Livre - Cheryl Strayed

02/02/2015

Aos 22 anos, Cheryl Strayed achou que tivesse perdido tudo. Após a repentina morte da mãe, a família se distanciou e seu casamento desmoronou. Quatro anos depois, aos 26 anos, sem nada a perder, tomou a decisão mais impulsiva da vida: caminhar 1.770 quilômetros da Pacific Crest Trail (PCT) – trilha que atravessa a costa oeste dos Estados Unidos, do deserto de Mojave, através da Califórnia e do Oregon, em direção ao estado de Washington – sem qualquer companhia. Cheryl não tinha experiência em caminhadas de longa distância e a trilha era bem mais que uma linha num mapa. Em sua caminhada solitária, ela se deparou com ursos, cascavéis e pumas ferozes e sofreu todo tipo de privação. 
Em Livre, a autora conta como enfrentou, além da exaustão, do frio, do calor, da monotonia, da dor, da sede e da fome, outros fantasmas que a assombravam. “Todo processo de transformação pessoal depende de entrega e aceitação”, afirma. Seu relato captura a agonia, tanto física quanto mental, de sua incrível jornada; como a enlouqueceu e a assustou e como, principalmente, a fortaleceu. 
O livro traz uma história de sobrevivência e redenção: um retrato pungente do que a vida tem de pior e, acima de tudo, de melhor.



Olá pessoal, tudo bem? Quando eu trabalhava na livraria, havia uma garota chamada Ana que sempre falava muito bem desse livro. Eu me encantava quando ela abria a boca pra falar do livro aos clientes, e sempre pensava comigo: um dia esse livro vai comigo! 

Aconteceu que demorou quase dois anos pra ele vir parar nas minhas mãos, e então, no meu aniversário, meu marido resolveu me presentear, com o livro já com a capa do filme. Eu preferia o da bota, mas, não se pode ter tudo. ( risos).

Quando comecei a ler, me senti assim como a própria Crheryl, despreparada. Eu com certeza não estava esperando ler o que li, enfrentar meus próprios medos enquanto lia os medos dela, e de fato, me senti caminhando e sofrendo com ela a cada página. Uma história real daquelas que nos fazem pensar o quanto a vida é boa, apesar de tudo. 

Tudo começa quando Cheryl, aos 22 anos perde seu ponto de referência, sua mãe. Bobbi morreu aos 44 anos. vítima de câncer, sendo a pessoa que mais se cuidava em toda a família. A vida da autora fdoi sempre uma bagunça, porém, após a morte de sua mãe parece que tudo desandou de vez. Ela trai o marido várias vezes, vai de emprego em emprego, usa drogas e até mesmo engravida. Se separa, fica perdida e não sabe o que fazer! É então em um acesso de raiva que ela decide: iria caminhar desde a divisa do México até a divisa do Canadá. Seriam três meses de caminhada. 


O que ela sabia sobre longas caminhadas? Nada! Mas só indo pra grande trilha Pacific Coast Trail para descobrir. E digamos, que ela teria de aprender à duras penas o que uma caminhada traz consigo: perigos, medos, aflições e acima de tudo: a solidão. Sabem por que a solidão é uma das coisas piores que ela enfrentou? Por que não temos como escapar de nós mesmos. Céus, esse livro é perfeito!

 Me lembrou bastante do livro Comer, rezar e amar: às vezes é preciso sair do lugar para poder enxergar a vida de uma ótica diferente. As vezes é preciso admitir os pecados para se perdoar, e sim, esse livro mexeu muito comigo. Eu não vou contar muito mais por que vocês precisam ler, quem gosta de uma história real, merece ler! E olha que é difícil eu chorar com livros, mas com esse, eu não tive escolha. 


Cabe dizer que eu fui ver o filme também, o qual retratou bem o livro, mas claro, o livro tornou-se muito mais completo e linear.
Desejo a todos boas leituras! 
Abraços.

Sou a Fabi.... blogueira, escritora e eterna sonhadora!

Que tal conferir também...

20 comentários

  1. Ainda não li esse livro e pretendo fazer isso antes de assistir o filme. O trailer me fez acreditar que o filme é bom, e como o livro sempre é melhor... A resenha também está ótima, adoro temas que fazem o leitor refletir.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabi
    Eu quero assistir ao filme, mas confesso que nem sabia que ele era baseado em um livro. A história parece ser muito forte mesmo, para o leitor ficar pensando em suas próprias escolhas, dica anotada e já foi para a lista de compras urgentes!
    Bjs
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bom?
    Eu ainda não tinha ouvido falar do livro, porém ele parece ser bom, adorei a sua resenha, também não tinha ouvido falar do filme, porém pretendo assisti-lo e quem sabe ler o livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Eu tenho ouvido muitos elogios à interpretação de Reese Witherspoon nesse filme e quero muito assistir. Claro que ler o livro é sempre melhor, mas confesso que esse tipo de história de busca pessoal, como Comer, Rezar, Amar não é muito meu estilo. Mas com tantos elogios fica difícil não querer ler.

    B-jusss! ♥

    http://www.quemlesabeporque.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nina... sabes que eu não gostei de comer rezar e amar? Mas esse livre é maravilhoso!

      Excluir
  5. Não conhecia o livro e nem o filme.
    Amei sua resenha e gostei dessa linha de tudo ficar um caos nada ser tão bonito como sou acostumada em outros livros. Sabendo que vc chorou no livro tbm me animou de ler. Acho um máximo poder chorar num livro, tenho a sensação de dever comprido com o livro rsrs

    bjs!!
    http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Já tinha ouvido falar do filme, mas não sabia que era adaptado de um livro.
    Gostei muito da sua resenha. Fiquei curiosa para saber mais sobre a história que parece ser uma grande superação pelo que você escreveu.
    Quero muito saber o que aconteceu com essa mulher.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Não tinha ouvido falar desse livro antes. Apesar de não ser o tipo de livro que eu leria, gostei muito da sua resenha, consegue nos falar sobre o livro, sem contar tudo sobre ele, o que sempre deixa aquela pontinha de curiosidade ahahah
    Mas, acho que vou ver o filme antes do livro, adoro a Reese Witherspoon e talvez ela me faça gostar e eu pegue o livro pra ler!
    Beijos

    http://lumartinho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Fabi, que mega resenha grande, rss. Eu nao conhecia o livro e tampouco o filme, mas adoro livros de realidade nua e crua, gost ode saber por situaçoes que as pessoas passaram e o que fizeram para resolver, ja entrou para a lista.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Fabi!
    Sua resenha é apaixonante e só me deixou com mais vontade ainda de ler Livre.
    E sem medo, né?
    Não quero assistir ao filme, sem primeiro ter lido o livro.
    Mas, concordo com você, também preferia a capa com as botas, rsrsrs...

    Beijos!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Confesso que nunca dei muita bola para esse livro. Só comecei mesmo a prestar atenção um tempinho atrás por causa do filme e fiquei curiosa.
    Com a sua resenha fiquei ainda mais interessada e quero ver se consigo ler antes de assistir o filme, até porque os livros sempre são melhores e mais completos né?

    ResponderExcluir
  11. Quando eu vi o filme, já me interessei por ele, mas tenho certeza que a leitura do livro deve ser arrebatadora. Acho que farei o inverso, verei o filme e depois vou ler o livro. Bjs

    ResponderExcluir
  12. Eu estou louca pra ver o filme, mas não sabia que tinha o livro também. Essa história parece ser muito boa, e eu estou querendo muito conhecer ela melhor. Até queria ler o livro antes de ver o filme, mas como nem tenho o livro ainda, devo ver o filme primeiro...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Nossa, não conhecia esse livro... Estou realmente encantada com essa historia, parece ser maravilhosa.. Me fez refletir sobre aonde eu estava que nunca tinha ouvido falar nesse livro. Kkk. Pelo amor de Deus!!! Nem o filme eu não conhecia. Felizmente, estou ansiosa para conhecê-la melhor agora. Pretendo ler o livro em breve. Amei!!!

    ResponderExcluir
  14. Pretendo assistir o filme, porque no momento não tenho dinheiro para o livro rs
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  15. Não é meu tipo de leitura e nem de filme mas parece ser uma boa história.

    ResponderExcluir
  16. Fabi!
    Jura que você trabalhou em uma biblioteca? Sonho de qualquer leitor...
    Bem, não conhecia o livro e nem sabia que tinha um filme baseado nele.
    Deve ser bem aventureiro (e perigoso), sair andando para uma viagem tão longa, porém deve ser mesmo mais uma viagem interior...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  17. Sinceramente pela capa e pela sinopse eu não tinha o mínimo interesse em ler esse livro, mas sua resenha e entusiasmo todo a respeito dele me fez querer e desejar ler, não sei se demorarei 2 anos ou lerei em menos, mas pretendo.

    ResponderExcluir
  18. Oie! Não tinha ouvido falar desse livro antes. Apesar de não ser o tipo de livro que eu leria, gostei muito da sua resenha, consegue nos falar sobre o livro, sem contar tudo sobre ele, vou assistir o filme ;)

    Beijos

    http://paraisodasideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras