Nunca Jamais #2 - Colleen Hoover & Tarryn Fisher

17/10/2017

O garoto que não se lembra do próprio nome. Mas sabe que precisa salvá-la.
A garota que se vê presa. Também se esqueceu de tudo. Mas tem um rosto em mente. O dele.
Precisam estar juntos para quando tudo se apagar de novo.
Precisam se lembrar, porque, mais do que tudo, se amam.

"É que abandonar a incredulidade seria o mesmo que admitir que isto é possível. Que, de acordo com o que estou lendo, acabei de perder a memória pela quarta vez."

Depois de terminar a primeira parte de Nunca Jamais, fiquei cheia de perguntas e querendo saber mais dessa narrativa incrível criada pela Colleen e a Tarryn. Acontece que, embora tenha alguns pontos positivos, a segunda parte não conseguiu me conquistar - e me deixou com a sensação de que não precisaria, que daria para tudo se resumir em dois livros já que várias das perguntas que fiquei ao terminar o primeiro são as mesmas ao terminar essa parte.

Silas se encontra no carro, sozinho, sem saber quem é ou onde está. Mas dessa vez, ele tem várias anotações com ele - e conforme vai lendo, embora tudo pareça loucura, ele sabe que não tem outra opção a não ser acreditar. Ainda mais que Charlie está desaparecida. Ele não consegue se lembrar dela, mas ele sabe que precisa encontrá-la e se as anotações são uma boa indicação, ele a ama.

Charlie se encontra presa em um quarto e pensa que está em um hospital ou um manicômio. A segunda opção faz mais sentido já que ela não consegue se lembrar de nada, nem de seu nome. Então, quando uma enfermeira chega com remédios, ela os toma - mas com o passar das horas e com o sonho que teve, ela começa a sentir a necessidade de que precisa sair do lugar onde está.

Como é possível sentir falta de alguém que você não consegue se lembrar?

Dessa vez, temos o foco maior no Silas - que está do lado de fora tentando juntar todas as peças do quebra-cabeças em que se encontra para descobrir não só o que está acontecendo com ele mas também encontrar Charlie. Revemos alguns fatos que já sabíamos da primeira parte, mas também temos alguns novos detalhes que vem através de anotações no diário de Charlie e em algumas cartas.

Além da corrida contra o tempo, já que tudo indica que a memória dele será apagada de novo, ainda tem uma fuga já que como Charlie está desaparecida e ele foi o último a estar com ela existe a suspeita de que ele fez algo com a garota. Na outra ponta da história, temos a angústia de Charlie em tentar descobrir como sair de onde está trancada.

A segunda parte de Nunca Jamais foi uma leitura rápida, com um ritmo que te prende e que te faz devorar o livro. A escrita das autoras te deixa em cima de brasa, querendo descobrir todos os detalhes e ficando super curiosa em como as coisas irão se encaixar - e principalmente, qual a explicação para a perda de memória dos dois. Infelizmente, como já disse no início, não curti tanto assim o livro já que ele termina praticamente da mesma forma que o primeiro e as respostas só virão no próximo volume - que infelizmente ainda não foi lançado por aqui. Valeu a leitura e valeu descobrir mais desses dois personagens - mas fica a observação de que esse é um livro de meio, uma ponte entre o que já aconteceu e o que ainda virá no próximo (e último) volume.

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

0 comentários

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras