distúrbio alimentar.
    E outra coisa, acho que livros bons mesmo são capazes de mudar vidas. Espero que este seja um marco zero para você. O primeiro passo você já deu, agora é se fortalecer para mudar. Vou torcer muito por você e espero que consiga transformar esta situação ruim em algo bom no futuro.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Gisele, querida. Que relato lindo, sensível e profundamente tocante! Nunca imaginei que esse livro pudesse falar tanto e para tantos olhares distintos...
    Como vc estou na luta contra o sobrepeso. Este ano foi muito bom pra mim, enfim saí da obesidade e estou quase na normalidade. Entendo perfeitamente o que vc diz sentir.
    Ganhei o livro mas não recebi ainda. E jamais imaginei que pudesse ser tão especial assim. Quero ler já, assim que chegar.
    Um grande beijo pra você e, se quiser trocar ideias sobre o que falamos, me procure no Face, no twitter ou Skoob. Será um enorme prazer!

    ResponderExcluir
  5. Esse não é um livro que está nas minhas pretensões de leitura, mas não significa que eu não reconheça o valor do tema que está sendo discutido. Infelizmente estamos em um mundo onde a aparência é super valorizada e principalmente os adolescentes sofrem com cobranças que nem sempre fazem sentido, são baseadas em estereótipos de perfeição que julgam ser os ideais. Mas concordo com você: padrão é uma coisa e saúde é outro bem diferente. Então, um livro com essa temática é muito importante porque discute um tema atual, sério e que acontece com muita frequência. Parabéns pela sua sinceridade, coragem e vá em frente, não desista nunca da sua saúde.

    ResponderExcluir
  6. Primeiro já sei que a leitura não é facil, que a laurie halse tem uma escrita mais rebuscada e talz. Mas o tema é interessante e diferente, eu me interessei. Sobre o titulo do livro não tem problema o original em ingles é ''Winter Girls'' que na tradução literal seria garotas de inverno e faz referencia claro a temperatura das garotas, mas o tradutor brasileiro tradução para garotas de vidros que ai nao tem nada a ver e nao concordo tambem, mas a autora em si pensou certo quando criou. Eu não sei qual historia esse livro pode me trazer ainda só quando ler haha

    ResponderExcluir
  7. Sinceramente, esse tipo de romance não me agrada mais. Mudei muito de estilo.

    ResponderExcluir
  8. Oi..

    Adorei a sua resenha.. Faz muito tempo que falo que vou ler esse livro, mas nunca leio.. E quando foi lançado estava desesperada para poder ler.. Mas, todos os meses tem vários lançamentos maravilhosos e alguns livros vão sendo deixados de lado e foi o que aconteceu com esse.

    ResponderExcluir
  9. Eu li esse livro a neses atrás e gostei muito dele.. E concordo com você porque fui as lágrimas também.. Gostei muito da sua resenha..

    ResponderExcluir
  10. Agradeço e aprecio muito os comentários positivos. É bem dificil admitir que se passa por um problema. Agora vou dar meus passos adiante! Valeu mesmo pelas palavras de força... e não é um romance, caro Francisco, acho que vc se enganou! rs

    ResponderExcluir
  11. Acho que a leitura também vai servir de alerta para mim, ganhei esse livro, mas ele ainda não chegou. Vou ler ele assim que chegar!

    ResponderExcluir
  12. Eu ganhei esse livro em um sorteio, mas ele ainda não chegou ;/ Confesso que estou bastante ansiosa para ler. Apesar desse tema bem forte que eu não curto muito, ele me interessou bastantes, principalmente porque eu tenho visto muitas resenhas positivas.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Gisele!
    Eu tenho este livro e morro de medo de lê-lo porque sinto que vai me afetar tanto quanto te afetou... desde a adolescência vivo brigando com a balança, ou seja, estou mais ou menos no extremo oposto também.
    Gostar de livros fortes, eu até gosto, mas geralmente eles me levam de volta a um estado de depressão e melancolia que eu não quero, de jeito nenhum, voltar a estar. Por enquanto ele fica na estante. ^_^

    Beijos!
    PS: e força! saia da sua zona de conforto. Eu sei que não é fácil, mas é possível ainda que seja uma caminhada longa (e cansativa...).

    ResponderExcluir
  14. Acredita que ainda não li? Nossa, agora que lembrei do pobrezinho. Preciso ler!!! Gostei desse livro, a história é bem legal.

    ResponderExcluir
  15. Achei essa resenha bastante corajosa da sua parte. Fico feliz quando um livro consegue atingir o leitor diretamente e nos faz abrir os olhos para alguma coisa. Confesso que, assim como você, estou bem acima do peso ideal.
    Não sou muito fã de histórias mais densas, mas às vezes é bom tomar uns choques de realidade. Se tiver oportunidade, lerei, sim!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  16. Fiquei muito comovida com o seu relato, as vezes mentimos para nós mesmos tentando acreditar que está tudo bem e de repente nos deparamos com um choque de realidade. Quero muito ler este livro.

    ResponderExcluir
  17. Que resenha sensível e muito tocante. Confesso que não imaginava que o livro pudesse tocar tanto assim. Vou incluir em minha lista de leituras ;D

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras