A Maldição do Lobisomem – Shannon Delany

24/04/2012

A_MALDICAO_DO_LOBISOMEM_1293917479P

Quando Jéssica Gillmansen é chamada para comparecer à sala da direção, ela pode somente imaginar ser por duas razões: Eles finalmente descobriram quem escreveu o editorial criticando os valentões da escola, ou mais uma reunião para falar sobre a recente morte de sua mãe. Porém inesperadamente ela descobre que a direção da escola quer que ela apenas sirva de guia para o novo aluno – mas ele chega com seus próprios problemas, que inclui uma escolta policial. O mais novo membro da escola Junction High, Pietr Rusakova possuiu segredos para esconder – segredos que acabam levando grandes problemas para a pequena cidade de Junction – incluindo mudanças tão dramáticas que certamente acabaram com sua vida mais cedo.

Contra – Capa
Jéssica é uma garota inteligente e esperta, porém, disposta a dissimular os seus sentimentos mais reais. Este mundo de mentiras está prestes a acabar com a chegada de Pietr Rusakova.
Ela é atraída pelo misterioso (e sexy) forasteiro. Aquele olhar… pode atravessá-la como uma flecha! Ele é muito mais que um rosto perfeito, Pietr é perigoso e tem muitos segredos.
O que Jéssica não imagina é que aos 13 anos os Rusakova recebem uma sentença. Se uma transformação a qual estão destinados ocorrer eles terão uma vida curta, mas repleta de aventuras, onde as ligações afetivas tornam-se mais intensas e arriscadas. Uma corrida contra o relógio. Bem diferente da vida que ela imaginou…
Metade homem, metade monstro. Pietr levará Jéssica a um novo mundo onde heroínas e lobisomens se apaixonam em uma história cheia de reviravoltas.

“"A vida é construída de tal maneira que cada evento não corresponde, nem pode, nem corresponderá à expectativa" – Amy afirmou. – Oh. Uma adorável visão pessimista de Charlotte Brontë” (pág. 231)

Sabe quando um personagem aparece no livro, somente pelo olhar da narradora que está certa de que já o odeia e antes mesmo que ele diga sua primeira frase você já está caidinha por ele? Carência minha? Eu até diria que sim se ao longo do livro Pietr não tivesse me conquistado por completo. Eu estava disposta a deixar os YA de lado e ser mais feliz com livros adultos e romances policiais, mas o sobrenatural adolescente e romântico me encanta de um jeito que nem eu sei explicar…

Jéssica… Como explicar… Eu amei e odiei ela ao mesmo tempo. Ela perdeu a mãe em um acidente de carro causado por sua nova melhor amiga Sarah. Ela é tipo mártir, daquelas que acha que só será feliz se os outros forem felizes. Não, ela acredita que é forte e que pode suportar todas as dores e desventuras do mundo e que Sarah não possa devido ao acidente e por isso prefere sofrer do que falar a verdade.

Eu nunca gostei muito de mocinhas que mentem, mesmo quando elas aparentemente tem um bom motivo. E por isso que eu odeio a Jessie. Ela gosta de Pietr mas prefere empurrar para sua amiga já que ficar com ele seria fazer a amiga sofrer demais agora que ela está apaixonada por Pietr. E quando você descobre as coisas a respeito de Sarah, não tem como você não odiar a narradora. (Pior que você não chega nem a descobrir qual é realmente a verdadeira Sarah, e embora eu gostaria que ela “sumisse” da história, espero saber mais sobre ela no futuro).

Ao mesmo tempo, conforme o relacionamento de Jessie e Pietr caminha, você nota que embora não assuma, a garota tem problemas em falar a verdade e mente, usando uma espécie de máscara anti-sofrimento. No fundo ela prefere sofrer de um jeito que ela está preparada, se afastando das coisas que quer, do que sofrer novamente pela perda tão recente e tão forte da mãe.

“Além disso, sempre odiei coisas que me fazem chorar. E eu sabia que era bastante forte para lidar com o que aconteceu. Não precisava de ajuda.” (pág. 15)

E nesse ponto não tem como não se aproximar dela e não gostar dela. E tem mais, nas partes onde ela está “mais a vontade”, sem precisar mentir por estar, digamos, sem plateia ela é uma garota legal. Por essas partes é que eu amei Jéssica e que me fez terminar o livro gostando mais dela do que o contrário. O bom é que isso mostra a possibilidade de crescimento e mudança da garota, e personagens como Catherine e Amy tem conversas com ela alertando de seu comportamento destrutivo. Isso me deixou com esperanças de que as coisas mudem logo. Precisam mudar, porque se no segundo livro ela ficar nessa mesma coisa de “mártir sofredora” não sei se conseguirei ler o terceiro.

“Minha nova versão do Inferno era límpida e atraente, com sotaque russo e um passado frustrantemente misterioso. E estava sempre presente. (…) E se o comparasse ao Inferno na frente dos meus amigos? Amy provavelmente diria que o Inferno deveria ser quente. E Pietr Rusakova pelo menos isso era. (pág. 105)

Pietr… Ah, Pietr… Deixa eu suspirar um pouquinho com meu momento “apaixonada pelo mocinho da história'”. Pietr tem quase 17 anos mas parece ser bem mais velho e não só o fato de ler muito e de ter tido muitas experiências na Europa comprovam isso. O ar de mistério, a mania de falar coisas óbvias junto com uma personalidade cheia de atitude me deixavam com um sorriso bobo cada vez que Pietr estava em cena. E eu que sempre fui apaixonada pelos vampiros me vi suspirando por um lobo…

Lembra que ali em cima eu disse que se Jéssica não mudar eu não sei se lerei o terceiro livro da série? Então… Esquece o que eu disse. O mais correto é se Pietr não aparecer mais, aí sim eu não lerei mais a série…rs

Eu li uma resenha no skoob que me chamou atenção para um detalhe. Na verdade, o primeiro livro leva o nome da série 13 to life e a Universo dos Livros não fez um bom negócio quando traduziu o título. Quer dizer, eu entendo que deve ter sido algo ‘pensando em marketing’ e tal, mas se a gente parar para pensar e ler somente a sinopse que coloquei ao lado da capa, levaríamos um bom tempo para descobrir o mistério da série e sobre o que realmente seria. Ou seja, o título e a contra-capa são dois grandes spoilers, já que embora durante o livro Jessie está curiosa com um lobo misterioso em uma cidade próxima, nada fica muito claro podendo ser qualquer outra coisa e a mitologia todo do lobisomem surge somente no final do livro.

Acredito que se não tivesse visto o título (porque eu estou com um costume de não ler as sinopses antes), teria sido envolvida de maneira diferente. Como eu sabia que a coisa toda iria girar em torno dos lobisomens, eu não via a hora de Pietr contar quem ele realmente era. Estava muito curiosa em como isso seria descrito por Shannon Delany e como a história iria se desenvolver a partir desse momento. Por causa do título eu achava que a escritora estava sendo cruel com os leitores… Eu lia as páginas esperando pelo momento e esse ficava brincando de esconde-esconde… Uma indireta aqui… Uma confissão desacreditada ali… E nesse meio tempo páginas e páginas de acontecimentos mesmo que a linha do tempo não tenha caminhado tanto… Quer dizer, pelo que entendi, desde o início do livro se passa pouco mais de um mês (o inicio do ano letivo nos EUA começa em setembro e não há comentários que Pietr perdeu muito conteúdo então ele deve ter chego no inicio do ano letivo e tem comentários de que o Halloween está chegando).

E tudo isso aconteceu por causa do título. Como se não bastasse tanta crueldade com meu pobre coração, Shannon Delany termina de esmagá-lo com o final do primeiro volume da série. Sério… Fiquei com aquela cara de “não… não terminou o livro, essa edição está errada e está faltando algumas páginas”… Mas é isso mesmo que acontece. O livro termina sem acabar, tipo aquele momento em que você está no ápice do filme e entra um comercial. E eu que estava fugindo de livros que me deixavam desesperadamente precisando da continuação, caí em uma armadilha e preciso desesperadamente de O Segredo das Sombras.

Desesperos e ‘confusões de marketing’ a parte, A maldição do Lobisomem me conquistou e a narrativa de Shannon Delany me fez ficar intrigada e querer saber mais desse mundo que ela criou. Outro ponto a favor é a maneira que ela coloca a criação dos lobisomens, diferente do modo normal (eu não li muita coisa de lobisomens, mas os filmes que assisti eles ‘nasciam’ de forma diferente). Mas vale a pena lembrar que o livro é um YA e como todo YA tem muitos clichés e até tem partes que são praticamente “mais do mesmo”. Se você está fugindo disso, pode não se encantar com o livro. Agora se você gosta desse gênero e como eu não perde nada (ou quase nada), fica a indicação.

Para finalizar (mesmo sabendo que a resenha já está enorme), quero falar da capa. Raramente fico falando das capas dos livros e isso é um assunto polêmico. Eu particularmente prefiro as originais, mas mesmo elas as vezes não são como eu gostaria ou imaginaria. A capa nacional de A maldição do lobisomem não é feia, mas não entendi onde era para ser a cidade que tem nela. Quer dizer, muitas vezes Junction é citada como cidade pequena, sendo um ovo, então não vejo onde a imagem se encaixaria. Outra coisa, quando vi a capa original, me veio mil pensamentos na cabeça (e fui um pouco mais seduzida pelo olhar característico de Pietr), vejam:

7230309

Não entendo porque a Universo dos Livros não tenta manter as capas originais. No fundo eu achava que minha implicância era somente com a Irmandade da Adaga Negra por ser super fã da série, mas depois dessa, desisto de me empolgar e esperar a capa original. Sofro menos e fico menos revoltada com o resultado final… O bom é saber que tem momentos que não é a capa que fazLica você decidir ler o livro.

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

8 comentários

  1. Poxa, que sacanas com essa coisa de spoiler e capa fora da casinha, né? Estraga uma história que poderia ser tão boa, né? Agora fica aquela dúvida de ler ou não ler. Vamos ver.

    Bjks

    ResponderExcluir
  2. hahahahaha Agora tenho certeza que quero essa série também!!! Nem preciso falar mais nada! Vc me conhece e sabe o porque! hhahahaha Quero pra ontem!

    ResponderExcluir
  3. Não li nada de lobisomens ainda e gostei muito da resenha. a capa nacional não é feia, mas acho que a original fez mais sentido pelo que vc comenta... Tá na lista

    ResponderExcluir
  4. No lançamento não me empolguei com o livro, fiquei achando que era só febre literária, enfim... Mas quanto tirei um tempinho para ler gostei muito. Agora, acho que o segundo será muito melhor do que este. Ao menos eu espero *-*

    ResponderExcluir
  5. Spoilers e polêmica de capas a parte, adorei a resenha e já estou indo atrás do livro. Até porque já estou meio encantada com o Pietr só pela sua resenha hehe

    ResponderExcluir
  6. Eu adorei demais o livro quando li. você diz tudo em sua resenha. e o Pietr... Não tem como não se apaixonar. estou doidinha para ler o segundo.

    ResponderExcluir
  7. Estou com o livro em casa faz tempinho, mas ainda não surgiu oportunidade (e vontade) de ler. Como você, estou mais voltada para literatura adulta e se for um tanto hot melhor ainda... rsrs. Quando comprei imaginava um livro mais no estilo IAN, só que com Lobisomens. Depois comecei a ler as sinopses e vi que era YA... perdi o encanto.
    Bjkas!

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  8. é simplesmente perfeito esse livro ^^

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras