Mulheres de Água – Gabriel Chalita

11/03/2014

mulheres de aguaMulheres de água: tímidas ou lascivas. Rejeitadas ou assediadas. Fiéis ou volúveis. Avarentas ou perdulárias. Prudentes, perversas, esquisitas, amorosas. Ao percorrer esta coletânea de contos, o leitor tem a impressão de se ver diante de todas as mulheres e de todos os sentimentos do mundo.
A complexidade das situações vividas pelas personagens é mostrada de modo sutil, e os recursos da narrativa vão do lírico ao satírico, passando pelo drama. Temos a solteirona que faz do projeto de encontrar um marido um compromisso em todos os lugares, dos bailes da terceira idade às missas dominicais. Temos a mãe, desesperada com o silêncio do filho supostamente desaparecido, escandalosa e patética. Temos a velhota cheia de manias, que se confessa com a amiga surda-muda.

Como se resenha um livro de contos? Se fala de um, dois... todos? Se fala do melhor e do pior? Como definir qual o melhor conto se cada leitor pode ter uma impressão diferente? Como colocar em palavras algo que transborda de sentimentos?

"Nunca tive muita sorte com os homens. Eu me apaixonava em silêncio.Não revelava a fundura da minha alma, dos meus desejos. Sabia que seria uma aventura vã. Quem me desejaria?" (pág. 15)

Tantas perguntas e para algumas eu não tenho resposta – e não sei se é tão importante assim ter as respostas. Chalita nos presenteia com um livro tocante que encanta, agrada, anima e emociona. Um livro que me ganhou desde a primeira página e que me fez olhar os contos com outros olhos.

"Dia desses me peguei com saudade. Saudade dos outros? Não. Saudade de mim mesma. Saudade de sofrer de amor. E, quando dói, dói tanto que parece coisa dominada por estranhezas, coisas não humanas. É uma ruptura de possibilidades, uma teimosia que fica morando na lembrança de quem prometeu e não cumpriu." (pág. 31)

Não sou uma leitora frequente de contos, sempre preferi histórias longas (o que se comprova com a quantidade de séries que leio). E confesso que estava receosa de ler Mulheres de Água, mas como esse ano resolvi abrir um pouco mais os estilos literários na lista de lidos, li e não me arrependo.

"Não. Não quero mais a angústia da espera do que não vem. Que não toque o telefone ou a campainha, que não venham cartas nem recados, que não nos encontremos por aí." (pág. 46)

Penso que cada leitor se identificará de forma diferente com o livro. Cada um terá sua própria seleção de contos preferidos e uns não tanto. Mas isso é comum em livros de contos, não é mesmo? O que posso dizer é que todos eles trazem em suas linhas a grandiosidade do universo feminino. É impossível não se identificar com alguns sentimentos, ou então não encaixar várias amigas nos contos e ter a sensação de que estão falando de alguém conhecido.

"Se você quiser ficar com ele, fique. Já decidi que não quero. Não sou dessas mulheres que insistem nas coisas, sabe? E parece que você precisa dele. (...) Acho triste essa dependência, mas, afinal, eu entendo." (pág. 61)

Eu sei que não falei muito do livro exatamente. Fiz isso de propósito pois não quero estragar a impressão de ninguém. Escolhi somente algumas citações entre tantas que marquei apenas para deixar um gostinho para vocês. E volto a dizer que gostei muito do livro e super recomendo. É um ótimo presente. É uma ótima leitura.Lica

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

12 comentários

  1. Oi Lica!
    Bom eu ainda não li nenhum livro do Chalita, mas já vi algumas crônicas dele e gostei muito. Ele escreve muito bem e eu acho que eu iria gostar deste aqui, pois adoro contos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Lica, este não me chamou atenção.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Faz séculos que não leio livros de contos.
    Minha professora da 7ª série costumava nos mandar ler eles para despertar em nós, alunos, o desejo de leitura.
    Acho que comigo de certo kkkk
    Ler contos é muito relaxante.
    Bjokas
    nerdworldofgirl.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Interessante esse livro e valeu pela dica, pois não conhecia ele ;)
    Parabéns pela resenha

    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  5. Adorei!!
    "Dia desses me peguei com saudade. Saudade dos outros? Não. Saudade de mim mesma." *----*

    ResponderExcluir
  6. Adoro contos e estes me interessaram bastante por abordar questões comuns do universo feminino. Gostei bastante!

    ResponderExcluir
  7. Gosto de ler contos sempre que termino uma leitura mais longa, como forma de relaxar. Gostei do tema abordado nesse. Falar sobre mulheres sempre rende boas histórias.
    Quero ler.

    ResponderExcluir
  8. "Nunca tive muita sorte com os homens. Eu me apaixonava em silêncio.Não revelava a fundura da minha alma, dos meus desejos. Sabia que seria uma aventura vã. Quem me desejaria?"
    é oque digo pra mim neste momento! Gente, quero muito ler esse livro!

    ResponderExcluir
  9. Gostei dos quotes que você colocou aqui. As histórias parecem ser bem interessantes. Primeira vez que vejo este livro e vou tentar ler.
    Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Já percebi pelo titulo que manteiga derretida!!

    ResponderExcluir
  11. pelo visto, este conto e muito bom, apesar de vc n querer falar muito sobre ele, achei ate bom, eu tirar minhas proprias conclusoes. :)

    ResponderExcluir
  12. Também não gosto de contos, porque quando são bons, a pessoa fica com a sensação "poxa, já acabou?".
    Mas é sempre conhecer os vários olhares sobre a mulher, esse ser de mil faces em si mesma.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras