Lentes Mágicas #5: As vezes, babar é preciso!

01/06/2011

Neste dia de Lentes Mágicas vou escrever sobre o filme “Cão de Briga”. Mas não por que é um filme extraordinário, magnífico ou qualquer coisa do gênero. Claro que não, este filme está aqui perdido por causa de aniversário.


Oras, o aniversariante não é nem o protagonista, mas adoro os trabalhos dele. Parece que todos as personagens que já fez foram escritas para ele! Procure na locadora, deveria ter uma sessão só para ele: Morgan Freeman. Achou que era um galã desses que todas as memninas são apaixonadas? Ou então os quarentões mais bem pagos e bonitos do cinema? Não. Meu ator preferido é bom! Trabalhando! Se ele está trabalhando, seja como principal seja como coadjuvante, pode alugar sem medo, o filme será ótimo! Já ficou visível que tenho uma quedinha por ele? No bom sentido é claro! Vamos ao que interessa, o filme “Cão de Briga”.





Ficha técnica: 
Título no Brasil: Cão de Briga
Título Original: Danny the Dog / Unleashed 
Gênero: Ação 
Tempo de Duração: 102 Min 
Ano de Lançamento: 2005
Direção: Louis Leterrier 
Roteiro: Luc Besson, Robert Mark Kamen
Fotografia: Pierre Morel



CAPAS:



O filme conta a história de Danny (Jet Li), um homem (ou melhor) um escravo tratado como um cachorro, treinado para atacar desde os 4 anos de idade, literalmente um cão de briga, controlado por uma coleira. Foi criado desta maneira por Bart (Bob Hoskins), seu tutor, para brigar em ringues ilegais em troca de dinheiro. Danny é sua arma letal, capaz de se atirar sobre qualquer um, após uma simples ordem, sem lhe dar a menor chance de defesa ao oponente.

Isolado do mundo, Danny não tem outra escolha que não aceitar essa existência de animal, até que, por acaso, a coleira estraga num acidente de carro que deixa Bart em coma e ele fica perdido pelas ruas onde encontra Sam (Morgan Freeman). Sam é um pianista cego que ganha a vida como afinador de pianos e acolhe Danny, o faz descobrir (ou lembrar) uma humanidade que até então lhe era desconhecida e até mesmo proibida, usando da música. Ele sente alguma atração pelo piano, quer tocar nele e aprender a tocá-lo. Nisso entra a personagem Victória (Kerry Condon), nora de Sam, que treina piano todos os dias na casa do sogro. Através disto, a percepção de Danny sobre a vida muda completamente. Ele lembra do que lhe aconteceu aos 4 anos (onde sempre tem imagens desconexas em desadelos recorrentes) e sai a caça de Bart e seu comparsas, que preferem vê-lo morto a deixá-lo livre. Imagine só, uma maquina de matar atras de você!

Para escapar da condição de animal de estimação valioso e mortal, Danny teve que se libertar sem deixar de proteger aqueles que constituem a sua nova família. Essa busca pela liberdade será seu último combate, de longe o mais perigoso...


O filme tem um ótimo balanceamento entre a ação e o drama. A trilha sonora é o ponto fraco do filme, exceto pelas cenas em que o piano é tocado. Já a fotografia é maravilhosa, principalmente nas muitas cenas de ação onde a edição deve ser primorosa para não deixas o filme piegas.

ps: Sabe que eu acabo de notar? Que eu criei um tema pro primeiro post de cada mês: falar sobre meus preferidos. Abordaremos esse assunto outro dia.

Eu poderia ter falado de muitos outros filmes de Morgan Freeman, mas esse é só um dos exemplos de quão versátil este ator é. Adorei ele em “Menina de Ouro” que inclusive foi onde ele levou a estátua dourada pra casa. 




Ele apaixona qualquer um com sua representação. Pode até ser que você deteste um ou outro filme em que ele esteja no elenco, mas sempre haverá uma ressalva ao trabalho dele. 




Nosso presente de aniversário pra este galã de 74 anos é gastar um pouco do nosso tempo com seus filmes. Não sou muito de ficar babando, mas percebi que se eu ficar falando sobre ele vou babar demais. Vou terminar o post antes que minha baba molhe o teclado e estrague meu note!

Não esquecendo de que semana que vem começa o tema do mês de junho. Aceito sugestões de filmes... ah, verdade! Ninguém sabe qual é o tema! Vou manter o sigilo, tá? Apareçam quarta, comentem hoje. Fique a vontade! Afinal, a gente escreve pra você!

Que tal conferir também...

8 comentários

  1. Já vi esse filme, e é muito bom mesmo.
    O Morgan Freeman , é mesmo ótimo, mas não chega a ser meu ator preferido, acho que nem tenho na verdade.
    Nas cenas em que tocavam piano, eu tinha vontade de chorar, mas isso quase sempre acontece quando escuto piano --'
    fiquei curiosa sobre o tema *-*
    :*

    ResponderExcluir
  2. Nunca ouvi falar desse filme!
    Fiquei super curioso com o tema...
    Na verdade, eu já ouvi =P ( Subi a página pra ver o nome do filme e ler o post ¬¬').
    Mas não assisti! Parece ser bom, mas não faz muito meu gênero de filmes!

    ResponderExcluir
  3. Nunca ouvi falar desse filme. E não é um filme que faça muito o meu gênero... Porém assistiria pelo Morgan Freeman de quem gosto muito como ator!

    ResponderExcluir
  4. Não lembro de ter assisto esse filme ... mais já assisti outros tantos com o Morgan ... e MEU DEUS ele é bom mesmo ...

    ResponderExcluir
  5. amei! eu ja vi este filme, no começo fiquei meio receiosa para assistir por que ele nao é do tipo que eu vejo, mas depois que eu assistir eu adorei!
    valeu a pena ♥

    ResponderExcluir
  6. Nunca vi, mas já ouvi ótimos comentários sobre ele e morro de vontade de vê-lo, o probelma é que eu sempre acabo esquecendo com a correria do dia a dia e porque eu tb raramento vejo filmes, mais lançamentos. O Morgan Freeman é um ótimo ator, mesmo, a atuação dele no filme qaue eu não lembro o nome (mas é um que ele faz umas coisas de uma lista antes de morrer) foi ótima, mesmo!

    ResponderExcluir
  7. Já assisti esse filme e gostei muito... já o Morgan Freeman dispensa comentários, né? Talentosíssimo... Sou super fã dele!!!

    @BobbyDupeaGirl

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras