Twice as Hot #3 – Luxúria

23/01/2013

Oi Pessoal…

Depois de um momento de “como irei falar desse livro”, aqui estou eu para falar de Luxúria, lançamento de 2012 da Lua de Papel. Bom, ao menos eu vou tentar, mas não prometo ser coerente e nem imparcial, até porque eu amei o livro…rs

tah luxúria

Sinopse

Se você não for ao limite, como saberá até onde pode ir?

Quando Dylan Ivory, escritora de romances eróticos, recebe o contato de Alec Walker, nem imagina o quanto esse homem pode mexer com seus pensamentos.
Conhecido por ser um famoso dominador em relações sadistas e sadomasoquistas, Alec tenta convencer Dylan de que a melhor forma de se aprofundar no assunto - e então escrever um livro o mais próximo possível da realidade - é viver uma experiência como submissa e sentir na pele a sensação desse tipo de relação.
Para Dylan, essa proposta será difícil de ser aceita - uma vez que ela é fanática por ter o controle de tudo em sua vida.
Embalados por um misto de prazer e apreensão, o casal se vê em uma situação tentadora enquanto evitam entregarem-se ao sentimento que nasce entre eles.

image18

Então… Por onde começar???

"- Vou lhe dizer uma coisa, Dylan, e é a pura verdade. Não há como retratar um estilo de vida de forma acurada se você não entrar nele. Tem de experimentá-lo, mergulhar nele. Há muitos componentes - físicos, psicológicos, emocionais - , e todos sobrepostos. É complexo. Por isso é que nós que praticamos gostamos dessas coisas. A complexidade. A intensidade.
Ele acariciou as costas da mão dela, deslizando os dedos pela superfície. A pele dele era quente. A dela ficou mais ainda.
- Tem a ver com a sensação. E com o que passa em sua cabeça. Pode ser sensual ou sexual. Ou ambos. Você não pode começar a descrever as dinâmicas envolvidas sem ter estado lá."

Eu praticamente devorei o livro em uma tarde e ao chegar na última página fiquei com aquela sensação de “não pode ser só isso”. Eu queria mais, eu queria saber mais sobre como seriam as coisas daquele ponto para a frente, eu queria passar mais momentos com Dylan e Alec.

“Ela quis resistir. Lutar. Mas ele tinha o gosto certo. O perfume certo. E o sentimento certo.”

Quando descobri que o livro fazia parte de uma trilogia fiquei super feliz, mas logo depois, descobri que os 3 livros são interligados pelo tema e a proximidade dos personagens, mas cada livro tem uma história independente, não com os mesmos personagens. Luxúria conta a história de Dylan e Alec. No limiar do desejo traz a história de Dante, melhor amigo de Alec. E Temptation's Edge – inédito no Brasil – traz a história de Mischa, melhor amiga de Dylan. Mesmo assim, quero muito os livros porque adorei o estilo de escrita de Eve Berlin.

Bom, não vou fazer um resumo da história, se alguém quiser mais detalhes sobre o caminhar do livro tem muitas resenhas por aí que contam, mas vale comentar que a história é curta (são 252 páginas) então não se surpreenda se achar algumas coisas rápidas demais, ou então sentir falta de uma trama cheia de reviravoltas e detalhes.

“Ele virou-a, empurrando contra a porta da frente, em que ela apoiou as mãos, com o rosto a apenas poucos centímetros da madeira lisa e pintada. Então ele abaixou o zíper de seu vestido, o mesmo que ela havia usado para o encontro no Pleasure Dome na noite de sexta-feira. E que ele tirou em seguida. Ela estava nua por baixo.
- Ah… exatamente do jeito que eu gosto, minha garota – ele deslizou as mãos pelos lados do corpo dela, fazendo com que sua pele se arrepiasse. E foi descendo para os quadris, as nádegas. – Abra as pernas para mim Dylan. Vou foder você aqui mesmo.”

Por falar em detalhes… Adorei a forma como o BDSM foi inserido na história. Como Dylan está fazendo uma pesquisa para seu próximo livro e decide embarcar com Alec nesse mundo, somos presenteados durante a narrativa por vários detalhes de como é e como funciona a dinâmica entre dominador-submisso. Talvez em alguns momentos isso se torne um pouco didático, mesmo assim, o livro fica longe de se tornar chato.

Outro ponto positivo é ver que a autora não se mostra preconceituosa ou moralista quanto a esse assunto. Ah, e o fato de curtirem algo diferente do normal na intimidade não vem de um desvio de conduta ou um grande trauma. Fica claro que é questão de gosto. E eu adorei isso, porque diferente do que se encontra em alguns livros, eu acredito que o que você curte e o que não curte em sua intimidade não define o que você é. Define apenas do que você gosta.

“Ele se levantou, segurou a cadeira para ajudá-la a fazer a mesma coisa. Ela tremia ao menor toque de suas mãos. Adorável.
Ele a puxou para perto, sentindo o aroma de baunilha em sua pele, em seus cabelos. Inclinando-se, sussurrou em seu ouvido.
- Dylan, vou levá-la para cima agora. E vou fazer todas as coisas com as quais tenho sonhado desde a última vez em que esteve em minha cama. Mas, primeiro, vou jogar com você. Está pronta?
- Sim. - A voz dela era um sussurro delicado, tão delicado que ele tremeu.”

PleasuresEdge

 

Dylan…

Bom, o que eu mais gostei em Dylan é que ela não é nenhuma virgem, mas para uma mulher na casa dos trinta anos, escritora de romances ela tem umas partes um pouco infantis. Mas assim, durante a leitura eu não pensei em infantilidade, mas em insegurança. E a entendi muito bem em vários pontos. Eu mesmo, com quase 30 tenho muitas inseguranças comigo quando o assunto é estar apaixonada.

                            

“Tortura, querer algo que ela sabia que não deveria ter. Se ela permitisse que acontecesse, não haveria como voltar atrás. Ela estaria perdida de uma forma irrevogável; a força que construíra durante toda a sua vida se desintegraria em sua ridícula necessidade daquele homem e do que oferecia a ela.”

 

david-gandy

 

Alec…

O que dizer do Alec? Ele chama a atenção e já me conquistou na primeira página. Eu nem bem tinha começado a ler o livro e ele já tinha me ganhado. Forte, alto e com cavanhaque? Há… Impossível não pensar no David Gandy *-* E ele que era para mim somente a imagem perfeita do Vishous, acabou assumindo também a forma perfeita de Alec Walker.

                               

“- Você não precisa... me abraçar.
- É claro que preciso.
Ele pareceu verdadeiramente surpreso.
- Porque é parte do seu trabalho?
Ele ficou em silêncio por um longo instante.
- Não.
- Então por quê?
Outro largo silêncio. E então disse:
- Porque eu quero.”

Foi impossível não se apaixonar pelo jeito dominador de Alec, principalmente por ele ter todo um lado ‘fofo’ junto. Foi impossível não ficar imaginando em como seria encontrar um Alec no mundo real e estar na mesma situação de Dylan; sabe quando durante a leitura bate aquela vontade de ser a personagem principal? Por aí…

Embora tenha minhas críticas quanto ao título (não é que eu não tenha gostado, acho que ficou legal, só que no original eles tem todos o mesmo ‘estilo’ por assim dizer e isso se perdeu com a tradução) a Lua de Papel fez um trabalho primoroso com a capa que ficou lindamente perfeita. E o trabalho de revisão também foi ótimo – só não digo perfeito porque encontrei dois ou três errinhos no caminho…

Escrito de forma deliciosa, a narrativa de Eve Berlin me conquistou muito mais do que eu imaginava que fosse possível. Acredito que por um bom tempo nenhum ‘mocinho’ será tão presente em meus pensamentos quanto Alec.

163370_394264407326255_802772302_n

Para a felicidade geral, nos próximos dias (a editora tinha informado Janeiro, mas nas livrarias online marca como 05/02) ocorre o lançamento de No Limiar do Desejo e eu tenho a leve impressão de que não irei me decepcionar com a história e ficar encantar por Dante…rs

Beijinhos,

Lica

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

20 comentários

  1. Só digo uma coisa desse livro, fiquei exausta, e Alec literalmente acabou comigo, esse homem não cansa, é a pilha recarregável, sempre pronto e avante kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Amei a resenha, deu uma saudade do livro, tipo do contexto do livro rsrsrsrsr.

    ResponderExcluir
  2. Amei a resenha, deu vontade de ler!
    Aposto que é bem melhor que 50 tons :)

    beeeijo!
    Letícia - Céu de Letras

    ResponderExcluir
  3. A onda erotica ainda n conseguiu me agradar...e sinceramente n acho que vai ser Luxuria que conseguirá. BDSM com certeza não faz meu estilo,rsr. Bjksss

    ResponderExcluir
  4. Tô muito a fim de começar essa leitura, mas a minha lista tá encorme. Como vai lançar a continuação agora, acho que vou esperar mais um pouco pra poder ler seguido.

    ResponderExcluir
  5. Tô com o livro aqui na estante e me perguntando pq eu ainda não li???
    E que bom saber que a autora não usou um trauma de infância e tal para justificar o gosto do Alec por BDSM, afinal, como vc mesmo disse, qual o problema em praticar BDSM simplesmente pq gosta da coisa??? Bom, sinto que Luxúria vai furar a fila em 3,2,1...

    ResponderExcluir
  6. Dias desses me peguei pensando em relação à essa modinha dos romances eróticos, e vi que uma boa parte tem BDSM na trama. Me parece uma espécie de pré-requisito. E o pior de tudo, colocam como se fosse uma consequência de um trauma sofrido no passado. Que bom que em "Luxúria" a autora soube trabalhar esse tema como uma forma de prazer, e não de punição ou desabafo de trauma. Ponto mais que positivo para a autora.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  7. Ingrediente fatal: descrever uma relação sadô-masô, como já ouvi alguém falar... tem de tudo pra enlouquecer os fãs do gênero... Mas eu não curto. Quer saber que fiquei curiosa por essa explicação mais, digamos, 'didática' que vc citou? Pelo menos para saber que diabo é isso que esses livros tanto trazem...

    ResponderExcluir
  8. Quando vi esse livro pela primeira vez, me apaixonei pela capa de cara, li a sinopse e achei interessante, e desde então não li nenhuma resenha dele, mas aí você aparece com esse livro, (nessa coluna nova e que eu to adorando) e eu só posso dizer uma coisa, eu fiquei super curiosa e encantada - se pode-se dizer isso - por esse livro. Quero ler em breve, e com certeza vou marcar bem o rosto do David Gandy, que eu não conhecia, pra ser também o meu Alec. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Adicionei no Skoob há algum tempo, não sei como vou fazer pra ler se não tenho dinheiro pra comprar. Acho que se eu pedir pro namorado de presente sem explicar do que se trata o livro, ele me dá rsrsrs....

    ResponderExcluir
  10. Caramba que história hihih, ou melhor que personagens
    :)
    Achei bem interessante você ter colocado em destaque não necessariamente a história, mas do que gostou nela, sobre os personagens e sobre a narrativa, achei muito legal, me deixou mais curiosa.
    ^^
    bjus e obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  11. Esse tipo de livro não parece mesmo ter um enredo cheio de reviravoltas e essas coisas, mas parece ser interessante para quem gosta do estilo, principalmente por ter personagens legais, como parece ser, e que a narrativa é envolvente e de se querer mais. Não é um livro que eu tenha vontade de ler, mas para aquele que gostam do tipo...

    ResponderExcluir
  12. Ultimamente tem saido muito livro BDSM oque eu não gosto muito mais acho que foi por 50 tons aff odiei aquele livro espero que esse seja melhor ;/

    ResponderExcluir
  13. Mais um dos "hot" que eu ainda não li, mas com essa resenha bem parcial não tem como não ficar morrendo de vontade de conhecer a história!

    ResponderExcluir
  14. Como eu disse em um outro post, eu realmente não aprecio e não recomendo livros do gênero.

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Adorei esse livro e não vejo a hora de conhecer mais o Dante =)
    E as capas?
    Perfeitas!!!!

    ResponderExcluir
  16. Li e gostei muito do livro, um dos melhores até agora considerando a onda de publicações recentes no gênero.
    Também devorei rapidamente e estou aguardando o lançamento de No Limiar do Desejo com ansiedade. Espero que seja tão atraente e envovlente quanto Luxúria... rsrs
    Bjkas!
    Monique Martins
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  17. Não achava que Luxúria fosse esse tipo de gênero até ler a sinopse... Outro livro inspirado em 50 tons de cinza? aff. Cansei desse gênero.

    ResponderExcluir
  18. Não estou muito animada para ler esse livro, acho que estou um pouco cansada com essa modinha de erótico BDSM.

    ResponderExcluir
  19. Eu adorei a capa desse livro. E que bom saber que ele é interessante e sedutor. Tá na lista!

    ResponderExcluir
  20. que resenha otima! Me trouxe uma vontade enorme de ler *--*

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras