O Prazer mais Sombrio – Opiniões

29/10/2011

capa1Há milênios, quando os deuses habitavam o mundo, doze gregos foram condenados a carregar por toda a eternidade os espíritos malignos que libertaram da caixa de Pandora. Agora, eles precisam encontrar a única relíquia capaz de dar fim a seu sofrimento... ainda que possa destruí-los. Guardião de Dor, Reyes enfrenta um dilema mais dilacerante do que as garras de seu demônio. Embora desejasse Danika Ford, uma humana comum, ele deveria escolher entre o seu amor e a lealdade a um dos guerreiros acometidos pela maldição: Aeron, guardião de Ira, a serviço dos deuses para aniquilar Danika e toda a sua família. Se Reyes permitisse que Aeron cumprisse sua missão, perderia a única mulher capaz de proporcionar um prazer maior do que a dor. Entretanto, ao neutralizar seu companheiro, Reyes abrira uma brecha para que Danika fosse capturada pelos Caçadores, cujos planos eram torná-la uma Isca. Agora, deverá arriscar a própria alma para salvá-la. Ainda que estranhe o fato de os deuses desejarem a eliminação de uma mera mortal.

Antes de começar a dividir com vocês minhas opiniões sobre a história de Reyes e Danika, preciso dizer que esperava mais do livro… Por ser o guardião da dor, e mesmo tendo algumas atitudes bem estranhas com relação a isso (como se jogar de um prédio só para os ossos se quebrarem) eu esperava um pouco mais de ousadia nos momentos mais quentes do livro. Penso que nesse livro a Gena poderia ter abusado um pouco mais e talvez entrado mais a fundo no masoquismo. Afinal, se ele é o guardião da dor, e por isso só sente prazer através da dor foi uma pena ver que as coisas sumiram no meio do caminho. Sim, nós temos uns arranhões aqui, umas mordidas ali… E Danika não deixa as coisas fáceis para Reyes, mas eu esperava algo mais forte, uma “pegada mais bruta” por assim dizer. Mas talvez eu estivesse esperando um pouco mais do que seria o normal, não sei….rs

Ah, e antes de fazer as comparações com a Irmandade e comparar Reyes ai Vishous, vale lembrar… Vishous gostava de comandar as coisas, de fazer o parceiro sofrer. O “sofrimento” do outro era o que dava um certo prazer ao V. E Reyes precisa sentir a dor para ter prazer, tanto que ele mesmo se corta várias vezes durante o livro…

Bom, impossível escrever a resenha sem spoilers da série. Posso fazer sem spoiler do livro, mas se você não leu a série sugiro que não perca mais tempo e entre logo nesse mundo criado pela Gena. Aviso dado, vamos aos fatos:

Nos livros anteriores, somos apresentadas a esse mundo novo e alguns pontos foram levantados. Sabemos que os senhores estão atrás dos quatro artefatos que podem levá-los a caixa de pandora, sabemos que um deles foi encontrado no segundo livro e sabemos que o Aeron recebeu uma maldição extra de Cronos que o obrigaria a matar Danika e sua família para não ser dominado pelo seu demônio (Ira). E é deste ponto que a história continua. Aeron cada vez mais dominado por Ira está trancado no castelo na tentativa de proteger Danika.

"- Preciso saber.
- O que? O que você precisa saber?
- Como é seu gosto. - Outro passo.
- E o que acontece quando você souber? - perguntou ela, irritada.
-Eu paro de ficar imaginando. Paro de sonhar com você todas as noites, paro de pensar em você o dia inteiro." (pág. 156)

Reyes, desde o primeiro momento lá no primeiro livro se vê encantado por essa humana que no início não me convenceu… Danika não parecia ter nada de especial e muito menos me cativou nos livros anteriores. Eu achava ela meio chata e pensei que não fosse gostar do livro com ela como protagonista. O bom é que estamos falando da Gena e com isso, ao menos o que eu pude notar até agora é que as pessoas não mudam de uma hora para outra, elas evoluem sim, mas não do nada… Ao termos Danika como protagonista começamos a entender por que ela é como é e dá até para perdoar as suas chatices. Bom, eu não sei se eu não seria até mais chata do que ela se tivesse os seus sonhos…

Muitas coisas acontecem por aqui… O desenrolar da trama está um tanto mais arrastado e o casal demora para finalmente ficar juntos. Quer dizer, eles começam o livro separados, depois Danika volta para o castelo com uma missão dos caçadores e as coisas começam a ser explicadas… Temos o sofrimento de Paris que vai além do livro anterior, pois agora ele tem uma oportunidade de ouro nas mãos mas precisa fazer uma escolha, aquele tipo de escolha que a gente tem a certeza de que não é capaz de fazer e se tortura muito por isso. Se eu estava com pena dele em O Beijo mais Sombrio, agora além de ter certeza de que ele não merece isso estou com cada vez mais ódio de Cronos… Uix que esse cara é um porre!!!!

Resumindo… O livro tem muita coisa para contar e todo mundo busca alguma coisa. Então talvez não poderia ser diferente e por isso talvez alguns leitores podem achar o livro um pouco cansativo. Mesmo assim, vale a pena… Vale muito a pena =D

"Em toda sua vida jamais imaginara um momento tão perfeito. Um momento em que seu coração batia por amor, em vez de dor. Ela era dele. Ele era dela." (pág. 351-352)

Quanto ao final… Bom, gostei de como a Gena resolveu as coisas com o casal e com a surpresa que descobrimos quanto ao segundo artefato (O “olho que tudo vê” e que fica com os senhores) tinha medo de aparecer algo estranho demais e surreal demais tipo a Jane na Irmandade da Adaga Negra. Esta ai mais um fato que me faz preferir os senhores do que a Irmandade. (mas não me levem a mau… Eu amo IAN e amo os senhores, os dois tem meu coração *-*). Mas como nem tudo são flores, embora pense que a Gena acertou a mão com a solução para o casal ficar juntos (lembrem-se que Danika é uma mortal) acho que o final ficou um pouco fraco e açucarado demais… Você termina o livro e fica com um gostinho de que faltou algo…

O próximo livro da série é O Sussurro mais Sombrio e conta a história de Sabin, que carrega o demônio da dúvida. Antes dele tem um livro de contos, chamado A prisão mais Sombria. Infelizmente o livro “3.5” não foi lançado por aqui (ainda tenho esperanças que seja) e conta a história de Atlas e Nike (deuses titãs). Este livro não faz falta na série… É um livro a parte mesmo e nem fala dos senhores ou de alguém que estão em contato com eles. Quer dizer, ao menos não por enquanto. Mesmo assim é interessante de ler, porque ele se passa no Tártaro, prisão muito citada nos livros =)

ficha o prazer mais sombrio

Lica

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

4 comentários

  1. Realmente de todos os livros, e pela expectativa criada em torno do Reyes nos livros anteriores, esperava muito mais... achei um tanto doce demais para um homem de 500 quilos de músculos e sendo o demônio da dor.

    Mas acho que Gena quis dar a entender o leitor um pouco mais da história da serie do que o romance dos protagonistas.

    Amiga adorei a tua resenha, e quando quiser pode "furtar" as montagens, somos amigas e realmente não me importo.

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. É continuo sem saber porque ainda não li nenhum deles! Hunfp!!! Gostei da resenha... E me lembrou um pouquinho do Z, que adorava se machucar também...

    ResponderExcluir
  3. amei! quero para mim so a Gena para escrever um livro deces que te prende do começo ao fim, nao li o livro ainda, mas ja pela resenha ja me deixou amando rsrs *-*

    ResponderExcluir
  4. Ahãm, esperava uma 'pegada mais bruta', dona Lica... sei, agora tô entendendo sua preferência pelo V, hummm *brincadeirinha*

    Quando cheguei no "Bom, impossível escrever a resenha sem spoilers da série. Posso fazer sem spoiler do livro, mas se você não leu a série...", parei! Ainda não li e não quero estragar a surpresa, mas esse Reyes, hein??? Hum, interessante...

    @BobbyDupeaGirl

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras