Mais Forte do que Nunca - Brené Brown

06/12/2016

A ironia é que tentamos rejeitar nossas histórias difíceis para parecermos mais plenos ou mais aceitáveis, mas nossa plenitude depende, na verdade, da integração de todas as nossas experiências, inclusive as quedas. 
Errar faz parte da vida. Se você correr riscos e for corajoso, mais cedo ou mais tarde poderá se dar mal. Às vezes aquele projeto em que estava apostando todas as fichas vai pelo ralo ou um casamento de muitos anos chega ao fim, deixando dor e muito sofrimento pelo caminho. Não importa: todos precisam aprender a lidar com o fracasso.
Apesar disso, temos medo de falar sobre o assunto. Conhecemos inúmeras histórias bonitas de superação, mas sempre há nelas uma espécie de lacuna: passa-se diretamente do infortúnio à vitória e o doloroso processo que nos leva de um ponto a outro nem sequer é mencionado.
Tomando como ponto de partida seu trabalho pioneiro sobre a importância da vulnerabilidade, em Mais forte do que nunca, a pesquisadora Brené Brown faz a pergunta inevitável: se todos nós levamos rasteiras da vida, como certas pessoas conseguem enfrentar tantas adversidades e, mesmo assim, sair mais fortes?
Para responder a isso, a autora conversou com inúmeras pessoas, coletou dados e passou a compreender melhor a volta por cima. Neste livro, você vai aprender quais são as características de personalidade, os padrões emocionais e os hábitos mentais que nos possibilitam transcender as catástrofes da vida e renascer não totalmente ilesos, porém mais plenos e realizados, vivendo com mais propósito e significado. 


Caia. Levante-se. Tente outra vez.
Essa é a frase na capa do livro e a que mais me tocou e me prendeu à leitura.
Não teria como fazer uma postagem sobre esse livro sem falar dessa frase.
Como é difícil a gente conseguir ver uma luz quando está no chão, como é difícil ver uma possibilidade de levantar e tentar novamente, mais difícil ainda quando não é a primeira queda.

Assim como qualquer livro do estilo (superação, psicologia, autoajuda) cada pessoa que ler terá uma interpretação. E não só isso... O mesmo leitor que ler em dois momentos diferentes da vida, também pode ter duas interpretações.
Para mim, ele chegou no momento certo, no momento em que eu precisava de uma leitura assim.

Então, não espere encontrar uma resenha nessa postagem. Se a sua intenção é saber um pouco mais sobre o livro, a sinopse é bem completa sobre o conteúdo da leitura.
O máximo que eu vou conseguir fazer é um desabafo, é comentar algumas coisas que pensei durante a leitura. Vou abrir um pouco o meu coração e deixar sair os sentimentos presos.
"É muito mais provável a vergonha ser a causa do que a cura dos comportamentos destrutivos. A culpa e a empatia são os sentimentos que nos levam a questionar como nossos atos afetam os outros, e ambas são severamente reduzidas pela presença da vergonha." (pág. 131)
A vergonha é um dos piores sentimentos que alguém pode ter. E tudo se torna ainda mais difícil quando a sociedade acaba impondo a vergonha como algo que deve ser o ideal para o outro aprender. É vergonhoso você não conseguir resolver as coisas sozinho. É vergonhoso você reclamar já que tem gente em situação muito pior. É vergonhoso você não ser grato por tudo o que possui. Então, muitas vezes julgamos os outros sem saber o peso que carregam dentro de si. E muitas vezes, a pessoa que parece feliz ao seu lado está apenas usando uma máscara.
"É impossível dar a volta por cima quando estamos fugindo." (pág. 134)
Eu sou uma pessoa que foge muito. É comum não acreditarem em mim quando conto sobre um dos grandes problemas que tenho. Isso porque, na frente dos outros eu raramente estou sem uma máscara de proteção. É mais fácil fugir dos problemas, fingir que eles não existem e que o mundo é sempre colorido. O complicado é que você não consegue fugir das coisas que estão dentro de você. Como você pode fugir de um coração partido? Como fugir de uma decepção? Como fugir de um ressentimento? Como fugir de uma doença, principalmente quando ela é invisível?
Não tem como.
"Não podemos ser corajosos no mundo sem ter ao menos um espaço seguro para elaborar nossos medos e nossas quedas." (pág. 204)
A única saída é aprender a lidar com a vulnerabilidade. É aprender a ter coragem, a perceber que você pode se tornar mais forte, que você consegue levantar uma e outra vez.
Algumas pessoas conseguem sozinhas, com livros inspiradores ou ouvindo mensagens de quem já passou por coisa pior e superou.
Outros precisam de ajuda (seja com terapia ou com remédios).
Para mim, é a soma das possibilidades que me ajuda a olhar em frente, a seguir e tentar ver mais cores quando tudo ao redor parece apenas escuro ou cinza. E por isso escolhi esse livro, para somar junto com tudo o mais que eu faço.

O melhor do livro é que não tem uma fórmula mágica. Na verdade nenhum dos livros da Brené Brown vai te dizer o que você deve fazer e pronto, você será melhor. O livro fala sobre as experiências da autora e também de muitas outras pessoas. Ela cita casos e comportamentos que fazem parte de sua pesquisa (de mais de 13 anos) sobre vulnerabilidade, amor-próprio, vergonha e coragem, contando o que ela descobriu sobre o comportamento, sobre hábitos e padrões que podem nos ajudar nos momentos de infortúnios.
Enquanto muitos livros contam apenas a parte de "eu estava na pior mas agora estou super bem", Mais forte do que nunca foca naquele espaço de tempo entre a situação ruim e a volta por cima.
"Somos os autores da nossa vida.
Escrevemos nossos próprios finais ousados."
Mais forte do que nunca foi uma das leituras mais difíceis que fiz durante esse ano de 2016. Isso porque foi uma leitura que me tocou, que colocou o dedo lá na ferida e me machucou muito. Me fez chorar... E como eu chorei... Mas a Brené tem um jeito tão delicado, tão bonito e, porque não dizer tão simples de falar que ao mesmo tempo que me fez chorar, me fez ver que existe algo a mais, que as coisas não só podem, como tem conserto. Que não é igual para todo mundo, mas que a gente consegue e que vale a pena levantar e tentar de novo. E se preciso, de novo e de novo.

A citação abaixo faz parte da dedicatória do livro. É com ela que o livro começa e é com ela que eu gostaria de terminar essa postagem... Agradecendo não só aos corajosos que nos ensinam a levantar, mas também agradecendo à Brené por mais um livro maravilhoso. E agradecendo também a Sextante por ter publicado e com isso me dado a oportunidade de ler - e aprender a ser um pouco mais forte!
Aos corajosos e inconsoláveis
que nos ensinaram a levantar depois de uma queda.
A sua coragem é contagiante.

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

21 comentários

  1. Uou, prometo ler o livro e citar que seu post me inspirou a fazer isso.

    Beijos
    Lua Mariano
    www.meumundodalua.com

    ResponderExcluir
  2. Oiee Lica ^^
    Eu já tinha visto esse livro antes, mas a sua resenha foi a primeira que eu li. Fico feliz em saber que o livro conseguiu te tocar, mesmo que ele tenha feito você chorar. Parece ter chegado bem na hora certa, hein?
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  3. Não costumo ler livros do gênero, mas os da Brené eu leio e indico. Esse foi o segundo livro dela com que tive contato e foi maravilhoso conhecer a obra, acho muito legal mesmo isso dela não querer nos dizer o que fazer e sim apresentar o que aprendeu com suas pesquisas e nos deixar livres para aplicar os resultados em nossas vidas. Fico feliz que o livro tenha chegado no momento certo e mexido tanto com você.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lica!
    Não sou muito - ou nada mesmo, rs - leitora desse gênero, mais precisamente o autoajuda, não costumam me prender ou sequer funcionar comigo, então não dou muita atenção à esses livros em especial. Mas é bom saber que, no meio de tantos do gênero, esse parece se destacar de alguma forma, por ser direto e firme, mas ainda sensível, talvez. É complicado lidar com as pressões do dia a dia, e a vergonha de errar em algo realmente nos atrapalha bastante, e é preciso saber lidar com isso e contornar a situação para não perder boas oportunidades e nem se deixar abater quando algo sair de nosso controle ou expectativa.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir
  5. Oi Lica, sua linda, tudo bem?
    Precisamos ser muito fortes, ter muita fé, pois concordo com você, quando estamos no chão, é difícil levantar, e é difícil achar que podemos levantar. Principalmente, porque durante nossa vida, caímos muitas vezes. É muito duro. Não sabia que esse livro seria tão intenso. Você me tocou com sua resenha e acabei chorando no final. Sou muito sensível, acho que esse livro vai mexer muito comigo também. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Eu não conhecia o livro ainda, achei a capa bem bonita, mas não é meu estilo de livro. Eu já tentei ler livros de auto-ajuda ou psicológicos (não sei se é assim que se chama haha), porém não conseguir sentir a clareza que muitas pessoas fãs do gênero sentem. Gostei do seu modo de falar sobre o livro, no entanto deixo a dica passar.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá, Lica.
    Confesso-lhe que não sou muito fã de livros de auto-ajuda, mas a capa e as frases que você citou do livro me chamou bastante a atenção.
    Futuramente se eu tiver a oportunidade, darei uma chance ao livro.

    ResponderExcluir
  8. Amo quando tenho a oportunidade de ler livros como esse e o momento é o certo, quando eu e o autor estamos sintonizados e cada palavra soa como se ele tivesse escrito para mim. Adorei seu post, sua conversa particular pautada pelo livro, com certeza se eu tiver a oportunidade de fazer a leitura, farei sem medo!
    Beijo
    http://capsuladebanca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Lica que livro mais encantador garota, eu realmente adoraria ter a oportunidade de realizar a leitura, principalmente pelo tema abordado que muitas das vezes é evitado, é mais fácil colocar o outro para baixo do que ajudar, ótima resenha e dica anotada.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lica! É curioso como a gente às vezes topa com as histórias que precisamos ler porque parecem que foram escritas diretamente para nós. Passei por esta experiências várias vezes neste ano e saí delas melhor. Porque é o que você disse: geralmente se pula do infortúnio para a vitória e a gente sabe que há uma estrada de uma ponta à outra que precisa ser enfrentada e percorrida. Persistência na sua jornada. E siga em frente! Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Oi Lica, não costumo ler livro do gênero, porém alguns me fazem sentir como se precisassem ser lidos. Já tinha visto este livro mas não dei muita bola justamente por ser um espécie de auto ajuda, mas agora vendo tudo o que você tem a dizer me senti tentada a leitura. Tenho quase certeza que assim como você vou me identificar nestas páginas, principalmente na questão da fuga. Obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  12. Oi Lica tudo bem?
    Mulher eu sou meio de fases sabe? As vezes eu to com tanto abuso de autoajuda que fico xingando os livros e dizendo que nada disso presta, funciona ou me toca. Mas as vezes eu to tao sei la que leio algum trecho de algum autor de autoajuda e ja acho que o cara escreveu pra mim e coisas do tipo ahahahha nunca li nada da autora mas como trabalhei em uma livraria, dentre os autores do genero, ela era muito procurada, as clientes amavam e super indicavam quando eu dizia que nunca tinha lido nada dela ainda. Talvez ano que vem eu leia algo dela. Adorei o seu post e é realmente inspirador, da mesmo vontade de ler!!! É ate uma boa dica de presente agora pro final do ano ne? Livro é sempre bom e essas leituras engrandecedoras e inspiradoras são otimas pra quando vc nao sabe oq a pessoa gosta de ler.
    bjos!!

    ResponderExcluir
  13. OOi!
    Já v esse livro passar bastante na timeline do meu facebook, mas nunca havia parado para ler do que se tratava.
    Pelo jeito, o livro te tocou bastante, né? haha
    Gostei bastante. Parece ser um livro com conteúdo bem rico. Dica anotada!
    ótima resenha e amei as citações! :)

    Beijoos!

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia esse livro, mas fiquei encantada com a mensagem que ele transmite e com os trechos que li aqui. <3 Com certeza uma leitura que irá ajudar muitas pessoas e nós trazer um sentimento de força!

    ResponderExcluir
  15. Esse gênero de leitura não está entre os meus preferidos, mas sempre que posso, gosto de conferir algo. Gostei muito da proposta, principalmente pela interpretação ficar a cargo do leitor.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  16. Já faz algum tempo que não leio livros de auto ajuda, mas depois de ler várias resenhas sobre esse livro em especial, confesso que me peguei bastante feliz com essa leitura. Ainda não adquirir o livro, mas pelo que vejo a escrita da autora consegue tocar o leitor, e fazer com que nos emocione. Esse e realmente um livro que nos faz refletir, e seguir enfrente, para enfrentar o que vier.

    ResponderExcluir
  17. Lica!
    Tem livros que mexem mesmo conosco, principalmente porque abordam temas que não gostamos e encarar de frente, como aqui, falando sobre fracassos...
    Deve ser daqueles livros que nos fazem refletir sobre tudo na vida e no final nos faz evoluir.
    “Há mais, muito mais, para o Natal do que luz de vela e alegria; É o espírito de doce amizade que brilha todo o ano. É consideração e bondade, é a esperança renascida novamente, para paz, para entendimento, e para benevolência dos homens.” (Desconhecido)
    Boas Festas!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  18. Ai que lindo esse livro! Não imaginava se tratar de uma obra assim tão profunda, tão tocante. Fiquei super curiosa para ler. E sua resenha ficou maravilhosa!!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  19. Olá! Confesso que não conhecia a autora, mas depois da sua resenha fiquei bastante curiosa para ler "Mais Forte Do Que Nunca", ele parece ser incrível.

    ResponderExcluir
  20. Eu não conhecia este livro, e geralmente não curto muito livros do estilo auto ajuda, e nem estou no momento para ler um, mas este parece ser bem interessante, quem sabe futuramente, em outro momento, eu leia.

    ResponderExcluir
  21. Gostei dessa resenha-que-não-é-uma-resenha
    Às vezes, só conseguimos falar sobre como nos sentimos com determinada leitura e você conseguiu fazer isso muito bem
    Gosto desse tipo de leitura :) com certeza muito proveitosa

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras