O Caso Laura - Minhas Opiniões

16/06/2011

 
 

Sinopse

"O Caso Laura" conta a história de um detetive particular contratado para investigar os encontros que Laura mantém com um homem misterioso. Inicialmente, as gravações das conversas da protagonista com o estranho não revelam nada de espetacular; mas quando o investigador passa a seguir o enigmático sujeito, revelações conduzem a narrativa para o desfecho.





Minhas Opiniões

Sabe aquela narrativa de linguagem simples, com uma leitura que flui deliciosamente, mas que ao mesmo tempo carrega a complexidade de entrelaçar tramas cujo tema principal é a solidão humana? Então, O Caso Laura é assim. Um romance dark policial carregado de surpresas.

Laura é uma bela mulher atormentada pelas tragédias em sua vida. Carrega em seus pulsos as marcas de atentados contra sua própria vida. Abalada pela doença de seu pai, que está em coma em uma cama de hospital, a mulher parece ainda se agarrar à vida por medo de desapontar o pai e por causa de uma nova amizade, com um homem chamado Miguel, que de alguma forma age como um remédio para o seu tormento. Acontece que as conversas entre Laura e Miguel, sempre no mesmo banco de uma praça, enquanto a mulher almoça um rápido lanche, passam a ser ouvidas por um investigador particular. Marcel recebe pagamento adiantado, de um cliente anônimo, para investigar Laura e, posteriormente, Miguel. Marcel não vê nada de extraordinário na relação de amizade entre os dois investigados, mas se empenha em descobrir quem é Miguel e o que ele faz quando entra por uma porta em uma viela não muito distante da praça. Ao passar pela porta, o investigador fica completamente transtornado com o que encontra no local. Que mistérios envolvem este ambiente?

Paralelamente a esse núcleo principal, há a história de Alan, um investigador da Polícia Civil, que se vê sob análise da Corregedoria, tendo seus passos vigiados por Gabriela, a agente designada por acompanhá-lo em seu trabalho averiguando seu comportamento. Juntos investigam o assassinato de uma garota. Acontece que Alan tem agido como um justiceiro, na tentativa de eliminar traficantes. Não é difícil notar que existe uma história por trás desta motivação desenfreada que pode levar o investigador a falhar em seu julgamento.

Em um determinado momento, ambas histórias se resvalam. Em uma enxurrada de emoções, seus personagens, no ápice da narrativa, fazem escolhas que nortearão seus destinos.

Agora vamos conversar sobre alguns pontos. Você ainda não leu o livro O Caso Laura? Pois bem. Pensando em você, tomei a liberdade de não inserir a sinopse do livro que está no site da Editora Rocco. E por quê? Porque, para mim, essa sinopse extrapola ao indicar o que você encontrará na leitura, diferentemente da que consta no livro, autoria de Max Mallmann, muito bem escrita, por sinal. Aliás não é somente a sinopse da Rocco que excede no adiantamento de fatos. Li várias resenhas praticando o mesmo ato. Gente, vamos cuidar com os spoilers!

Digo isso pois fiz essas leituras antes de ler o livro e, juro, fiquei muito brava ao constatar que os fatos antecipados ocorriam em uma fase adiantada da leitura. Por exemplo, um dos pontos altos da história é o que Marcel, o investigador, encontra atrás da porta por onde Miguel, o homem que ele investiga, entra e sai todos os dias, no mesmo horário. E a sinopse revela o que você lerá na página 84 de um total de 270 páginas. E tem mais, por que revelar, antecipadamente, o que incita Alan a agir da forma que ele age quando do exercício da sua profissão? Somente na página 115 é que temos uma ideia do que ocorreu no passado, e na página 186 é que lemos os detalhes do ocorrido.

Tudo bem. Vou confessar que tive dificuldade em elaborar a primeira parte desta resenha ao resumir o começo da história, na tentativa de que ficasse atrativa sem, no entanto, revelar nada. Mas não quero que você, querida leitora, querido leitor, perca o fator surpresa quando da leitura de O Caso Laura, a não ser que isso aconteça quando da vontade do escritor. E por que eu falo “quando da vontade do escritor”? Bem, porque Vianco, quase sempre, dá dicas do que vai acontecer em seguida. Isso me incomodou muito. Toda a expectativa e o fator surpresa deixam de acompanhar a narrativa no momento da pré-revelação. Não entendi o porquê do André Vianco adotar essa estratégia. Esse fato fez com que eu me decepcionasse com a narrativa e não elegesse este livro como sendo o melhor escrito por Vianco. Por outro lado, se o texto fosse o de um roteiro cinematográfico, seria perfeito. Aliás, que filme maravilhoso daria este livro!

Continuando... Uma das coisas que aprecio muito no estilo literário do André é a utilização de frases curtas e de impacto. Ritmo e andamento marcado dão fluidez à leitura. Notei que em O Caso Laura, o autor equilibrou o emprego dessas frases curtas com frases longas num casamento perfeito.

Notamos, também, a presença de capítulos curtos, 62 no total. E justamente a alternância entre os dois núcleos, de modo rápido, cria uma dinâmica deliciosa de ser lida. Muito diferente do que acontece em livros que alternam os núcleos em longos capítulos, propiciando uma leitura arrastada e tediosa. Você não irá encontrar este estilo, de maneira nenhuma, no livro em questão.

Falando em fluidez, admito que demorei para ter empatia com os personagens. Existe um motivo: no começo, apesar deles serem situados no tempo e no espaço, pouco é revelado sobre suas motivações e somente suas presentes emoções são expressadas, muitas vezes, por meio dos diálogos e das atitudes. Mas a medida que a trama se desenvolve, Vianco começa a explorar o lado psicológico, desvendando suas motivações e o que se passa no íntimo dessas almas perturbadas. Fico me perguntado como o André conseguiu escrever desta maneira: insinua e depois revela. Bem, sinal de que o texto foi muito bem trabalhado.

Trabalhadas também foram as situações que culminaram no desfecho da história dos personagens. O livro deixa uma mensagem linda de como as pessoas lidam com seus sentimentos, principalmente com a dor da perda, e a escolha que cada uma delas faz.

Quer mergulhar em uma história bem escrita e estrutura, repleta de mistério e suspense? Entregue-se ao O Caso Laura.






Que tal conferir também...

5 comentários

  1. Sabe… eu acho que vou continuar sem ler André Vianco… nao gosto de livros sombrios… fico com medo… kkkk

    Sua resenha ficou ótima!

    ResponderExcluir
  2. Louca para ler livros do André Vianco! Como quero começar a ler os de vampiros ainda demoro a ler este. Mas a resenha ficou dez!

    ResponderExcluir
  3. ja li e adorei, adoro os livro do André Vianco, ele é d++++, sempre com uma leitura facil e envolvente! ♥

    ResponderExcluir
  4. Ah não li nenhum livro dele ainda, mas falam tão bem dos livros dele que a vontade da aumentando!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras