A linguagem das Flores – Opiniões

10/09/2011

Sinopse

linguagemVictoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção.

Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder.

Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular.

Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram.

 

Vanessa Diffenbaugh escreve uma estória onde não existe personagens perfeitos. A carga de emoção de cada um deles é peça fundamental para o decorrer do enredo e é praticamente impossível não se sentir cativada e envolvida.

Não espere um livro fofo… bonitinho… suave por falar de flores e ter uma capa linda.  Mais que uma história sobre flores, é uma história sobre perdão, sobre amor. Não é uma história romântica, com príncipes e princesas e nem um conto de fadas que se resolve fácil no final…

A linguagem das Flores é um livro forte, que consegue te deixar apreensiva por não entender como os personagens não enxergam alguns detalhes e ao mesmo tempo é delicado, te deixando esperançosa por saber que algumas coisas realmente são difíceis de se ver, de se notar, principalmente por quem está vivendo o decorrer dos fatos. É sempre mais fácil enxergar as coisas quando se está de fora, não é?

“Talvez os diferentes, os rejeitados, os mal-amados pudessem aprender a dar amor com tanta abundância quanto qualquer outra pessoa.” (pág. 282)

Victória é tudo o que não gostaria de ser, embora não tenha clareza disso. Quer dizer, ela se acha impura, indigna de ser amada, de ser perdoada. E por pensar assim, por acreditar que ela vai estragar tudo em algum momento, é melhor não se envolver, não se abrir, não se permitir nada além de isolamento.

Grant… Impossível não se apaixonar por ele. Mas não no sentido que os mocinhos de livro nos conquistam. Por ter sofrido tanto na vida, por ter vivenciado na pele o que é dor, ele compreende Victoria de um jeito quase humanamente irreal. Aceita seus tempos, suas atitudes e suas necessidades de espaço, mas não é o submisso da história. Como ele mesmo diz em determinado momento “você fez o que precisava fazer, e eu fiz o que precisava fazer” (pág. 266)

Renata… Ah Renata… Como o mundo seria melhor com mais pessoas como você. Seria muito mais colorido se as pessoas conseguissem enxergar a sutileza dos sentimentos guardados e tentassem dar ao próximo o que ele quer (ou o que ele precisa que muitas vezes é o mesmo) e mais do que isso. Mais do que o apoio, dar o auxilio, ou simplesmente dar um buquê de flores, fazer isso sem questionar e principalmente sem julgar! E não só Renata, mas sua irmã Natalya e Mamãe Ruby, mesmo completamente diferentes entre si dão colorido a história… Colorido que muitas vezes falta no dia a dia… na vida.

Elisabeth… Como o musgo, que cresce sem ter raízes você mostra que amor de mãe pode crescer sem as raízes. E mesmo não parecendo, cada detalhe conta… E como tudo poderia ter sido diferente, não fossem os enganos e as atitudes tomadas em momentos de raiva… E como parar o relógio da vida quando ele resolve levar nossos destinos por caminhos doloridos?

E o melhor de tudo no livro é que ele mostra que não precisamos ver certas coisas para saber que elas existem. Só porque ninguém consegue enxergar o vento, não quer dizer que ele não está ali, não é? E como diz na capa, qualquer pessoa pode se transformar em algo belo.

Concordo com Jamie Ford que disse que o livro parte o coração e depois vai colando os pedacinhos. Foi o que aconteceu comigo. Com o coração partido no inicio e totalmente colado depois, é um livro que vai ficar na minha memória por muito tempo devido a toda a sua intensidade. Difícil definir o livro em outra palavra que não seja “inesquecível”.Lica

 

 

 

ficha linguagem das flores

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

10 comentários

  1. Oi,

    Que resenha marcante heim! Amei a forma como você descreveu os personagens e falou do livro, acho que mais pra frente irei lê-lo, agora estou curiosa. Gosto de livros assim e de resenhas como a sua!

    Beijos, Patty
    Cartas para Ficção

    ResponderExcluir
  2. Lica *-* adorei esta resenha ♥
    sempre curto muito quando vc resolve resenhar e esta foi umas das melhores (nao conigo decidir qual é a melhor rsrsrs) aodrei como vc falou de cada um e nem consigo decidir por qual me apixonei mais.
    quero tanto ler este livro depois desta maravilhosa resenha ♥
    parabes garota

    ResponderExcluir
  3. Tava louca pra comprar esse livro na Bienal. Agora então, fiquei com mais vontade.

    ResponderExcluir
  4. parece seer bom ;)
    adoreeei a resenha,
    acho que se eu ler um livro desse eu choro.. sério, sou fraca para essas historias,
    "qualquer pessoa pode se transformar em algo belo..." adoreeei as citações do livro, nunca tinha sequer visto esse livro mais espero poder ler ele logo *-*
    beijooos :*
    @AmandaGoncalvez

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha! Gente, vou querer ler esse livro! Essa frase me conquistou...

    "Não espere um livro fofo… bonitinho… suave por falar de flores e ter uma capa linda. Mais que uma história sobre flores, é uma história sobre perdão, sobre amor. Não é uma história romântica, com príncipes e princesas e nem um conto de fadas que se resolve fácil no final…"

    ResponderExcluir
  6. "Não espere um livro fofo… bonitinho… suave por falar de flores e ter uma capa linda..."
    As capas, realmente, enganam. Minha 1ª impressão ao ver esse livro foi: título fofo, capa delicada, estória leve hahaha. Não tinha grandes expectativas em relação à estória desse livro, mas lendo sua resenha, tudo mudou. Parabéns, muito boa a maneira como vc nos apresenta o livro!

    @BobbyDupeaGirl

    ResponderExcluir
  7. Nossa...fiquei boquiaberta...resenha linda!!!
    Lica, que livro é esse?! rsrsrs
    Amei tudo que você disse e a forma como foi dito!
    Ai, quero urgentemente...rsrsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda nao tinha lido sua resenha Lica, pois eu estava preparando a minha… adorei sua resenha e vc disse tudo o que eu esqueci de dizer na minha… adorei Victoria, Grant, Elizabeth, Renata, Hazel e tudo neste livro… um livro a ser mantido no criado mudo (se eu tivesse um)…

    Adorei sua resenha amiga!

    ResponderExcluir
  9. Esse livro deve ser super lindo..só a capa já conquista todo mundo neh!!!!!
    Adorei a resenha dele e estou louca para ler!!!!!!!1

    bjus

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras