Nunca diga Adeus – Doug Magee

11/04/2012

NUNCA_DIGA_ADEUS_1332557418PCom apenas 9 anos, Sarah está prestes a viver uma grande aventura: vai viajar sem os pais pela primeira vez na vida. A viagem tinha tudo para ser feliz e inesquecível, mas logo se transforma num terrível pesadelo. Sem o marido para ajudá-la, Lena, mãe de Sarah, confere e assina os documentos autorizando a ida da filha. David saiu de casa cedo dizendo que recebera uma ligação do trabalho. Mais uma desculpa esfarrapada que ela não engoliu. O casamento está em crise, mas ela acredita que os dois vão conseguir se acertar no período em que a menina estiver fora. Já pensando nos momentos a sós com o marido, Lena entra em pânico quando uma segunda van chega para buscar Sarah. Pouco depois, ela descobre que o primeiro motorista não faz parte da equipe do acampamento e que sua filha e outras três crianças foram sequestradas. Após algumas horas, os criminosos enviam um e-mal exigindo 1 milhão de dólares para libertar as vítimas. Mas as condições para a entrega do dinheiro lançam suspeitas sobre alguns dos pais, e os casais começam a se voltar uns contra os outros, expondo seus segredos e relacionamentos já desgastados. Neste suspense de tirar o fôlego, o desespero e a ganância levam algumas pessoas a tomar decisões impensáveis. Mas a fé e a intuição sempre podem superar as dificuldades.

 

“Todos os indícios de que tudo o que via era real estavam bem ali. Nem pensou em questionar os fatos.” (pág. 09)

Pensa na situação… Você tem uma filha, de 9 anos. É a primeira viagem dela sem você e apesar de toda a angustia de deixar sua filha ir para um acampamento sozinha, você quer ter duas semanas a sós com seu marido para tentar resolver os problemas e a distância. A van do acampamento chega, o “monitor” tem documentações e identificações adequadas e transparece ser uma boa pessoa, dando a você a sensação de que sua filha estará em boas mãos. Tudo está correndo como o planejado, certo? Estaria se algum tempo depois não aparece outra van do acampamento e você descobrisse que está prestes a iniciar seu maior pesadelo.

Isso acontece com Sarah, filha de Lena e David. Pior, não só ela foi enganada pelo monitor com a falsa van como mais 3 famílias que agora estão interligadas pelo sequestro de seus filhos. E neste momento é que a ação toda começa.

Esta é a história de Nunca diga Adeus, um suspense que gira em torno da aflição dos pais, mas que também nos conta sobre os sequestradores (ao menos dois deles) e as crianças conforme vão descobrindo a situação que se encontram.

“Ela não foi enganada por um indivíduo esperto, e sim por suas próprias expectativas. As pessoas veem o que querem ver. Mágicos e vigaristas sabem muito bem disso. Somos ao mesmo tempo cegos e confiantes. Acreditamos em nossa interpretação do que vemos, pois agir de outra forma nos paralisaria. Somos todos cegos.” (pág. 09)

O melhor da narrativa é que ao longo do livro, Doug Magee alterna o personagem principal. Quer dizer, fica claro que o foco maior é na família de Sara, mas não temos só a visão deles dos fatos. Alguns capítulos são divididos entre o que está acontecendo com cada um dos casais, assim como temos partes onde o leitor tem a visão dos sequestradores e seus pensamentos.

O melhor da narrativa é também o que me fez ir mais devagar com a leitura. As vezes precisava parar um pouco para pensar se estava entendendo mesmo os acontecimentos e se minhas suspeitas estavam indo no caminho certo. E neste ponto tenho que dizer que errei duas vezes… Primeiro pensei em um culpado… Depois em outro e no fim, nenhum dos dois eram os responsáveis. (Ok, pode ser que eu não seja boa com essa coisa de detetive, mas adorei que não consegui matar a charada logo de cara).

“Que tipo de gente sequestra nossos filhos, acaba com qualquer expectativa, faz gato e sapato da gente, estimula a incerteza e aumenta a angústia com relação ao destino das crianças?” (pág. 54)

E quando você acha que as coisas caminham para uma resolução tranquila, a história parece pegar fogo e cheguei a ficar apreensiva… Durante algumas páginas me deu aquela vontade de gritar com os personagens coisas como “presta mais atenção a sua volta” e fiquei por bons momentos “em cima de brasa”.

Eu descobri que adoro livros policiais com James Patterson e embora o estilo de Nunca diga Adeus seja um pouco diferente dos livros de Patterson, Magee acerta na mão e inclusive me emocionou no final. Eu só gostaria de saber mais de Lena e David, mas isso, sei que é meu lado romântico falando…rs

Nunca diga adeus é um livro que te prende e te faz viver a emoção desses pais durante o pior pesadelo da vida deles, mesmo que você não faça a menor ideia de como seria o sentimento de ter um filho sequestrado. É um livro que te faz ver como a ganância está sempre por perto e que o desespero faz com que atitudes impensadas sejam cogitadas e tomadas.

Para finalizar, gostei muito da capa que a Arqueiro usou para o livro. A mesma capa foi usada em uma versão holandesa e acho que ela combina mais com a história do que a original (que tem um ônibus escolar e não uma van – olha eu sendo detalhista…rs). Leiam… Vale a pena!

“A verdade não é o resultado de um esforço, o final do caminho.
É o aqui e agora, em seu próprio anseio e busca.
Você não a vê, pois olha para longe demais de si mesmo,
para fora de seu eu mais profundo.”
                                                                   Nisargatta Maharaj
                            (uma das citações utilizadas no início do livro)

 Lica

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

9 comentários

  1. Dei uma folheada nesse livro assim que ele chegou na livraria ... e parece ser incrivel!!! O unico problema é a lista de não lidos que nunca diminui ...

    A capa é linda chama muita atenção!!! Eu quero ler esse livro *_*

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não me entreguei ao estilo policial. Mas taí um livro que me deixou curiosa. Talvez seja o primeiro do estilo que lerei...
    Gostei da resenha =)

    ResponderExcluir
  3. Ai meu pai... A Arqueiro e esses livros... Nem preciso dizer que eu quero né? A sinopse e capa não me chamaram muito a minha atenção, mas a sua resenha sim... Menina e pelos seus comentários sobre seu lado romêntico já vi que irei gostar! hahahaha

    ResponderExcluir
  4. Quero dizer que o livro me ganhou pela capa... Fiquei com uma pena da menina e quando vi que era estilo policial já entrou para a lista.
    Se eu já queria, depois de ler sua resenha fiquei querendo mais ainda... Muito, muito mesmo!!!!

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito apreensiva durante a leitura desse livro... E eu também não acertei os envolvidos, então se você não for boa com essa coisa de detetive então eu também não sou... Ou nós duas somos e o livro é perfeito por ter nos enganado... =)
    Adorei o livro e adorei a resenha!!!!

    ResponderExcluir
  6. Ainnnn, que loucuraa! Mesmo pensei em ler e ai venho ver o blog e tem essa resenha. Parece ateh que a gente se combinou!
    Adorei e fiquei ainda mais curiosa.

    bjks

    ResponderExcluir
  7. Já quis compr-lo mas ai já viu, outros livros foram prioridade e esquecidesse. Parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  8. o título do livro já dá impressão de ser um drama chato mas os comentários já fizeram me mudar de idéia

    ResponderExcluir
  9. Quase comprei esse livro há umas 2 semanas atrás, mas acabei desistindo pq 'policial' não é muito meu estilo, porém, depois da sua resenha tô começando a sentir uma pontinha de arrependimento por não ter dado uma chance ao livro :(

    @BobbyDupeaGirl

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras