Caminho das Sombras: Anjo da Noite 1 - Brent Weeks

28/10/2016

Para Durzo Blint, matar é uma arte... e ele é o artista mais talentoso da cidade. Temido por muitos, Durzo é uma lenda viva com as mãos manchadas de sangue e nenhuma culpa pelas vítimas que deixa pelo caminho.
Esse mundo sombrio também não é novidade para o jovem Azoth. Sobrevivendo entre becos sujos, ele aprendeu que a esperança é uma piada. Pelas regras das guildas, crianças são agredidas e surradas todos os dias.
Tentar contestar essa realidade seria um risco alto demais. Mas quando a morte se torna questão de tempo para ele e seus amigos, Azoth se vê forçado a vencer o medo e agarrar a chance de virar um derramador, um assassino. Ele precisa se tornar discípulo de Durzo Blint.
Para ser aceito, o garoto abandona sua antiga vida e abraça uma nova identidade. Ao se tornar Kylar Stern, ele aprenderá a transitar no mundo dos nobres, sobreviver às magias de seus inimigos e cultivar uma amizade muito especial: a da escuridão.
" - A vida é vazia. Quando tiramos uma vida, não estamos tirando nada de valor. Derramadores são matadores. É só isso que fazemos. É só isso que somos. Não há poesia no ofício da amargura - falou Durzo Blint." (pág. 68)
Tem livros que entram em nossa lista de leituras pela capa, outros pelo título. Quem curte ler encontra qualquer tipo de motivo para um livro entrar para os desejados, não é mesmo? No caso de Caminho das Sombras, o que me chamou a atenção foi o nome da trilogia: Anjo da Noite. Esse foi o motivo de ter ficado curiosa, então quando ele entrou para a lista dos livros a serem comentados em um evento de fantasia que mediei em Florianópolis, fiquei mais do que feliz em arriscar a leitura.

Quando eu digo arriscar, é porque fantasia não é o meu estilo preferido. Comecei esse ano a ler o estilo - na verdade a voltar a tentar novamente algumas leituras - pois resolvi que iria sair um pouco mais da minha zona de conforto. O melhor de tudo isso é que tenho encontrado leituras incríveis que poderia passar por mim sem eu nem ter dado uma chance. Então, antes de mais nada vale lembrar que essa é a minha opinião, de leitora não acostumada com o estilo.
"A vida em si não é nada. É um marcador que prova quem está vencendo, e nós somos os vencedores. Nós vencemos porque perder é um insulto. Os fins não justificam os meios. Os meios não justificam os fins. Não há ninguém com quem se justificar. Não há justificação. Não há justiça." (pág. 140)
Caminho das Sombras é narrado em terceira pessoa e tem o foco em vários personagens, porém os dois principais e que ganham mais destaque são Durzo Blint e Azoth. Durzo é um derramador, ele é um assassino que não tem peso na consciência quando o assunto são as mortes que carrega nas costas. Para ele, matar é uma arte e ele é o melhor de todos. Azoth é um jovem que mora nas ruas e não tem uma vida nem um pouco fácil. Ele é um dos meninos mais novos da guilda, o que significa que sofre nas mãos dos mais velhos, apanha todos os dias e quase não consegue comida para se manter em pé. Ele sabe que esperança nada mais é do que uma mentira contada para parecer que existe um futuro bonito. Ele não é exatamente corajoso, mas faz o que pode para proteger seus amigos mais próximos.

"Esperança. Certo. Esperança são as mentiras que contamos a nós mesmos em relação ao futuro. Ele já tivera esperança. Já se atrevera a sonhar com uma vida diferente, mas quando havia chegado a hora..." (pág. 92)

O caminho de Azoth e Durzo acaba se cruzando, e quando a situação de Azoth se complica nas guildas e ele precisa escolher entra a vida e a morte, ele se vê forçado a enfrentar o medo. Sua única saída é fazer com que Durzo o aceite como discípulo e o ensine a arte de ser um derramador. Ele precisa aprender a ser um assassino. Assim, Azoth consegue ajudar seus amigos mas precisa abandonar totalmente sua antiga vida. Durzo garante que arrumará um lugar para eles, mas Azoth não poderá mais ter nenhum contato com eles. E é assim que tudo começa e que Azoth vira Kylar Stern.
" - O assassinato é uma arte, milorde, e eu sou o artista mais talentoso desta cidade." (pág. 103)
Durzo Blint é um assassino, mas não qualquer assassino. Ele é um assassino profissional, que estuda suas vítimas para que não fiquem pontas soltas e, como ele é o melhor da cidade, pode decidir que trabalho ele aceita ou não. E ele muito bom no que faz e sabe disso - e sim, isso o deixa um pouco arrogante, talvez um pouco convencido, mas ele é um mestre. Um mestre que transformou a morte em uma arte e que tem muito a ensinar sobre ela e sobre a vida. Eu fiquei completamente encantada com a personalidade de Blint e com seu jeito. Ele é um dos melhores personagens da história, um dos mais completos no meu ponto de vista. É aquela coisa de o livro ser a história de como um aprendiz se torna o que é mas quem rouba toda a cena é o mestre.
" - Essa dor que você está sentindo é a dor de perder uma ilusão - falou mestre Blint quase com delicadeza. - A ilusão é o significado, Kylar. Não existe nenhum objetivo maior.  Não existem deuses nem árbitros de certo e errado. Não estou lhe pedindo para gostar da realidade. Só estou pedindo que seja forte o bastante para encará-la. Não há nada além disso. Há apenas a perfeição que alcançamos ao nos tornarmos armas, tão fortes e impiedosos quanto uma espada." (pág. 139)
Outros personagens secundários também roubam a cena, como Mama K que é uma mulher poderosa em um meio onde só os mais fortes tem vez. Ela aprendeu como chegar ao poder e o que precisa fazer para se manter com ele. É ela quem comanda os bordéis da cidade, e digamos que apesar de toda a situação, suas meninas são as que melhores são tratadas na cidade. Eu gostaria de mais Mama K, para mim, ela aparece muito pouco...rs
" - Por que uma pessoa mente? Porque mentiras são úteis. Agora beba seu remédio e cale a boca - disse Mama K." (pág. 95)
Azoth não é um personagem que conseguiu me conquistar. Quer dizer, é bonito o seu jeito de tentar proteger seus amigos e dá para perceber a sua fragilidade, a sua falta de coragem e como tudo se torna importante quando ele se sente na responsabilidade de salvar tanto ele quanto seus amigos. Quando ele se torna Kylar, dá para notar seu crescimento, ver como ele está aprendendo, mas para mim isso foi mais mérito do mestre que ele tem do que dele em si. Não vi isso como uma coisa ruim, até porque, como disse, além de Durzo tem outros personagens secundários com brilho e que chamam a atenção durante a história. E se tivessem dois personagens muito fortes comandando as coisas, poderia não ficar tão envolvente como ficou.
"Seu jeito de sorrir e de dizer exatamente a coisa certa o ajudavam a passar as horas. Palavras eram poder, afirmava ela. Palavras eram uma segunda espada para o homem que soubesse manejá-las." (pág. 85)
Embora o livro comece com uma super cena, o ritmo inicial do livro foi um pouco lento para mim, mas fiquei com a sensação de que isso aconteceu devido a minha falta de hábito de ler livros de fantasia. É que algumas coisas não ficaram muito claras para mim - gente, eu sou nova nessa coisa de fantasia então eu fiquei confusa com algumas coisas e algumas vezes eu ficava me perguntando quem era quem por causa dos nomes diferentes e algumas denominações utilizadas pelo autor. Também tenho que pensar que esse é o primeiro volume de uma trilogia. Ao mesmo tempo que tem um mundo todo para ser apresentado, é preciso deixar alguns detalhes para se aprofundar mais no próximo livro.

Temos uma cidade onde fica claro as divisões entre os ricos e os pobres, então é claro que teremos intrigas políticas, corrupção e um grupo que manda na cidade - talvez até um pouco mais do que o rei, já que são eles quem de certo modo decidem sobre o que se pode ou não se fazer na região pobre da cidade e, muitas vezes até na região rica. Temos um grande assassino que se comporta como tal - adorei o fato de ele ser realmente temido que fala coisas que nenhum outro poderia falar ao rei - e, como eu disse, Durzo leva seu trabalho como uma arte, então podem contar com muitas mortes, muito sangue e, também, muita falta de honra. Não espere que os assassinos informem onde estão, nem que deem tempo de fuga. Eles atacam pelas costas, eles mentes, eles não estão nem aí desde que atinjam seu objetivo.
" - Caramba, Kylar. Daydra já está apavorada. O que você está fazendo?
- Dizendo uma verdade amarga. - Ele deu de ombros. - Dizendo mentiras. Que diferença faz?
- Se eu quisesse a verdade, olharia para um espelho. O importante na vida não é a verdade, é fazer o melhor com o que se tem." (pág. 154)
Caminho das Sombras ainda conta com muita magia no meio de tudo o que já citei. Tem o Talento dos derramadores, além de magos, bruxos, artefatos poderosos e profecias - isso só para citar algumas. E eu nem falei das reviravoltas, que são muitas durante toda a história me deixando sem saber direito o que esperar o que deixou tudo muito mais empolgante. Foi uma leitura interessante que entrou meio que ao acaso na minha lista de leituras mas me deixou bem contente. Como disse, eu demorei um pouquinho para pegar o ritmo, mas acredito que isso foi coisa minha já que depois que me acostumei com a narrativa, o ritmo engatou e devorei a história criada por Brent Weeks. Estou bem curiosa para saber o que virá em À Margem das Sombras, segundo volume da trilogia.

Romântica incurável com um toque de Drama Queen. Sonhadora, teimosa e viciada em livros, afinal, se você não pode cair no mundo, viva através dos personagens! Criadora do blog Amores e Livros, ainda acredita que um dia será paga para ler! Facebook / Twitter / Instagram

Que tal conferir também...

19 comentários

  1. Oi Lica, tudo bem?
    Eu adoro livros de fantasias mas não os leio tanto quanto gostaria. Não gostei da capa desse livro mas em compensação adorei o enredo, principalmente por envolver magia e profecias, e também gostei muito da descrição que você fez dos personagens. Provavelmente não lerei o livro por agora por conta da extensa lista de volumes que tenha à espera, mas vou adicioná-lo aos meus desejados para o futuro.
    Ah, sua resenha ficou muita boa, parabéns.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
  2. Livros de fantasia também não são meu estilo, até leio um ou outro esporadicamente, mas não tenho ânimo que nem você heheheheheh
    Caminho das Sombras de fato tem uma história que parece ser boa, mas eu não sei se arrisco.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lica!

    Não sou muito fã de livros de fantasia, por isso passo a dica de hoje. Também tenho a terrível mania de julgar o livro pela capa... Amei sua resenha, parabéns!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olha, vou te ser bem sincera. Não li a resenha toda, li o começo e quando vi do que se tratava, deixei passar porque no momento estou supersaturada de livros de fantasia/sobrenatural. Acho que enjoei, ja li demais livros desse titulo. Mas pra quem ta na vibe, parece ser interessante. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Lica amei o enredo desse livro e a premissa dele. Nossa e o jeito que você falou na resenha me deixou já na ponta da cadeira e curiosa. Super anotarei a dica e espero gostar tanto quanto você, já que estou numa zica que nenhum livro que leio é bom para ser... uau. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Gostei muito dos pontos que você ressaltou na resenha. A história de Durzo e Azoth me parece interessante, mas apesar de adorar fantasia, faltou um algo a mais para me atrair para a leitura. Mas não vou descartar a hipótese de lê-lo futuramente.
    A resenha está ótima. Parabéns!
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Aline.

    Alguns gêneros eu também demoro um pouquinho para pegar o ritmo, mas depois a leitura desenvolve tranquila. Eu estou curiosa para conhecer está história completa, pois a capa é linda, a sinopse chama atenção e sua resenha contribuiu para desejar o livro na minha estante o mais rápido possível.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Também não sou acostumada com o gênero fantasia e me perco nas denominações e nomes já na sinopse, imagina lendo? E isso é algo que me incomoda bastante... Eu também não curto esse lance de magia e tudo mais. Por conta disso, acho que não leria esse livro, ainda mais sendo uma trilogia :x

    ResponderExcluir
  9. Ja vi esse livro em muitas livrarias e sempre dou uma olhadinha nele. Minha amiga que e viciada em fantasia ja leu o livro e e bem empolgada com a serie. Eu gosto de ler fantasia, principalmente essas mais sombrias, com assassinos convencidos, sociedades separadas e magia. Acho que vou ter que ir na casa dela pra pegar esse livro, kkkkkkkkk Valeu pela dica. :*

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lica,
    Fantasia não está entre meus estilos de leitura, também. É assim mesmo, tem livros que despertam o nosso interesse pela capa ou título. Mas, apesar da sua excelente resenha, acho que não arriscarei a acompanhar essa trilogia.
    Bjos!
    Cidália (Contos da cabana)

    ResponderExcluir
  11. Oi, Lica,
    Fantasia não está entre meus estilos de leitura, também. É assim mesmo, tem livros que despertam o nosso interesse pela capa ou título. Mas, apesar da sua excelente resenha, acho que não arriscarei a acompanhar essa trilogia.
    Bjos!
    Cidália (Contos da cabana)

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Esse livro conseguiu me ganhar por todo o conjunto! A capa é linda a sinopse bem intrigante, a premissa para mim inovadora e para finalizar sua resenha com as impressões, me dizendo tudo que eu gostaria de saber.
    O livro é fantasia, gênero que gosto muito, e ainda mais quando regado à muita magia e reviravoltas de tirar o fôlego.
    Pretendo ler o mais breve possível.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. A capa é maravilhosa, mas não curto muito essa linha de leitura. A sinopse e sua resenha são ótimas, mas mesmo assim, não me chama a atenção...
    Mas já meus amigos... Vão amar!
    Dica anotada!!

    #Ana

    LiteraKaos!

    ResponderExcluir
  14. Adorei sua resenha. Realmente, sair de nossa zona de conforto é um desafio e as vezes é até complicado resenhar um livro de um estilo que não estamos acostumados a ler, mas achei que você conseguiu passar bem a ideia dele, e eu provavelmente leria se não soubesse q é uma série, pois já tenho várias para terminar hahah... E não sei porque, mas essa capa me lembra algum outro livro, só nao sei qual hahaha

    ResponderExcluir
  15. OOI!
    Como amo fantasia acho que esse é um que eu gostaria!!
    A premissa é interessante e parece ser envolvente, mesmo no início a narrativa sendo um pouco lenta.
    Dica anotadíssima! :)

    ResponderExcluir
  16. Oie
    que legal sua resenha, não é um livro que que leria mas que indicaria pra alguns amigos pois tem um enredo bem interessante

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Te entendo, fantasia também não é meu forte mas confesso que os títulos nacionais que li até agora me agradaram bem mais que os estrangeiros.
    Que bom que você persistiu na leitura e por fim acabou gostando do enredo, tanto que pretende ler toda trilogia.
    Gostei da sua resenha focada em suas impressões. Desejo sucesso a nós duas nessa busca por novos estilos literários, abrindo assim nossa mente e possibilidades.
    Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  18. Olá, li algumas resenhas dessa obra, mas confesso que não fiquei muito interessada...quem sabe na próxima.
    Mesmo assim achei sua resenha ótima, parabéns!

    ResponderExcluir
  19. Confesso que leria esse livro mais para frente, pois por agora não e uma historia que procure agora, as vezes por algum tempo procuramos algum tema, ou historias parecidas ou algo assim para ler, e neste caso não é esse tipo de historia que me interessaria no momento.

    Beijos

    Viviana

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

*** Comentários serão respondidos por aqui mesmo, através de comentário.

Acompanhe por E-mail

Facebook

Editoras Parceiras