O Livro da Loucura e das Curas - Regina O'Melveny

01/04/2014

Após o desaparecimento repentino de seu pai, Gabriella Mondini enfrenta uma crise: sem o seu aconselhamento, ela não pode mais praticar a medicina. Então, junto de seus dois fiéis servos, Olmina e Lorenzo, ela explora toda a Europa para descobrir para onde — e por que — ele se foi. Seguindo pistas das ocasionais e enigmáticas cartas do pai, ela vasculha as capitais europeias expandindo os horizontes de seu mundo e acrescentando conhecimentos ao imenso livro das curas que está escrevendo. No entanto, ela não conhecerá apenas os limites físicos do continente, mas, também, os mistérios do amor, da perda e da mortalidade. Mistérios que estão no coração de cada alma viajante, especialmente na alma de seu pai.


Gabriella Mondini é uma mulher que, em pleno século XVI, sofre com as regras que a sociedade impunha na época. No cenário dramático, mas muito romântico de Veneza, a protagonista se vê perdida de tantas dúvidas e mediocridade, inclusive, da própria mãe.
 
Médica, ofício que aprendeu com seu pai, Gabriella vê seu mundo cair ao não poder exercer sua profissão pelo simples fato de ser mulher. Nasce aí uma garra em poder recuperar sua carreira e seu amor maior: a medicina. A personagem torna-se então, uma feminista para a época.

Não somente isso, a protagonista vai em busca não somente de seus direitos, mas também de seu pai, que saiu de cada há dez anos, e agora, somente manda cartas pelas cidades por onde passa.  E ela resolve então, que deverá passar por essas cidades descritas nas cartas de seu pai. 

O engraçado, é justamente isso: buscar uma pessoa que não quer ser encontrada.
Além da busca, cabe lembrar que o livro dança entre lugares magníficos, pessoas horrorosas e poemas belíssimos. Gabriella vive relendo as cartas de seu pai, para então, situar o leitor do que se passou com a família Mondini. 

Num contexto geral, o romance de estreia da autora Regina O'Melveny é bem estruturado, e, embora seja destinado ao público mais maduro, pode ser lido e servir de reflexão para todas as idades.

Confesso que não é o tipo de leitura que me atrai, mas sim, é um livro que recomendo para quem gosta de romances de época, mas quem não lê romance de época por conta do vocabulário rebuscado, deve dar uma chance a esse livro, já que ele é de época mais possui vocabulário simples. 



Sou a Fabi.... blogueira, escritora e eterna sonhadora!

Que tal conferir também...

6 comentários

  1. Gostei da capa, mas não da sinopse. E pela sua resenha, não é o meu estilo literário :s
    Bjokas
    nerdworldofgirl.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabi. Eu tenho este livro, mas ainda não comecei a ler. A capa dele é bem bonita e eu gosto da história ser um romance de época e ser passa em Veneza.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho o livro, mas ainda não tive tempo de ler.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  4. Gosto de romances de época, mas não me interessei por esse desde seu lançamento e ainda não mudei minha opinião a respeito dele :(

    ResponderExcluir
  5. Gosto de romances de época, esse é o tipo de livro não me atrai, mas parece ser bom, gostei da sinopse. Estou querendo ler livros de outros tipos além de só romances e aventuras

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras