Como Tatuagem - Walter Tierno

25/11/2016

Olá queridos leitores? Como vai o fim de ano de vocês?
Espero que estejam lendo bastante. Hoje eu trouxe a resenha de um livro maravilhoso, é um romance, mas sinceramente, eu nunca vi livro para tratar de temas da atualidade tão bem quanto esse tratou. E de uma forma verdadeira, sem idealizações ou eufemismos quando o assunto é sério. Essa história, do Artur e da Lúcia, me encantou desde que montei a postagem de lançamento, e com certeza vale a pena dividir com vocês uma literatura tão boa quanto essa. Então, se liga na resenha:


"Artur é um cara rico, superficial e egoísta. Bonito e popular entre as mulheres, não tem o menor respeito por elas — sua vida amorosa se resume a colecionar parceiras na cama. Essa rotina de prazeres e privilégios é interrompida quando ele sofre um grave acidente de carro. Para ajudá-lo a se recuperar, sua mãe contrata a fisioterapeuta Lúcia. Desde criança, Lúcia sofre o preconceito que persegue os portadores de vitiligo. Sua mãe sempre esteve presente para apoiá-la e fazê-la enfrentar os obstáculos que a vida lhe impõe. De temperamento doce, porém decidido, Lúcia tem uma consciência peculiar e aguda sobre o mundo. Mas, quando se vê sem o amparo materno, suas certezas desabam. O encontro de duas pessoas tão diferentes vai gerar muito atrito, mas com o tempo Lúcia e Artur vão descobrir algumas das infinitas facetas do amor e, entre conquistas, medos, perdas e paixões, verão suas vidas transformadas para sempre."

Artur é sim, o cara egoísta da sinopse acima. Mas ele não é só egoísta, isso é tipo um elogio para ele. O Artur te faz ter ódio dele, te faz querer arremessar o livro bem longe de tanta raiva que ele faz. No início da história você se perde um pouco, porque ele narra contando o passado, só que volta ao presente e depois começa a falar do passado de novo, mas com o passar das páginas você se adapta. Artur é o tipo de cara bonito, rico, ignorante, machista e in-su-por-tá-vel. Gente é sério, sem exageros. Ele luta Taekowndo, é o que ele realmente gosta de fazer. Além, claro, de tratar as mulheres como lixo. A vida dele é: Taekowndo, faculdade (as vezes), mulheres... E por aí vai. 


Num dia que era para ser como qualquer outro em sua vida, ele sai do treino e vai para a faculdade, só que não para estudar, só passa lá para pegar a Cris (que do começo ao fim do livro ninguém sabe se é Cristina ou Cristiane) e levar para "jantar" tudo fachada para ele. Artur enxerga não só a Cris como todas as outras mulheres como uma raça inferior feita para uso exclusivo dos homens. Pois é, eu sei, é muito mais que preconceituoso, não há palavras para descrever. E neste dia, ele manda a garota embora no meio da madrugada por pura ignorância, atitude de pessoas infelizes que precisam rebaixar os outros, e ainda joga uma  nota de cinquenta reais em cima da  Cris para ela ir de táxi às 03:00. foi um insulto não só à personagem, mas acho que a todas as mulheres. (só até aqui já deu para ver como o livro trata de temas atuai não é mesmo?) Bom, acontece que na manhã seguinte, o Artur sai para levar a mãe  em Santos, ele sai atrasado, muito rápido, acelera demais, dirigi sem responsabilidade nenhuma, é ignorante e tosco até no transito, e isso resulta num acidente, o acidente que mudou a vida dele completamente. Agora Artur é um cadeirante que teve que amputar as duas pernas acima do joelho. Como ele lida isso? 

"[...] -O QUE ACONTECEU?
-As pernas, Artur. Esmagou. Não teve jeito. - Meu pai tenta explicar, mas a luta para não chorar exige muito dele, e engasga.
-Não fode!- Minha voz enfraquecida pelo grito. - Eu tô sentindo minhas pernas. Olha aí. Tô mexendo o dedão.
Apoiado nos cotovelos, levanto a cabeça para olhar para o dedão que mexe.
Não o vejo. Ele se mexe, mas não tá lá. [...]"

O livro é narrado ora por ele e ora pela Lúcia, que é beeeem diferente dele. Ela é um amor de pessoa, mora com a mãe a quem tem costume de chamar de Mamuska. A  Lúcia (por incrível que pareça) é fisioterapeuta, trabalha numa clínica renomada onde é amiga de todos. Vez ou outra (infelizmente quase sempre) sofre preconceito por causa do vitiligo. Os pacientes que fazem fisioterapia na piscina não gostam muito da companhia dela por achar que é algo contagioso. Um enorme preconceito existente na nossa sociedade, mas muitas vezes esquecido.

Essa é uma moça linda com vitiligo, que são esses desenhos descoloridos no rosto, ou em qualquer outra parte do corpo.

A Lúcia vive se escondendo atrás de quilos e mais quilos de maquiagem. Desde os oito anos, que foi quando começaram a aparecer as manchinhas. Como acontece com todas as pessoas que são diferentes, ela sofreu preconceito desde a escola e ainda sofre nos dias atuais. Sua mãe é sua fonte de energia para enfrentar tudo isso, é seu porto seguro. E se tem uma coisa que posso dizer sobre a Mamuska da Lúcia, é que essa mulher quebra tabus. Gente, ela participa bem pouquinho do livro, mas ensina tanta coisa. Se você for preconceituoso(a) já se prepare para as tiradas que vai levar dessa mulher. Bom, como eu disse ela participa pouquinho. Lúcia recebe a ligação da Lourdes, melhor amiga de sua mãe e volta para casa já sabendo que não encontrará mais a mãezinha viva. O autor foi muito sincero, não só neste momento de luto da personagem, mas em todo o livro. A Lúcia vive o luto de verdade, você consegue se imaginar no lugar dela, sentir a tristeza que é, a honestidade da escrita demonstra os sentimentos crus, como realmente são, sem fantasias ou romantização do sofrimento. Eu nunca tinha lido um livro do Walter antes, mas com certeza vou procurar pelo nome dele depois dessa mega história. Depois de viver seus dias sem cor intensamente, Lúcia volta para o trabalho, porém depois de uma das  grandes clientes do lugar reclamar das manchas em sua pele, Sofia, sua chefe e amiga oferece a ela um emprego no escritório, mas Lúcia se formou em fisioterapia e é isso que ama fazer. Depois de muito pensar ela recusa e sai do emprego. Lourdes, a amiga da sua agora falecida mãe, é enfermeira e acabou de arrumar um emprego na casa de um pessoal rico, cujo filho perdeu as duas pernas, e ela pergunta a Lúcia se não conhece algum fisioterapeuta para atender em domicilio. Como ela acaba de perder o emprego...

Aí vocês já sabem como ela e o Artur se conhecem, não é?
Pois é... Só que:

"[...] Desde a primeira vez que ouvi o nome dele, dito pela Lourdes, ontem, tive uma sensação de familiaridade.
Quando entro no quarto, descubro o porquê."

É demais, eu sei. Mas para saber o que aconteceu, e descobrir o passado em comum deles, eu garanto que vocês vão ter que ler, porque eu não vou contar. ~ No Spoilers ~

A partir do momento em que eles se reencontram, Artur não se lembra de Lúcia, mas ela se lembra dele. Porém ela é profissional, claro, e passado fica no passado. Ela está acostumada aos pacientes que acabaram de perder as pernas, ou com qualquer outro tipo de deficiência, portanto sabe quais reações eles esboçam. Uma coisa muito interessante sobre o livro, é a quantidade enorme de informações que ele contém. É como se você pudesse, por um momento saber como é que funciona a massagem que destrói as "pernas fantasmas", que seria a sensação de ainda ter as pernas que não tem mais. A narrativa foi muito bem construída e o enredo também. A gente vai acompanhando as mudanças, a aceitação do Artur,  e até conhecendo mais as personagens. Você acaba descobrindo, que por trás do mostro que o Artur é, tem um bem pior que fez ele ser quem ele era. O pai dele. O cara é ainda mais machista e sem noção que o filho. No começo do livro você não entende o porquê de o Artur agir daquela maneira rude, mas vamos descobrindo ao virar das páginas. Aquela história do " Não julgue alguém, você não sabe o que ele passa" é super verdade e muito bem retratada aqui.

Porém, a raiva inicial da primeira impressão que ele passa, não some assim tão fácil, até porque ele não facilita. Continua agindo como um idiota, bom... Até certo ponto. O choque entre duas pessoas tão diferentes, desencadeia muitas coisas. Neste caso, surge uma empatia entre os dois depois de muitos períodos de diferenças gritantes, pois a Lúcia foi criada de maneira exemplar, longe de preconceitos, livre de ideologias destrutivas e por uma mãe com a mente bem aberta. Já o Artur, por um cara machista e preconceituoso. A amizade entre os dois acaba trazendo benefícios mútuos, já que ela perdeu a mãe, (apesar de estar num rolo com um ex-namorado, que aliás eu me perguntei o tempo todo que tipos de problemas mentais a Lúcia tinha para ficar nessa com o Bruno - leiam e entendam-) e Artur sofreu uma perda grande também, eles acabam encontrando apoio um no outro. Ele que antes era relutante a fisioterapia, agora faz de bom grado e também faz bastante contente o acompanhamento psicológico. Agora, a minha impressão dele, só foi mudar no fim do capítulo 17. Sim, ele demorou 17 capítulos para me convencer de que não era o cara sem escrúpulos e mau caráter do primeiro capítulo. Isso acontece no momento em que ele ao invés de participar de mais uma das brincadeiras machistas de seus amigos, resolve mostrar que isso é errado, e claro, ele acaba sendo taxado como idiota pelos "amigos". Essa mudança toda é desencadeada pela presença da Lúcia na vida dele, que toda vez que ela vê ou ouve algo idiota, preconceituoso ou errado, corrige ele, como aprendeu com a mãe dela.

*DETALHE
Uma coisa muito diferente e interessante na Lúcia, é que ela procura verbos para tudo.
Por exemplo:

" [...] - Eu pesadelei.
- Fez o quê?
- Pesadelei. Tive pesadelos. Eu pesadelo, tu pesadelas...[...]"

E ela faz isso quase sempre. É bastante interessante

Bom, ao longo de várias conversas e sessões de fisioterapia, os dois ficam mais amigos, conversam fora do horários, e em um encontro acabam se beijando. Mas Lúcia ainda está de rolo com Bruno. (Sério gente, tenho certeza que quando vocês lerem, vão se perguntar assim como eu, o que a Lúcia ta fazendo da vida com esse chato do Bruno, meu Deus??????) Mas, claro, ela acaba se resolvendo e começa a namorar o Artur. É um amor lindo de se ver, você vê onde começa, como começa e não é nada exagerado, é bem realista, só que existem alguns probleminhas, um deles é que Artur não está acostumado à vida independente que começa ao lado da nova namorada.


 Ele nunca trabalhou, e agora está trabalhando, nunca morou sozinho (só ia para o apartamento quando queria ficar com alguma menina) e agora está morando, e nunca levou a faculdade a sério, mas agora está totalmente centrado. Ele acaba tendo uma necessidade de se encontrar primeiro, pois começou a namorar e ainda estava "perdido", a Lúcia foi mega importante nessa mudança, mas como dizem, é preciso estar bem consigo mesmo para depois construir uma relação estável com outra pessoa. é um pouco isso que acontece com esse casal, e quando se separam, vão seguindo suas vidas, como realmente acontece na nossa vida. O fator principal que uniu os dois, foi a Lourdes, que falei no início, a enfermeira que foi trabalhar na casa do Artur e levou a Lúcia com ela. Pois é ela mesma que reaproxima os dois novamente, só que de uma forma inconsciente, e um pouco triste. No intervalo de tempo que estão separados, Artur se acostuma com suas próteses, que aliás ele mesmo está pagando, e se encontra como pessoa, como homem, como ser humano, finalmente o Artur pode ser considerado um cara legal, e  agora com o olhar mais maduro eles deixam a gente na expectativa do que está rolando na vida deles. (Bem que podia ter continuação, com casamento, filhos, mais brigas, e mais amor s2 s2)

Uma frase que resume totalmente o que Artur deve ter pensado quando decidiu que era melhor se separarem: 
E acabou que foi assim mesmo que aconteceu com eles.

Eu gostaria muito de contar toda a história para vocês, mas é necessário deixar no ar algumas coisas para que a vontade de ler o livro cresça hahahah.
Este é o primeiro livro que leio do autor, e posso dizer que o tema central da história toda, é o preconceito. Todo tipo de preconceito. Acho que, tenta mostra como ainda nos dias de hoje, existe tanto preconceito com tudo que é diferente, uma coisa absurda pra uma sociedade tão "avançada". Vale muito a pena ler o livro e se divertir com essa história maravilhosa, que traz muito mais que suspiros, risadas, lágrimas e um pouco de raiva hahah, traz também informação, uma visão de mundo ampliada e muito conteúdo. Como eu cheguei a dizer no post de lançamento, a premissa lembra bastante 'Como eu era antes de você' mas, gente!!! O Artur não morre no fim! 

Então gente linda, espero que tenham gostado. Obrigada a todos que leram até aqui, e tomara que vocês tenham a oportunidade de conhecer essa obra maravilhosa. A literatura brasileira ganhando espaço no nosso core! 
Até a próxima pessoal!
Beijinhos!!!

"As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos."- Clarice Lispector

Que tal conferir também...

29 comentários

  1. comprei o livro hoje... estou ansiosa para conhecer a trama com personagens tão contrastantes, tão reais
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Estou de queixo caído com a sua resenha, se eu já tinha vontade de ler esse livro antes agora estou em desespero. A trama parece ser extremamente singular, principalmente por conta dos personagens com características físicas e de personalidade únicas e que torna tudo ainda mais interessante. Pelos trechos que li a escrita do autor também parece ser de alta qualidade e isso me deixa ainda mais ansiosa pra conhecer a obra.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante o seu texto. Já tinha ouvido falar do livro. Agora estou curiosa. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  4. Oiee ^^
    Eu me arrependo tanto por não ter pedido esse livro...hehe' *-* com a premissa, achei que seria bem clichê, sabe? Uma história como muitas outras que vemos por aí, mas fico feliz em saber que estava errada. Bem, nem tanto...haha' Parece ser um livro que traz ao leitor vários sentimentos e emoções ♥
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  5. Confesso que quando o livro foi lançado eu não estava tão animada assim para ler. Até encontrei o autor na Bienal, mas o livro estava meio caro e acabei deixando para lá! Mas agora, depois de ler a sua resenha, decidi que preciso ler essa história! Estou super curiosa! Será que algum site ainda tem promoção?!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Olá, Ana!
    Gostei da resenha e me instigou a querer ler o livro. Um dos pontos que me chamou atenção foi "ele narra contando o passado, só que volta ao presente e depois começa a falar do passado de novo". Sério! Gosto muito desse estilo de narrativa! Não sei se foi minha percepção, mas o personagem principal me lembrou Dexter do livro Um Dia, do qual tive muita raiva.
    Vou colocar o livro na lista de leitura.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Olá Ana,
    Já ouvi falar desse livro e morro de curiosidade de ler, mas ainda não tive oportunidade.
    Adorei o livro tratar como tema central o preconceito e acho isso muito importante. É algo que vem crescendo nos livros e espero que mude a mente de pessoas preconceituosas. Já conheci pessoas que se escondiam por trás de maquiagens e tentavam ser outras pessoas.
    Adorei saber que esse livro se destaca entre tantos outros livros.
    Dica anotadíssima.
    Beijos
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Uau, que resenha grande, mas li tudinho hahaha. Antes mesmo de você falar no final do post, já tinha lembrado de Como Eu Era Antes de Você logo assim que li a sinopse, mas, pelo que você disse, tem muita diferença. Acho que ia morrer de raiva do Artur, e não sei se conseguiria lidar com as partes que ele narra no início, quando ainda é um dos piores seres humanos da Terra, mas o livro parece falar de assuntos realmente importantes, o que me deixou bastante curiosa. Com certeza é um romance que tem muito a oferecer :)

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  9. Oiii Ana, tudo bem?
    Confesso que vi apaixonada pela sua resenha, não conhecia mesmo a obra e dessa maneira despertou muito meu interesse, gostei das imagens que pegaste e gostei de saber a sua opinião, foi muito válida para mim.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Oi!

    Já vi várias reviews desse livro e tenho muito interesse, mas ainda não o adquiri. Aliás, sua resenha me lembrou que devo fazer isso. Adoro quando os autores trabalham com o preconceito, acredito muito que a literatura tenha o poder de combate-los. Adorei sua resenha, espero ler e gostar também!

    bj

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Já vi cerca de duas resenhas sobre essa obra e a cada uma que li fiquei mais curiosa pelo fato de achar o assunto do vitiligo tratado na obra bem inusitado e não lembro de ter visto nada parecido.
    Sem contar que vou adorar ver o mundo de Artur virar de cabeça para baixo ao perder as pernas e quero muito conferir como ele vai se portar diante de tal situação.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Ana!

    Que livro interessante! Sua resenha me deixou de queixo caído, suas impressões são fantásticas! Livros que retratam o preconceito sempre tem uma narrativa intrigante. Estou louca para tirar minhas conclusões com a leitura, dica anotadíssima!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Fiquei bem curiosa por esse livro porque realmente é um tema muito atual e bem diferente do que estamos acostumados a ler, não é? Fiquei bem interessada em ver o que desperta esse ódio pelo personagem, ele deve realmente fazer coisas terríveis.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Eu conheci o livro na bienal, através do próprio Autor. Logo depois uma amiga leu e gostou e agora você com esta ótima resenha. Realmente o livro trata de assuntos bem atuais e porquê não dizer fortes. Com certeza vou querer ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá, Ana

    Eu já tinha visto essa capa por aí, mas nunca li nenhuma resenha. Aliás, a sua está maravilhosa, parabéns!
    Eu tenho uma sobrinha que tem vitiligo, mas graças a Deus ela nunca sofreu preconceito pq o dela é mais nos cotovelos e joelhos, mas há muita gente estúpida e preconceituosa nesse mundo.
    Vou colocar o livro agora no Skoob para não esquecer dele. Se vc diz que lembra um pouco CEEADV, mas sem morte, eu quero ler! Hahahah

    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Olá, Ana

    Eu já tinha visto essa capa por aí, mas nunca li nenhuma resenha. Aliás, a sua está maravilhosa, parabéns!
    Eu tenho uma sobrinha que tem vitiligo, mas graças a Deus ela nunca sofreu preconceito pq o dela é mais nos cotovelos e joelhos, mas há muita gente estúpida e preconceituosa nesse mundo.
    Vou colocar o livro agora no Skoob para não esquecer dele. Se vc diz que lembra um pouco CEEADV, mas sem morte, eu quero ler! Hahahah

    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Oi, Ana ^^
    Fico muito feliz em ver a literatura nacional ganhando espaço, sabe. Ainda mais nas editoras queridinhas. <3
    COMO TATUAGEM é um livro que tenho muito interesse em ler. Hoje mesmo estava decidido se queria ou não porque li outra resenha onde o Artur era definitivamente visto como um machista FDP, mas depois da leitura da sua resenha a vontade novamente de ler essa obra voltou e com tudo.
    Eita que você não queria parar de escrever nessa resenha, hein? kkkk Foi uma análise bem extensa da obra. Gosto assim.
    Antes de julgarmos um personagens precisamos entender a sua história, a sua educação, não tem como julgar uma pessoa às cenas pois corremos o risco de ser intolerantes. Muito obrigado por você expor o porque do Artur ser como é, Ana, pois se dependesse das outras resenhas que li da obra eu nem daria a chance de continuar a desejar esse livro. Mas agora desenho, ainda mais porque quero saber como se faz essa massagem que destrói "pernas fantasmas". kkk
    Que infelicidade ver um personagem com o mesmo nome de batismo meu e descobrir que é um tremendo otário. Que infelicidade. :(
    Enfim, parabéns pela resenha super detalhada, você fez mudar minha opinião positivamente.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruno (Artur?) que bom que pude te proporcionar esta visão diferente sobre o livro. Realmente é necessário esperar pela justificativa dos atos antes de criar um julgamento. Essa foi uma das maiores resenhas que eu ja fiz, kkkkk mas fico muito feliz por ter deixado informações o bastante para que não prevalecesse a minha opinião, mas sim o livro em sua essência. Desculpe pela demora a responder, dias corridos... Mas espero que ja tenha lido o livro a essa altura. Obrigada pelo comentário, até a próxima! Beijos.

      Excluir
  18. Olá, tudo bem? Nossa pelo que eu li esse livro fala de muitas superações, afinal o preconceito de fato ainda é uma coisa bem presente hoje em dia. Confesso que não sou fã de protagonistas que são babacas e depois mudam, porém depende de como a autora trabalha essa mudança. Mesmo assim fiquei curiosa pela Lúcia. Dica anotada (;
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Oi, Ana!
    Lembro vagamente de ter lido, já tem tempo, sobre uma ou outra obra mais antiga do autor, mas esse novo lançamento pela Verus realmente está me chamando bem mais a atenção! Sua resenha, então, lacrou esse incentivo e já estou animada para fazer a leitura - provavelmente só próximo ano agora, a pilha para ler agora em Dezembro está feita já, mas, enfim, darei uma chance à leitura, sim! Temas como os citados no livro são realmente importantes de serem constantemente discutidos, e fico especialmente atraída por ver a abordagem sobre o preconceito para com a condição de ambos, gosto de ver essas histórias onde o personagem dá a volta por cima e um tapa na cara dos preconceituosos. ^_^ Parabéns pela resenha!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir
  20. Oh mulher, e o arrependimento agora de nao ter pego esse livro quando tive oportunidade?! hahaha AMEI o plot e agora preciso saber como eles se conheceram, ou melhor, se reencontraram! aimeudeus... sei bem como é esse lance de personagem nojento, preconceituoso, recentemente li um livro mais ou menos parecido, só que era a moça que era nojenta e preconceituosa e sim, tbm tive vontade de arremessar o livro longe kkkkkk ctz entrou pra lista! E olha, q resenha incrivel, realmente muito bem argumentada e desperta na gente a vontade de ler o livro
    bjs

    ResponderExcluir
  21. Oie!
    O tema do livro é muito interessante e importante de ser retratado na literatura, o preconceito. Mas confesso que achei a história um pouco confusa em alguns pontos e acho que ia passar um pouco de raiva com o Arthur rsrs. Então, não é um livro que tenha vontade de ler por agora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. OOOi!
    Nossa, antes mesmo de você ter falado da semelhança com Como eu era antes de você eu tinha percebido. kkkk Achei beem parecido! As dificuldades, o cara grosso, o namorado chato, a moça doce... kk Porém, com certeza leria. Tem cara de que é uma linda história, e claro, com muitas reflexões.

    Beijoos!
    Ah, parabéns pela resenha! haha

    ResponderExcluir
  23. Oi, sua resenha me chamou bastante atenção, por motivos obvios: 1) trata de assuntos bem reais e atuais; 2) consegue fazer com que o leitor sinta a realidade na pele, e eu gosto demais disso; 3) e trata de um assunto tão importante, principalmente nos dias de hoje onde a intolerancia e o preconceito estão tão enraízados na sociedade. Sim, já anotei a dica e vo guarda-la para procurar nas livrarias quando for pra um. Parabéns pela sua resenha.

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Olá, tudo bem?
    Difícil de ser convencida né você? 17 capitulos, rs. Mas acho que eu ficaria da mesma forma que você ao ler a continuação da série, com um pé atrás com um personagem que me deu uma má impressão no primeiro livro. Gostei do enredo do livro, mas estou com tantas leituras que passo a dica.

    ResponderExcluir
  25. Acho que essa foi a resenha mais completa que eu já li, você falou muito bem sobre o que achou da leitura, e aumentou minha vontade de querer ler a obra. Já peguei nojo desse personagem, espero que isso passe, pois odeio caras que usam as mulheres. Já Lúcia me deixou bem empolgada para conhecê-la melhor.
    Adorei mesmo a premissa, os assuntos tratados são bem reais e atuais, deve ser uma leitura maravilhosa.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  26. OIIII!!



    Acabei de ver a capa desse livro no blog de uma colega e antes disso não sabia nada sobre a obra. TOdos os pontos trabalhados, esse desenrolar e essa lição que a vida dá nos faz refletir sobre várias questões diárias. Enfim, gostei do enredo, da caracterização dos personagens e dá quebra de preconceitos. COm toda a certeza iria ler. Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Oi Ana, tudo bem?
    Uau eu preciso desse livro, já tinha ouvido falar um pouco dele e agora me interessei de vez. Achei o enredo bem interessante e com toda certeza tentarei ler o mais breve possível. Ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  28. Olá!
    Acredito que não conhecia esse livro e nossa, que premissa, fiquei aqui mega curiosa, pois parece ser um livro muito bom e com grandes reflexões. Estou a procura de livros assim, com temas e abordagens diferentes, espero conferir esse livro e gostar da história!

    Beijos
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras